Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Preview tecnológica de Saints Row PC: o reboot brilha no PC, e dá dicas em relação à PS5 e Series X

O novo motor melhorado da Volition impressiona.

Saints Row está de regresso, num reboot para 2022 que permite à produtora Volition atualizar a série com um motor interno melhorado. Com o seu lançamento a 23 de Agosto, poderemos observar como se comparam em todas as consolas, incluindo a PS5, Series X e máquinas da geração anterior - mas hoje é a nossa experiência prática com uma versão inicial para PC a correr numa máquina com a RTX 3080. Para começar, queríamos saber como era a versão do PC, a funcionar a 4K no máximo das configurações, e que dicas poderíamos encontrar sobre as versões da Series X e PS5 que ainda não foram reveladas - incluindo o suporte RT. Vamos analisar e ver o que foi revelado até agora.

Logo à partida, os materiais, a iluminação e a física são um enorme salto de qualidade em relação aos jogos anteriores Saints Row. Desapareceram os shaders planos e simplistas para a pele e vestuário que estavam presentes nos últimos jogos Saints Row desde 2013, agora substituídos por materiais iluminados de forma mais realista. De facto, independentemente da forma como se cria o personagem - e há aqui possibilidades ilimitadas - há sempre um nível de base respeitável para a qualidade do modelo. Da mesma forma para o ambiente, a qualidade da textura é nítida, aproveitando confortavelmente a VRAM de 10GB da nossa RTX 3080. O nível de detalhe global já é claramente mais adequado a um projeto destinado a um lançamento PS5 e Series X. Entrando em ação, os faróis dos carros são pontuados por um efeito volumétrico impressionante, acrescentando faixas de luz e adicionando um sentido de profundidade satisfatório à cena. A física dos objetos também impressiona de imediato, produzindo momentos de imagem espetaculares ao observar explosões com TNT, que produzem um grande efeito à medida que os barris explodem e as pontes caem.

Na sequência desta amostra mais específica, lançámo-nos no mundo aberto - e aqui, o nosso sistema com a RTX 3080 e Core i7 7700K esforçou-se por manter os 4K 60fps bloqueados nesta construção do jogo. No entanto, baixar a resolução para 83% em cada eixo restabelece esse bloqueio de 60fps sem ter de sacrificar o tipo de oclusão de ambiente com ray tracing (RTAO), detalhes de sombras ou distância de desenho do mundo.

Relativamente aos cenários oferecidos, o reboot de Saints Row reúne um enorme conjunto de opções e cada cenário é atualizado em tempo real, mostrando convenientemente o mundo do jogo do lado direito, à medida que as configurações predefinidas mudam. Por exemplo, isto permite-nos ver que os parâmetros baixos, médios e altos do RTAO têm um aspeto bastante semelhante, mas a alternância entre ultra e desligado mostra diferenças acentuadas - surgem subitamente focos de sombra no cenário mais ricos, com objetos sobrepostos de forma mais natural no cenário. Eu teria adorado ter visto apoio por RT mais extenso sob a forma de reflexos ou iluminação global - e isso pode surgir no lançamento final, quem sabe - mas RTAO é um toque interessante e espero que surja na PS5 e na Series X como parte de um modo de qualidade RT. Por enquanto, no entanto, teremos apenas de esperar para ver.

Mantendo os parâmetros, também dei uma vista de olhos similar às sombras e predefinições de SSR. Cada uma oferece bastante escalabilidade, e ao contrário da configuração RTAO, a diferença entre cada etapa de qualidade é mais facilmente visível. O ajuste das sombras, por exemplo, afeta principalmente a qualidade do sol e sombras interiores - dando um aumento de desempenho considerável à medida que a complexidade é reduzida. Apenas a olho nu, a nossa RTX 3080 foi aqui quase colocada em ultra enquanto mantivemos 60fps, desde que mantivéssemos a escala de resolução em 83 por cento. Elevada é certamente aceitável, mas qualquer coisa abaixo disso é talvez um sacrifício demasiado pesado. Outro parâmetro de ajuste, o detalhe do cenário, altera a qualidade das sombras e do terreno como as árvores ao longe. Tendo em conta as configurações baixas, médias e altas, a alta é essencial para evitar pop-in visível, especialmente quando nos deslocamos num veículo a alta velocidade.

Tom investigou o reboot de 2022 de Saints Row - como é que está o aspeto no PC e o que podemos aprender sobre as versões das consolas?

Enquanto os reflexos RT não são oferecidos, os reflexos em screen-space encontram-se presentes em quatro cenários de qualidade, desde o desligado até ao elevado - e, mais uma vez, os incrementos do elevado são difíceis de comprometer. Isto aumenta a precisão da imagem do espelho do screen-space para torná-lo um substituto razoável para uma versão RT mais fisicamente precisa. Este é também o ponto ideal para as versões PS5 e Series X, pois notar-se-á visivelmente a diferença nas missões baseadas na água, com configurações SSR médias ou baixas.

O resto da minha sessão de três horas com Saints Row concentrou-se nos chamados 'side hustles', onde é possível deixar críticas negativas em restaurantes, escapar a perseguições policiais para entregar contrabando e voar num fwingsuit para sabotar empresas rivais. Cada uma destas tangentes tinha pontos visuais altos, com a hora do dia evidente pela iluminação do jogo, efeitos de partículas e física. Conseguíamos obter conjuntos espetaculares de perseguição através de desfiladeiros, pondo em destaque a densidade da relva que se aproximava, enquanto as luzes volumétricas vinham à tona à medida que o pó se elevava dos carros da frente. Não é uniformemente bonito, mas há definitivamente momentos pontuais em que a tecnologia da Volition consegue resultados visualmente impressionantes.

Dado que se trata de uma construção inicial, talvez não seja surpreendente que tenha havido algumas questões técnicas ao longo de todo o processo em termos de estabilidade. Tive um crash que eliminou a minha gravação, por exemplo, o que não é ideal para um evento de pré-visualização limitado no tempo - mas mais uma vez, isto não é particularmente surpreendente para o que é provável que seja uma construção relativamente antiga de um jogo de mundo aberto, complexo e imprevisível. Teremos de verificar até onde nos leva o jogo final, mas o que eu vi foi mais do que suficiente para compreender a direção que a série Saints Row está a tomar.

Quando o jogo for lançado nas últimas fases de Agosto, estaremos de volta com uma completa avaliação tecnológica não apenas do lançamento no PC, mas também da situação nas consolas. A minha esperança é que, dada a escalabilidade de definições que estamos a ver aqui, haja espaço para um modo 4K 30fps com RT ativado na PS5 e Series X, bem como um modo 60fps sem RT e talvez algumas outros ajustes gráficos. Será fascinante ver como a experiência também se traduz em máquinas da geração anterior - será 1080p 30fps, ou algo diferente? Em última análise, teremos de esperar para ver. Por agora, no entanto, o reboot de Saints Row deste ano traz consigo uma enorme promessa como título de mundo aberto, com opções impressionantes de personalização de personagens, tipos de missão, e tecnologia subjacente que deverá, espera-se, ser bem dimensionada para as consolas antigas e as mais recentes.

Sobre o Autor

Thomas Morgan avatar

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Comentários