Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Homefront: The Revolution - Actualização finalmente corrige a performance

Qual é a contra-partida?

Homefront: The Revolution, ambicioso jogo do Dambuster Studios foi visualmente impressionante mas os rácios de fotogramas sofriam imenso no lançamento, a performance era demasiado inconsistente. No que diz respeito a jogos de acção na primeira pessoa, 30fps deve ser o mínimo e se vais abaixo de 20fps, então tens problemas. Já falamos sobre os progressos feitos na optimização de Homefront: The Revolution, o estúdio foi capaz de melhorar a performance em 25% na v1.06. No entanto, apesar das promissoras melhorias, ainda ficávamos abaixo dos 30fps. Até agora.

A recente versão 1.08 tenta de forma mais agressiva melhorar a performance do jogo, e parece combinar mais optimizações com inferiorizações visuais bem pensadas. Antes de falarmos das melhorias na performance, eis um olhar às principais diferenças em Homefront: The Revolution antes e depois desta actualização.

Apesar da arte principal permanecer igual, o Dambuster alterou a aplicação de iluminação e sombras para ficar mais perto dos 30fps. As luzes dinâmicas e sombras de objectos foram mais afectados, removendo profundidade e complexidade às cenas. Também foi introduzido um estranho efeito difuso em algumas áreas, e apesar das diferenças poderem parecer dramáticas nas cutscenes, o aspecto geral durante gameplay está muito aproximado. Também foi ajustada a cadência de efeitos - grandes explosões exibem agora efeitos pós-processamento mais simples e menos efeitos alpha que afectam a performance.

Em termos de diferenças entre a Xbox One e PlayStation 4, continuam tal como nas anteriores versões. A Xbox One corre a 900p comparado com 1080p da PS4. Isto traduz-se em nada mais do que um pouco mais de blur e brilho nas arestas. A Xbox One também tem uma cadência de efeitos ligeiramente inferior, como visto no campo de profundidade ligeiramente menos impressionante. A seu favor, a Xbox One continua a mostrar uma performance ligeiramente melhor.

Ao olhar para a performance, a diferença é incrível. Cenas repletas de acção onde existiam quedas para 20fps ou inferior, agora chegam aos 30fps, ou ficam muito perto nas áreas mais intensas. A PS4 em particular pode tremer um pouco com cenários repletos de alpha, mas é uma incrível melhoria. Os acertos estratégicos que afectam ligeiramente o aspecto do jogo recompensam imenso com uma performance mais suave e com melhor resposta.

Homefront: The Revolution exibe agora uma incrível diferença na performance.

Se a má performance de Homefront: The Revolution te afastou, agora podes voltar - algo que recomendamos. Não temos 30fps fixos mas está perto disso na maioria do tempo, e isto representa uma incrível melhoria na qualidade do jogo, mesmo que o estúdio apenas tenha inferiorizado ligeiramente algumas das funcionalidades visuais mais exigentes.

Com ambas as versões a correr lado a lado, é fácil ver como conseguiram ganhar melhor performance - e também é uma perspectiva única sobre como um pouco mais de estilo visual pode resultar num enorme impacto na performance. Ao revisitar o jogo, a diversão foi muito maior porque não estávamos a lutar com as falhas do motor. Além disso, apesar de terem sido feitos muitos ajustes nos visuais, o seu baixo impacto assegura que continua um jogo visualmente apelativo.

Sobre o Autor

Richard Leadbetter avatar

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Comentários