Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Diablo Immortal arrasado por completo no Metacritic

É um dos piores jogos da Blizzard no agregador.

Quando Diablo Immortal foi finalmente lançado a 2 de junho, milhões de adeptos da série certamente sentiram curiosidade em descobrir o que a Blizzard e a NetEase Games apresentaram após cinco anos de desenvolvimento. No entanto, a curiosidade inicial deu rapidamente lugar à desilusão devido à inacreditável monetização.

Diablo Immortal é um jogo gratuito para iOS, Android e PC, mas os jogadores começaram a fazer as contas e rapidamente perceberam que além de ser um jogo no qual podes "pagar para ganhar" nos elementos PvP, é um jogo no qual podes gastar centenas ou milhares de euros e mesmo assim o teu personagem não fica no máximo possível.

Como seria de esperar, os relatos e vídeos de utilizadores que explicam de que forma investir dinheiro real em Diablo Immortal garante benefícios imediatos, sem esquecer que a fase end-game é toda ela assente na compra de cofres lendários para obter itens lendários que permitem evoluir as personagens, originaram duras críticas.

Uma das formas da comunidade mostrar o quão descontente está com esta fortíssima monetização foi recorrer ao Metacritic (outrora adorado pelas editoras) para inundar a página do jogo com críticas negativas.

O famoso "bombardeamento de críticas negativas" é uma arma usada frequentemente pela comunidade, frequentemente por motivos mesquinhos como guerras de consolas, mas aqui está a servir para expressar o descontentamento com a monetização da Blizzard e da NetEase Games para Diablo Immortal.

Atualmente, Diablo Immortal apresenta 0.8 de média dos utilizadores e somente Warcraft III Reforged (0.6) e World of Warcraft Classic: Burning Crusade Classic (0.4) conseguem apresentar pior nota dos utilizadores, falando de jogos da Blizzard.

Os jogadores criticam especialmente a fase endgame, após a qual investiram centenas de horas divertidas, para descobrirem que ou começam a gastar dinheiro ou a diversão caiu a pique, como se um penhasco tivesse surgido para a engolir.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários