Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Dead Space Remake foi criado como uma imagem contínua

Sem cortes para maior atmosfera.

Dead Space remake da EA Motive foi reconstruído do zero com o Frostbite Engine, sem ecrãs de carregamento e desenhado como uma única imagem contínua sem cortes, explicam Philippe Ducharme e Roman Campos-Oriola

Numa nova mensagem partilhada no site oficial, Phillipe explica que "também criamos todo o jogo como uma só imagem sequencial. A partir do momento em que começas até ao final do jogo, não existem cortes na câmara ou ecrãs de carregamento, a não ser que morras."

"A Ishimura está agora totalmente interconectada, por isso podes caminhar de ponto A a ponto Z, visitar toda a nave e revisitar locais que já completaste para apanhar coisas que deixaste escapar, isso é tudo novo. É agora uma experiência totalmente conectada."

Roman explicou que a equipa melhorou as sequências e movimento nas zonas sem gravidade, para aumentar a imersão e para que sintas que estás mesmo no espaço. Além disso, permitiu revisitar conteúdo antigo e criar novas formas de navegar pelos cenários.

A EA Motive deseja apresentar algo que mantém a essência do original, mas com novidades e melhorias contextualizadas com a atualidade, sem esquecer o desejo de apresentar mais conteúdo. Isto terá apelo para os novatos e para os que já o jogaram, apresentando Dead Space como um jogo moderno.

Dead Space chegará a 27 de janeiro.

Sobre o Autor

Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários