Skip to main content

Stellar Blade | Exclusivo PlayStation 5

Reserva Já - Lançamento a 26 de abril

Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Criador dos Ori diz que jogá-los no Game Pass não ajuda o estúdio

O melhor é sempre comprar os títulos.

Image credit: Moon Studios

Thomas Mahler, criador dos jogos Ori na Moon Studios, que atualmente trabalha em No Rest for the Wicked, deu por si envolvido numa acesa troca de argumentos com seguidores na rede social X, após comentar que jogar os dois títulos Ori através do Game Pass não ajuda a produtora e que a melhor forma de apoiar o estúdio é comprar os jogos na Steam.

Tudo começou com uma mensagem de Mahler na qual agradece as mensagens positivas sobre fãs que querem apoiar a Moon Studios, o que o motivou a escrever que “a melhor forma de o fazer é simplesmente comprar Ori.” Perante a pergunta sobre o porquê de não mencionar a Xbox Store, Mahler mencionou o impacto do serviço.

“Porque depois as pessoas vão buscá-lo ao Game Pass e isso não ajuda a Moon,” escreveu o criador dos jogos Ori. Como seria de esperar, esta resposta despertou imensas reações e Mahler foi questionado se o Game Pass não é bom para as produtoras?

Na sua resposta escreveu que "pode ser? Se és uma pequena produtora e recebes uma comissão adiantada para colocar o teu jogo no Game Pass e explode, isso é fantástico. Apenas destaquei que neste momento a Moon não ganha qualquer dinheiro com as pessoas a jogar Ori no Game Pass, por isso não é a melhor forma de nos apoiar.”

Mahler diz que também os podem comprar na Nintendo Store para a Switch ou na Xbox Store para as consolas Xbox, mas os números mostram que, no caso das consolas Microsoft, a maioria das pessoas não compram jogos que estão no Game Pass.

“Oh, claro, isso também ajudaria. De acordo com os números que estou a ver, a maioria das pessoas não compra jogos que já têm no Game Pass, o que faz sentido.”

No entanto, Mahler avisa que não está a travar uma guerra de consolas e até defende a visão de Phil Spencer da Microsoft Gaming, argumentando que os exclusivos estão a prejudicar a indústria. Mahler sugere mesmo que o melhor é deixar os exclusivos de plataformas e dedicarem-se todas a uma só plataforma e ao invés de lutar por hardware, lutar por quem desenvolve melhor software ao alcance de todos.

Sign in and unlock a world of features

Get access to commenting, newsletters, and more!

Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.
Comentários