Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Criador de Yakuza deixou a Sega para continuar a criar jogos

Não queria ser gestor ou executivo.

Toshihiro Nagoshi, uma das maiores lendas do desenvolvimento de videojogos na Sega, falou finalmente das razões que motivaram a sua saída da companhia onde alcançou fama mundial, especialmente com a série Yakuza.

Em conversa com o alemão 4Players, Nagoshi falou sobre o seu próximo projeto, influenciado por Quentin Tarantino, mas também abordou a sua saída da Sega e como trabalhar em cargos de gestão não é o que imagina para o seu presente ou futuro.

Após 32 anos na Sega, Nagoshi saiu e criou o seu novo estúdio com a chinesa NetEase Games, que lhe permitiu fundar a Nagoshi Studio e trabalhar nos jogos que deseja desenvolver. Mais importante, permitiu-lhe continuar a trabalhar no desenvolvimento de jogos.

"Eu disse ao atual dono, 'Pessoal, eu não quero ser o CEO da Sega aqui. Eu sou um jogador e um criador de jogos, quero continuar a direcionar a minha carreira nesse sentido."

Na Sega, Nagoshi saiu da Ryu Ga Gotoku Studio para se tornar num gestor e o horizonte mostrava que continuaria a seguir nessa direção, algo que simplesmente não queria.

Nagoshi diz que na NetEase voltou a focar-se no desenvolvimento de jogos e que agora a Sega pode focar-se noutra pessoa para o moldar no futuro CEO.

Sobre o Autor
Bruno Galvão avatar

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Comentários