Skip to main content
Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Comissão Europeia investigará o Joy-Con drift da Switch, após mais de 25 mil queixas

Está fora de controlo.

A Organização Europeia do Consumidor decidiu iniciar uma investigação sobre o Joy-Con drift da Nintendo Switch, após receber mais de 25 mil queixas vindas de diversos países.

O grupo apresentou as suas próprias queixas à Comissão Europeia e entidades de proteção dos direitos do consumidor nos países Europeus, com base no que afirma serem "omissões enganadoras de informação essencial para o consumidor" e como quebram as diretivas para as práticas comerciais.

As queixas, vindas de países como Portugal, Noruega, Bélgica, Holanda, Itália, Eslovénia, Eslováquia e Grécia referem problemas com os analógicos dos Joy-Cons na Nintendo Switch e 88% dos casos ocorreram nos primeiros dois anos de uso.

A Comissão Europeia deseja que a Nintendo repare gratuitamente os Joy-Cons, algo que já fez no passado, mas também que passe a informar os seus clientes da vida limita da atual versão dos Joy-Cons.

"Os consumidores presumem que os produtos que compram duram uma quantidade apropriada de tempo de acordo com as expetativas justificadas, para não terem de comprar substitutos caros devido a defeitos técnicos," diz Monique Goyens.

"A Nintendo deve agora criar as soluções devidas para os milhares de consumidores afetados por este problema."

Em Setembro de 2019, a Nintendo foi alvo de um processo legal nos Estados Unidos devido ao Joy-Con drift e anunciou que iria reparar gratuitamente qualquer pedido efetuado pelos consumidores.

Em Junho de 2020, o presidente da companhia, Shuntaro Furukawa, reconheceu mais uma vez a existência do problema e diz que a companhia está sempre a tentar melhorar os seus produtos.

Lê também