Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Cientistas criam jogos com microorganismos

Jogadores influenciam o comportamento.

Um grupo de cientista da Universidade de Stanford, conseguiu desenvolver o que eles acharam por bem chamar de "videojogos bióticos."

As aplicações orgânicas criadas permitem ao jogador interagir e controlar paramécias e outros organismos vivos seguindo processos biológicos básicos e ajudados pela biotecnologia mais avançada do momento.

"O objectivo é que os jogadores se divirtam interagindo, sem seguir o rigor que é necessário na realização de uma experiência," afirmou Riedel-Kruse, professor adjunto do projecto.

Por enquanto os jogos criados são bastante simples tal como explica o cientista.

"Imitámos alguns videojogos clássicos. Por exemplo, criámos um jogo em que o utilizador guia as paramécias para que devorem as bolinhas chamado 'Pac-mecium', e temos também o 'Pinball biótico'," explicou ele.

Estes videojogos são compostos por uma micro câmara de liquido, uma câmara, um microprocessador que controla a pontuação e um controlador semelhante ao das consolas tradicionais.

Podem ver os vários mini-jogos em movimento no vídeo em baixo.

Sobre o Autor

Luís Alves avatar

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Comentários