Skip to main content

China reforça sanções contra gastos nos videojogos

Acaba com incentivos a gastar dinheiro e mais.

Image credit: miHoYo

As autoridades chinesas anunciaram novas medidas para travar o dinheiro gasto e os incentvos a jogar videojogos, o que poderá resultar num forte impacto negativo para as principais companhias que operam no maior mercado do mundo para os videojogos.

As novas regras estabelecem limites para o dinheiro gasto nos jogos, impedem mecânicas que incentivam o jogador a iniciar sessão todos os dias para ganhar prémios, e também vão impedir as criadoras de recompensar quem gasta dinheiro para o incentivar a gastar mais.

Após o anúncio das novas medidas, duas gigantes chinesas registaram duros golpes no seu valor. A Reuters relata que a Tencent Holdings registou uma queda de 16% no seu valor na bolsa, enquanto a NetEase desceu 25%, o que representa uma queda de aproximadamente $80 mil milhões em valor de mercado, apenas nestas duas companhias.

A China está a intensificar o controlo sobre os videojogos online e após colocar restrições no tempo de jogo para menores de 18 anos, suspender a aprovação de novos jogos devido a preocupações com o vício que causam, vai agora combater os incentivos a gastar dinheiro.

Os analistas acreditam que estas medidas serão mais eficazes do que outras apresentadas anteriormente pois vão remover os incentivos a iniciar sessão diária e criar limites máximos para o dinheiro que gastam, e poderão até resultar em mudanças no design dos jogos.

As medidas serão ainda mais fortes para menores de idade pois decretam que os jogos não podem fornecer mecânicas baseadas na sorte a jogadores que ainda não completaram 18 anos de idade.

Lê também