Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Capitão América: Guerra Civil - O melhor filme da Marvel até agora?

São mais de duas horas incríveis para os fãs de super-heróis.
Civil War afasta-se da típica fórmula de filmes de super-heróis.

Este ano promete ser grandioso para os fãs dos filmes de super-heróis e um dos filmes mais aguardados do género já estreou nos cinemas. Estou claro a referir-me a Capitão América: Guerra Civil, que junta no mesmo ecrã uma quantidade absurda de super-heróis, mais até que os filmes dos Avengers. Depois de Batman v Super-Homem que não foi tão bom como podia ter sido e mostrou problemas em lidar com a quantidade de personagens importantes no filme, será que Capitão América: Guerra Civil comete os mesmos erros? A resposta simples é não. Diferente da DC Comics, a Marvel investiu mais cedo no seu universo cinemático e como tal teve tempo suficiente para apresentar as muitas personagens que aparecem em Guerra Civil.

Aliás, apesar da quantidade incrível de super-heróis, apenas dois são completamente novos: Black Panther e Spider-Man. Este último já teve vários filmes, mas agora que a Marvel está a cooperar com a Sony Pictures, a história do aranhiço será contada de novo e este filme foi a sua estreia no universo cinemático da Marvel. Os restantes super-heróis do filme ou tiveram filmes próprios ou já apareceram nos Avengers. Como tal, Guerra Civil é um filme que traz muita bagagem. Se nunca viram nenhum dos filmes anteriores da Marvel, será difícil compreender o que está a acontecer, até porque a base da trama está nos acontecimentos dos filmes anteriores. Por outro lado, se viram os filmes anteriores, a história é fácil de compreender.

Black Panther deixou uma boa impressão para o seu filme em 2018.

O filme é baseado numa saga das bandas desenhadas que envolve uma grande quantidade de super-heróis, muitos mais do que os que aparecem no filme. Todavia, devido às restrições dos direitos (os X-Men estiveram envolvidos na Civil War, mas os direitos dos filmes pertencem à Fox) e e às próprias limitações de transpor uma história desta dimensão para um filme, a Civil War dos cinemas tem uma menor escala. Ainda assim, a existência de um filme como este é impressionante por si só, mas a cereja no topo do bolo é que Civil War é um dos melhores filmes já feitos pela Marvel e que encantará os fãs das bandas desenhadas.

O instigador de Civil War é um acordo elaborado pelos governos de todo o mundo para essencialmente controlar os Avengers. O pretexto são os acontecimentos de filmes anteriores, em que o Avengers, para impedir catástrofes e grandes ameaças, causaram muitos danos em vários locais do mundo. É com este acordo que a equipa de super-heróis fica dividida em duas, de um lado o Capitão América, que se recusa a assinar o acordo, e do outro o Iron Man, que acha que o acordo é para o melhor. A juntar a isto, e tornando a situação mais complicada, temos o envolvimento do Winter Soldier, que antes de ganhar esta alcunha era conhecido como Bucky Barnes, um grande amigo do Capitão América.

O grande trunfo de Civil War é que não é apenas mais um típico filme de Super-Heróis, em que os bons da fita lutam contra um grande vilão. Aqui temos super-heróis contra super-heróis e vemos um lado pessoal de todos eles. É uma luta de ideais em que ninguém está disposto a ceder e que eventualmente resulta numa grande luta entre as duas divisões. Este é o momento alto do filme e onde aparece pela primeira o Spider-Man, que arrasou por completo. O novo Spider-Man (Tom Holland) é juvenil, cómico, nunca está calado, e mostrou ser um bom adversário em combate para os super-heróis da equipa adversária, que foram surpreendidos pelas suas teias e grande agilidade Ainda é cedo para lançar foguetes, mas este poderá ser o melhor Spider-man que já tivemos no cinema. O único senão é que a Tia May é talvez demasiado nova para o papel.

O Spider-Man roubou toda a atenção quando apareceu.

Embora Spider-Man tenha roubado a atenção de todos durante a cena do aeroporto, Chadwick Boseman deixou-nos uma boa impressão no papel de Black Panther, um super-herói de Wakanda (um estado fictício de Africa) que se veste com um fato de pantera e com capacidades que rivalizam com o Capitão América e o Winter Soldier. O envolvimento de Black Panther nesta rivalidade é pessoal (mais do que todos os outros) e aparece em busca de justiça depois de um certo acontecimento no filme, culminando na perseguição da auto-estrada que tantas vezes apareceu nos trailers.

"Civil War passou a perna aos Avengers e tornou-se no melhor filme da Marvel"

Por falar em trailers, este é o maior defeito de Civil War. Se assistiram aos vários trailers e a algumas das publicidades televisivas, já conhecem grande parte dos maiores momentos dos filmes. A culpa não é do filme, mas sim da campanha de marketing abusiva da Marvel. Ainda existem algumas surpresas, mas no fim ficou a sensação que os trailers revelaram demasiado. Também há a questão do vilão (sim, podemos dizer que existe um vilão), que deixa a desejar. Mas por outro lado, o vilão deixa que a rivalidade entre os super-heróis receba todo o destaque durante a maior parte do filme, e é isto que torna Civil War num filme diferente dentro deste género.

Civil War dura quase 2 horas e meia, e apesar das muitas linhas de enredo, prova que consegue gerir bem o tempo de ecrã de cada uma. Além das estreias de Spider-Man e de Black Panther, vimos pela primeira vez Scarlet Witch a combater como uma super-heroína. Embora em Age of Ultron não parecesse, esta é uma das personagens mais poderosas no universo da Marvel. Felizmente, em Civil War a personagem recebeu a devida atenção e faz demonstrações incríveis de poder. Entretanto, Falcon prova ser uma grande ajuda do lado do Capitão América. Embora tenha pouco tempo de ecrã, o Ant-Man tem uma cena de ficar de queixo caído.

Não é um filme perfeito, mas fazer melhor do que isto, conhecendo as limitações que existem num filme destes, era difícil. Civil War passou a perna aos Avengers e tornou-se no melhor filme da Marvel, oferecendo excelentes sequências de acção e embates deliciosos entre super-heróis, e uma história relativamente complexa e bem desenvolvida que mostra aprofunda cada personagem. Enquanto isto, o filme ainda estabelece as bases para dois futuros filmes da Marvel. Pedir mais do que isto seria irrealista.

Marcado com

Sobre o Autor

Jorge Loureiro avatar

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Comentários