Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Bizarre foi demasiado ambiciosa com Activision

Ex-membro diz que havia muita pressão.

Há semanas atrás foi oficializado o encerramento de um dos estúdios mais emblemáticos dos últimos anos, a Bizarre Creations.

Depois de publicarem videojogos em conjunto com a Activision que não conseguiram cumprir com as expectativas tanto a nível de criticas como de vendas, um dos ex-membros do estúdio, Ben Ward, decidiu falar afirmando que a equipa foi demasiado ambiciosa com a Activision.

"Criativamente podemos dizer que fomos demasiado ambiciosos, tivemos uma equipa dedicada ao desenvolvimento multiplataforma pela primeira vez, construindo para além disso uma nova licença para um jogo de condução, enquanto que outra equipa criava um jogo de acção e aventura baseado num dos personagens mais icónicos da história," explicou Ward ao site VG247.

Ward prosseguiu dizendo que, "Ambos os jogos tiveram no geral boas classificações, por isso acho que esse argumento não tem muito peso." O que parece claro é que tendo começado o seu trabalho sob as ordens da Activision deixou-lhes marcas como estúdio independente, uma vez que iniciaram o caminho para adaptarem-se à vida de um estúdio interno de uma grande distribuidora.

"Alguns de nós (onde eu me incluo) tiveram dificuldades em trabalhar com uma distribuidora enorme," disse ele, uma vez que o passo de ser um estúdio independente com a liberdade de decidir o que fazer, para outro que recebe ordens, foi duro.

"Perdemos essa liberdade de dizer aquilo que queríamos, fazer o que queríamos e criar o que queríamos," sublinhou Ward.

"Não culpo a Activision por isso, é assim que as coisas funcionam quanto te transformas numa equipa interna. Certamente que isto afectou o clima que se vivia no estúdio. Para bem ou para o mal, a Bizarre tornou-se numa empresa," concluiu Ward.

Sobre o Autor

Luís Alves avatar

Luís Alves

Colaborador

É o nosso super-homem. Não existe nada que o Luís não saiba e o seu conhecimento da indústria é longo, permitindo-lhe estar sempre à frente de todos. É o homem que nunca dorme.

Comentários