Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Atualização 'next-gen' de Grand Theft Auto 5 é a melhor versão até agora - mas poderia ter sido melhor

Descobre como a versão PS5 se compara à PS4 e PC.

Grand Theft Auto 5 chegou esta semana com uma nova atualização projetada para aproveitar os recursos da nova onda de consolas de jogos. É isso mesmo: estamos a falar de um título lançado pela primeira vez em 2013 na PS3 e Xbox 360 antes de ser reformulado para PC, PlayStation 4 e Xbox One. Com o lançamento desta nova edição premium, o ultra sucesso da Rockstar agora chega à sua terceira geração de hardware de jogos com a promessa de três modos de qualidade, incluindo a adição de recursos de ray tracing acelerado por hardware.

Vamos abordar as comparações entre plataformas num outro artigo (na verdade, só recebemos o código um dia antes do lançamento - e este trabalho demora o seu tempo), e o nosso foco hoje prende-se com aquilo que esta nova versão oferece em comparação às outras versões existentes do jogo. Se vens da experiência de consolas da geração passada, que tipo de atualizações vais receber? E se já jogaste a versão para PC abundantemente escalável de GTA 5, será que as novas versões podem ser comparadas à experiência maximizada? Para os nossos testes, concentramo-nos na versão do jogo para a PlayStation 5, e descobrimos que o novo hardware oferece uma experiência de utilizador muito melhorada antes mesmo de começares a jogar!

Não estou a falar apenas em loadings, mas também de instalação. Depois de descarregar GTA 5 na PS4, descobri que era necessário um período de instalação extra, que levou mais de uma hora (!). Há muito menos atrito na PS5 - basta pressionar play e estás direto nos vídeos introdutórios e, a partir daí, nos menus de 60fps. Menus com taxa de fotogramas completos pode não parecer surpreendente, mas vale a pena notar que correm a 30fps nas consolas da geração passada e até na versão PC. Logins no Rockstar Social Club existem (podem ser ignorados pelo jogador), mas passar do menu para o modo história leva cerca de 20 segundos - muito mais rápido do que a PS4, onde o mesmo processo leva dois minutos e oito segundos no meu sistema.

Análise técnica em vídeo do Digital Foundry da nova atualização de 'próxima geração' para Grand Theft Auto 5, testada na PlayStation 5.

Três modos de renderização foram disponibilizados: fidelidade a 4K30; desempenho a 1440p60; desempenho RT, também a 1440p60. Estes modos com taxas de fotogramas mais altas são uma melhoria dramática em relação às versões da geração passada do jogo, limitadas a 30fps. Obviamente, há mais feedback visual mas a taxa de de fotogramas melhorada também mitiga problemas persistentes em GTA5 - input lag muito alto. Voltando ao jogo nos dias de hoje, é inaceitavelmente alto e quase insuportável nos modos de 60fps.

Não só isso, mas em comparação com a versão para PC, a Rockstar melhorou a implementação dos 60fps. Embora 60fps fosse facilmente alcançável no PC, havia problemas: a animação de personagens não estava a ser executada a 60fps, mesmo quando o renderizador estava, enquanto as movimentações da câmara também travavam. Nas novas versões de consola, o movimento das personagens é muito melhor, mas ainda tenho a sensação de que o movimento da câmara nas cutscenes poderia ser melhor - e ainda não me parece 60fps perfeitos. É uma melhoria, mas não totalmente perfeita: os efeitos de pano ainda correm a uma taxa de fotogramas mais baixa juntamente com outras animações acidentais. Ainda assim, esta é uma melhoria em relação ao PC e uma diferença da noite para o dia em comparação com os consolas da geração passada.

Além dessa fluidez aprimorada estão as mudanças no processamento de imagens. Na versão da geração passado, o motion blur era baseado na câmara, com um uso pouco frequente de desfoque por objeto no modo de primeira pessoa. Na nova versão, o motion blur por objeto é aplicado universalmente em todo o jogo. É subtil a 60fps e mais percetível no modo de fidelidade a 30fps, que parece muito melhorado em comparação com o jogo da geração passada a correr com a mesma taxa de fotogramas.

Outro aspeto dessa nova sensação de suavidade deve-se às melhorias na qualidade da imagem. De volta à PlayStation 4, o jogo corre a 1080p com um simples efeito anti-aliasing pós-processamento semelhante ao FXAA, típico para o período de lançamento, mas exibindo muito shimmer, pontilhado e outros problemas de estabilidade. O PC introduziu o MSAA e uma solução temporal da Nvidia conhecida como TXAA, mantendo o FXAA apenas se o quisesses. Poderias melhorar a qualidade da imagem da consola no PC, mas os custos para fazer isso em termos de renderização eram significativos. As novas versões introduzem uma solução de anti-aliasing temporal mais alinhada com a tecnologia atual, semelhante a Red Dead Redemption 2. Shimmer, pontilhado e ruído foram significativamente reduzidos ao ponto de, em alguns aspetos, GTA5 a 1440p na PS5 parece preferível à versão PC a 4K nativo.

PlayStation 4
PlayStation 5 Performance Mode
PlayStation 5 Performance RT Mode
PlayStation 5 Fidelity Mode
PC 4K Maxed
As sombras ray traced encontradas em dois modos na nova versão de GTA 5 aumentam o realismo e corrigem muitos problemas típicos do mapa de sombras.
PlayStation 4
PlayStation 5 Performance RT Mode
PlayStation 5 Fidelity Mode
PC 4K Maxed
A nova versão adiciona um belo e subtil desfoque por objeto, aumentando a fluidez extra encontrada na nova versão do jogo.
PlayStation 4
PlayStation 5 Performance RT Mode
PlayStation 5 Fidelity Mode
PC 4K Maxed
Anti-aliasing temporal moderno (TAA) também foi adicionado, limpando a imagem muito além da versão original do PC (mesmo a correr no máximo).
PlayStation 4
PlayStation 5 Performance RT Mode
PlayStation 5 Fidelity Mode
PC 4K Maxed
Nem tudo foi melhorado. A folhagem aprimorada é limitada ao modo de fidelidade 4K30 e a draw distance geométrica é a mesma da PlayStation 4 em todos os modos.

Então, qual dos três modos de qualidade deves usar? O modo de fidelidade está comprometido devido ao aumento de input lag - e das duas ofertas de desempenho, é o modo com ray tracing que recomendo. RT é implementado apenas em sombras, mais especificamente em sombras projetadas pelo sol (as sombras internas são mapas de sombra padrão - embora de qualidade superior, com filtragem decente). As sombras RT reduzem significativamente os problemas de artefactos, eliminam os pontos de corte notórios encontrados em cascatas de sombras onde uma sombra de alta qualidade muda para uma qualidade muito inferior a curta distância e, mais importante, as propriedades das sombras na vida real são renderizadas com mais precisão. As sombras de pequenos detalhes são mantidas onde muitas vezes desaparecem com mapas de sombras, o chamado efeito Peter Pan. Este termo descreve como a luz se filtra através dos objetos, pois a área de contacto não pode ser renderizada corretamente.

As sombras ray traced não têm esse problema e, mais do que isso, exibem com precisão a suavização da sombra: quanto mais distante a sombra estiver do objeto que a projeta, mais difuso será o efeito. Curiosamente, a versão para PC tem sombras Nvidia PCSS - uma tentativa de simular esse efeito - mas é exatamente isso: uma tentativa. Era bom para a época, mas o RT faz o trabalho corretamente. As sombras RT parecem boas, mas não são executadas em resolução máxima, o que pode resultar nalgumas falhas. O modo de fidelidade não elimina esses problemas - em vez disso, torna as sombras um toque mais precisas para o pixel devido à resolução de saída mais alta.

Até agora, o novo Grand Theft Auto 5 impressiona em vários níveis, mas ainda há vários aspetos da apresentação em que gostaria de ver melhorias - talvez bagagem herdada das versões mais antigas do jogo. Começamos com filtragem anisotrópica, que se parece muito com a versão de consolas da geração passada - melhorada apenas por causa da resolução mais alta. Depois, temos o nível geral de detalhe e a draw distance - antigamente, havia muita controvérsia de que a PS4 tinha mais erva do que a versão Xbox One, que a versão PC elevou para o próximo nível. Nos seus modos de 60fps, a nova versão de GTA5 usa a mesma predefinição de alta densidade de relva usada pela PlayStation 4 - visivelmente inferior à muito alta ou ultra do PC. Isso talvez não seja surpreendente, considerando que o efeito é intensivo em recursos.

É um pouco curto, mas o trailer de lançamento da nova versão do jogo não é mau de todo!

O nível de detalhe da geometria também não mostra nenhuma melhoria real em comparação com a PlayStation 4 enquanto que, olhando para longe no PC, podemos ver um mundo aberto muito mais rico. A única forma de melhorar o nível de detalhe é usar o modo de fidelidade, baixando a taxa de fotogramas para 3-30fps. Fazer isso eleva a erva para um nível mais alto mas, infelizmente, não afeta o nível de detalhe à distância da geometria opaca, que parece ser o mesmo. Além disso, as mudanças em relação às versões mais antigas são poucas - estamos a falar de diferenças menores como efeitos de fogo renovados ou a forma como a profundidade de campo já não se torna praticamente invisível em definições mais altas como no PC, mas estes são detalhes incidentais.

A PlayStation 5 recebeu algumas atualizações para o comando DualSense, mas não as descreveria como sendo algo inteiramente inovador: conduzir causa alguma tensão nos gatilhos e hápticos são usados ​​para causar pequenos tremores no comando com base nas condições de condução na estrada, juntamente com outros efeitos pequenos mas bem-vindos. Na verdade, são coisas padrão, mas é sempre bom ver que foram adicionadas para quem gosta delas.

Tecnicamente, acho que o novo Grand Theft Auto 5 é a versão preferida do jogo - uma grande melhoria em relação à versão da era PS4/Xbox One e melhor em muitos aspetos do que o jogo para PC também. Isso deve-se a aspetos como o aumento da fluidez via motion blur e as cinemáticas corrigidas, além da inclusão de anti-aliasing temporal que limpa muitos dos problemas de qualidade de imagem herdados. Sim, faltam recursos visuais da versão PC nesta nova versão - mas crucialmente, além do LOD à distância, eles não tendem a ser notados no gameplay geral do jogo. Em última análise, há a sensação de que a Rockstar poderia ter feito um esforço maior para entregar mais - por isso, não esperes uma atualização a par de algo como Metro Exodus Enhanced Edition. Em termos de atualizações de 'próxima geração', o que estamos efetivamente a obter aqui é a atualização obrigatória de 60 fps, um toque de RT e um punhado de refinamentos agradáveis.

Sobre o Autor

Alex Battaglia avatar

Alex Battaglia

Video Producer, Digital Foundry

Ray-tracing radical, Turok technophile, Crysis cultist and motion-blur menace. When not doing Digital Foundry things, he can be found strolling through Berlin examining the city for rendering artefacts.

Comentários

More Face-offs

Artigos mais recentes