Skip to main content
Se clicares num link e fizeres uma compra, poderemos receber uma pequena comissão. Lê a nossa política editorial.

Atomic Heart - Xbox Series vs PS5 vs PC

Qual será a melhor versão?

Atomic Heart já se encontra disponível em todas as plataformas, PS5, PS4, Xbox Series X|S, Xbox One e PC. De referir que está incluído no Game Pass da Microsoft, para quem for subscritor do serviço.

Trazemos agora até vocês um vídeo do canal ElAnalistaDeBits, onde são comparadas quatro versões do título da Mundfish, vídeo esse que faz uma análise a vários aspetos, como os visuais, desempenho, tempos de carregamento e resoluções.

Quanto às resoluções, no PC são as que o jogador desejar, depende sempre da sua máquina e monitor. Na Xbox Series X e PS5 temos 4K60fps dinâmicos (2160p nos interiores e 1800p a 1620p nas secções exteriores). Na máquina menos potente da Microsoft temos uma resolução mais modesta, 1080p60fps dinâmicos (1080p interiores e 900p exterior).

Em termos de qualidade, o PC leva a vantagem, com superior distância de desenho, melhor qualidade das sombras, texturas, filtragem anisotrópica, efeitos de pós-processamento e densidade da vegetação.

Nas consolas, a Xbox Series X e PS5 são praticamente idênticas, é mesmo difícil de as diferenciar, seja a nível visual como em desempenho. Ambas as máquinas conseguem manter uns 60fps sólidos, com apenas ocasionais quedas. Há uma referência para problemas nas cinemáticas nas consolas, em determinados momentos passam a ser produzidas a 30fps.

A Xbox Series S está com problemas de desempenho, tem sérias dificuldades em manter os 60fps nas zonas exteriores. As coisas melhoram bastante nas partes do jogo que ocorrem no interior.

Na descrição do vídeo também é mencionado que todas as versões sofrem de alguns problemas de framerate nas animações dos inimigos.

Quanto aos tempos de carregamento, o PC ganha a corrida, seguido pela PS5 e posteriormente pelas consolas Xbox Series X|S.

Nós aqui já temos a nossa análise a Atomic Heart, o titulo da Mundfish ficou Sem Selo.

"Compreende-se que este é o primeiro jogo da Mundfish, mas há falta de ligação nos ritmos de jogo e de como as coisas evoluem. A narrativa torna-se uma nota de rodapé e até me afastou do que eu realmente ali estava a fazer. Apesar de alguns bons momentos e de coisas bem apresentadas, algumas vindas de outros jogos referidos ao longo da análise, não consegue sobressair quando tudo é somado. Há muita reciclagem em toda esta jornada, demasiados puzzles e demasiadas vezes a fazer sempre o mesmo. Poderia salvar-se pela narrativa, mas a reviravolta final não tem o impacto necessário. Segue uma linha carente de importância, um confronto global passa para algo tão pequeno e limitado a uma singularidade."

Ver no Youtube

Lê também