Resident Evil 5

Devolver ao rei o trono que é seu.

Se não me conhece-se a mim mesmo, quase que diria que tenho uma paixão pela Capcom. Vários dos jogos e séries que mais adoro pertencem a esta companhia e desde cedo aprendi que com grande potencial e fama vem grande responsabilidade.

Resident Evil parece pronto para voltar com uma força quase tão grande quanto a coragem que Chris Redfield revela ao enfrentar os zombies mais terríveis alguma vez vistos. Esta não é uma série qualquer e a Capcom está apostada em provar isso mesmo. A nova geração e o poder que oferece, são desculpas usadas vezes demais e não basta simplesmente recorrer ao poder tecnológico, é preciso haver poder criativo e a capacidade de realmente criar algo que vá mais além.

Como seria de esperar, a Capcom pegou nos vários aspectos que tornaram aquele que foi considerado como o renascer da série num dos melhores jogos da anterior geração, falamos de Resident Evil 4, e trouxe-os de volta. Estes elementos inspiraram os mais variados jogos de acção na terceira pessoa lançados desde então, e agora estão de regresso à série que os apresentou pela primeira vez.

1

Desde logo temos a camera que nos dá uma perspectiva sobre o ombro do personagem. Graças a esta perspectiva, o jogador ganha uma boa visão sobre os acontecimentos e quando chega a hora de usar as armas, a transição automática para uma perspectiva mas aproximada é tanto intuitiva como prática. Foi um dos grandes trunfos do anterior e está de regresso para continuar a permitir a ostentação de dinamismo equacionado pela acessibilidade e pelo desempenho visual.

Sobre outros aspectos da jogabilidade, parece que estamos perante um resultado bastante próximo do que foi visto no anterior. O personagem move-se de uma maneira bastante similar e todos os movimentos parecem lembrar a prestação de Leon no anterior. Em certa medida quase que fica a impressão que a Capcom pouco parece querer mudar, recuperando as características mais aclamadas mas levando o desafio a um novo nível.

Resident Evil 5 irá levar o jogador até ao continente Africano, assumindo o papel de Chris Redfield que se encontra numa investigação. As cores e elementos que compõe os cenários, como casas e vegetação, expressam bem o local onde Chris se encontra. Um lugar solarengo, onde uma falsa tranquilidade reina. Por pouco tempo, pois não tarda vemos Chris a enfrentar uma multidão enfurecida.

Visualmente estamos perante um resultado bastante interessante, e apesar de pouco ter sido revelado a expectativa é elevada. As personagens são dotadas de grande detalhe e a atenção aos pormenores parece enorme. Desde as faces impressionantes às vestes envergadas, Resident Evil 5 parece ter argumentos para se assumir como um dos jogos melhores jogos visualmente desta geração.

É impressionante como uma simples cara ou um simples ângulo de visão sobre um local nos consegue transmitir aquela sensação de desconforto de que tanto um jogo destes precisa.

Salta para os comentários (2)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Digital Foundry | Melhores SSD para a PS5 em 2021

As especificações exigidas pela Sony e as nossas unidades recomendadas.

Halo Infinite poderá ter modo Battle Royale

Ficheiro de áudio na beta assim sugere.

Artigo | Os grandes lançamentos de Agosto

Hades, Ghost of Tsushima, Rims Racing, Psychonauts 2 e mais.

Também no site...

Tales of Arise dura cerca de 50 horas

Equipa usa Berseria como referência.

GTA 5 acima dos 150 milhões de unidades vendidas

Red Dead Redemption 2 acima dos 38 milhões de unidades vendidas.

Halo Infinite poderá ter modo Battle Royale

Ficheiro de áudio na beta assim sugere.

Comentários (2)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários