Rage

Será este o fim do mundo?

A id Software é uma das mais conceituadas produtoras de videojogos. No seu curriculum temos títulos como Doom, Quake e Wolfenstien. Conhecida também por apenas lançar os seus títulos quando estes estão acabados, esta é sem dúvida uma das software houses com maior nome na indústria.

Rage é um título que cedo captou a atenção da experiente comunidade seguidora dos produtos da id. Se inicialmente pouco se sabia, agora com a apresentação na gamescom em Colónia muitas dúvidas foram dissipadas. Estamos perante um jogo que traz desde logo à minha mente o fantástico Fallout 3.

As semelhanças com o título da Bethesda começam logo pelo ambiente pós-apocalíptico que estes títulos apresentam. É claro que em Rage estamos perante um visual bem mais rico no que toca à paleta de cores utilizada. O jogo da id é muito mais apelativo para os nossos olhos, possuindo um grafismo onde predominam paisagens devastadas, desérticas e com um aspecto seco e sofrível. Quem viu o filme Mad Max 2 irá encontrar brutais semelhanças com este jogo.

Foi durante uma demonstração realizada por Matt Hooper, Lead Designer da id, e Tim Willits, Creative Director da id, que tive a oportunidade de ver bem o que este jogo tem para oferecer. Eles disseram logo desde o início da apresentação que Rage é principalmente um shooter e que o jogo demonstra bem todo o historial e experiência que a produtora tem em títulos deste género.

1
Corridas ao estilo de MotorStorm.

Em Rage somos um sobrevivente de uma catástrofe que dizimou quase toda a humanidade. Percorremos livremente um mundo infestado de mutantes onde apenas algumas localidades conseguem sobreviver nas condições adversas a que o planeta ficou mergulhado.

Na demonstração que foi apresentada, tive a oportunidade de ver duas partes completamente distintas. Inicialmente o personagem entrou dentro de um buggy para se deslocar a uma localidade que se encontrava na vizinhança. No percurso fomos abordados por outros veículos que tentavam travar o nosso avanço, disparavam contra nós e nós ripostamos.

Esta parte do jogo foi algo estranha pois o controlo do veículo não pareceu ser o melhor. Notou-se alguma falta de física e de uma maior dureza nos movimentos do Buggy. Parecia que estava um pouco deslocada do resto do jogo, principalmente quando se chegou à localidade para onde nos dirigíamos, pois ao sair do veículo passamos para um verdadeiro FPS.

Também esta localidade faz lembrar muito o jogo da Bethesda. Temos vários locais para visitar. Temos bares, lojas, garagens e muito mais. É nestes locais que vamos encontrar as missões que teremos que completar, tudo ao bom género de um RPG de acção.

É também nesta localidade que vislumbrei o impressionante grafismo que Rage ostenta. Os edifícios possuem muitos detalhes, com sinais evidentes de destruição e desgaste. Temos os caminhos cheios de objectos que dão um ar bem real ao cenário que estamos a presenciar. Muito bons também estão os interiores, ao entrar num bar não pude deixar de ficar surpreendido com a qualidade do seu detalhe e das animações dos personagens. De referir que o jogo corria com uma fluidez impressionante, a uns fantásticos 60 fps.

Salta para os comentários (14)

Sobre o Autor

Adolfo Soares

Adolfo Soares

Director

É o nosso homem do PC, por isso qualquer coisa é com ele. É também responsável pelo Eurogamer, bem como dá uma perna nas notícias.

Conteúdos relacionados

Microsoft faz questão de esclarecer que a Xbox ganha dinheiro

Apenas perdem com a venda de consolas, mas recuperam com os jogos e serviços.

Elon Musk torna-se Wario em programa de comédia

Um dos homens mais ricos do mundo apresentou o Saturday Night Live.

Dragon Ball Super terá novo filme em 2022

Akira Toriyama fala numa personagem inesperada e estética visual arrojada.

Também no site...

Microsoft faz questão de esclarecer que a Xbox ganha dinheiro

Apenas perdem com a venda de consolas, mas recuperam com os jogos e serviços.

Elon Musk torna-se Wario em programa de comédia

Um dos homens mais ricos do mundo apresentou o Saturday Night Live.

SEGA não confirma Lost Judgment para PC

Não tem nada para anunciar por enquanto.

Dragon Ball Super terá novo filme em 2022

Akira Toriyama fala numa personagem inesperada e estética visual arrojada.

Designer de Metroid Prime não acredita na Trilogia na Switch

Seria um esforço hercúleo converter o terceiro jogo.

Comentários (14)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários