O porquê de Natal não vir a ser lançado com a 'Xbox Plus'

Então, e que tal a intrigante noção de que a Microsoft se prepara para lançar uma versão 1.5 do hardware Xbox 360 com o lançamento da câmara em 3D Project Natal no final de 2010? Quando uma organização como a 1UP começa a falar nisto, os sentidos-aranha em todo o globo começam a vibrar. Bem, consultando as minhas fontes durante o fim de semana - pessoas com alta probabilidade de saberem o que se passa nos mais altos níveis da divisão de videojogos da Microsoft, a história parecer ser um monte de ar quente. Ou talvez, mais provavelmente, o resultado final de sussurros Chineses.

Enquanto a minha principal fonte não entrou em quaisquer detalhes específicos sobre o lançamento do Natal para além de desmentir esta história, quanto mais pensas no conceito da Xbox Plus/Natal, o menos credível parece. O facto é que uma melhorada Xbox 360 é altamente improvável simplesmente porque a tecnologia não requer de nenhum do poder de processamento da consola se altere através dos dados adquiridos pela câmara 3D. Enquanto que a Microsoft reclama crédito por todo o design do Natal, o componente chave - o "cérebro" da câmara - parece na verdade ser original da companhia Israelita, PrimeSense, sendo a própria Microsoft responsável pelas ópticas e pelo software. É tudo parte de uma estratégia que a Microsoft tem internamente que irá ver um controlo por gestos ao estilo de Minority Report, tornar o interface de nova geração entre homem e máquina, o maior sucessor do ecrã táctil, colocado num vasto leque de aparelhos - e claro totalmente suportado pelo sistema operativo Windows.

Independentemente, o objectivo é que todas as coisas realmente inteligentes que o Natal faz sejam efectuadas internamente, com os dados então fluídos para a 360 via USB. Se, como a noticia 1UP sugere, a actualização 360 apenas vai oferecer uma quantidade mínima de poder extra, então a questão certamente será, qual é o interesse disso? Porquê ir ao ponto de conceber novíssimo silicone, arriscando incompatibilidades com o actual modelo, apenas por essa quantidade extra de sumo? Porquê incomodar programadores com uma nova arquitectura com tão mínimos ganhos? E num mercado onde guiar para baixo preço da tua consola é chave, porquê introduzir essa despesa extra?

Se os argumentos de processamento e fabrico não são suficiente, então vamos considerar o ângulo de marcado básico. A Microsoft estaria em perigo de fragmentar a sua audiência com o lançamento do seu produto mais inovador em anos. A firma já apresentou os seus termos básicos que o Natal funciona com qualquer 360 já no mercado; a onda massiva de RP negativo que seguiria as noticias que o Natal funciona melhor se comprares uma nova consola iriam completamente deixar nas sombras o lançamento.

O que posso ver a acontecer é que o Natal vai formar as bases de um relançamento de meia-idade para a Xbox 360, talvez uma nova skin. Por volta de 2010, a 360 vai ser um aparelho de baixo poder (relativamente falando, mesmo comparado à unidade Jasper de hoje) correndo com uma combinação de CPU e núcleo de gráficos num único. Isto por sua vez significa uma motherboard mais pequena, e uma assembleia mais modesta de cooling, significando uma unidade mais pequena. A máquina vai potencialmente ser pequena o suficiente, bonita o suficiente, e com esperança sossegada o suficiente para apelar a novos públicos enquanto mantém as mesmas capacidades da actual consola. Certamente, as poupanças de custo da mudança para a nova, mais pequena, mais barata Xbox vai ajudar a contra-balançar o custo de um bundle com o Natal. Mas quaisquer reais mudanças ao hardware a as suas capacidades vão ser mínimas - juntamente com algo nas linhas da inclusão da flash RAM que foi introduzida na revisão Jasper da 360.

Por isso nesse sentido, a história tem algo de verdadeiro, mas qualquer verdadeira nova iteração da Xbox 360 vai requerer um preço de nível premium. Para ter qualquer possibilidade de atingir o mainstream, o preço é a chave, como a Wii demonstrou. No caso do Natal, a Microsoft vai fazer tudo no seu poder para fazer a tecnologia, seja num bundle com a consola 360 ou não, o mais barato possível

Publicidade

Salta para os comentários (0)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (0)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários