Playstation Move

Entrevista a Richard Marks em Lisboa.

A cerca de dois meses do lançamento do Playstation Move, o novo periférico para a Playstation 3, Richard Marks - um dos investigadores seniores da equipa de investigação e desenvolvimento da Sony Computer Entertainment - deslocou-se a Portugal. Num evento organizado pela Sony Portugal, colocámos algumas perguntas a um dos homens responsáveis pela criação do novo comando. Dr. Marks trabalha para a Sony desde 1999, e foi instrumental no desenvolvimento da tecnologia do EyeToy. A sua posição de responsabilidade no desenvolvimento do Playstation Eye e do Move dotam-no de um conhecimento aprofundado sobre esta nova aposta da Sony.

Aproveitámos também a ocasião para averiguar com Sandra Páscoa, gestora de produto Sony, as perspectivas deste produto para o nosso mercado. Ainda antes desta entrevista tivemos oportunidade de ver e experimentar as potencialidades do Move, cujas capacidades passam não só pela detecção da movimentação do comando mas também do seu posicionamento no espaço. Estas funcionalidades abrem inúmeras possibilidades de utilização, seja como alternativa aos métodos de controlo tradicionais, seja por permitir novas formas de interagir com os jogos.

2
Marks de Move em riste.

Eurogamer Portugal: De futuro providenciarão suporte directo às outras equipas de desenvolvimento que trabalhem com o Move?

Richard Marks: Damos suporte quando uma equipa está a fazer algo novo e diferente com o Move, quando é uma experiência ou mecânica de jogo que já tenha sido feita anteriormente, não é necessário darmos qualquer suporte directo. O nosso grupo de apoio ao desenvolvimento presta auxílio a todas as equipas, mas só quando se está a fazer algo de novo e diferente é que a minha equipa entra no processo.

Eurogamer Portugal: O Move é produto de vários anos de trabalho do vosso estúdio, o que se segue para o grupo?

Richard Marks: Bom, na verdade, o objectivo do nosso grupo é criar novas experiências para o utilizador. Portanto quando é necessário um novo hardware para o permitir, ele é criado. Mas se não é necessário, tentamos obter o mais possível do hardware existente, e há ainda muita coisa que pensamos poder alcançar com o Move e o PS Eye. Podemos melhorar o processamento de vídeo do PS Eye, desenvolver as possibilidades do microfone que está embutido na câmara, por exemplo para comandos por voz. Explorar as potencialidades a nível de software que o hardware permite.

Eurogamer Portugal: O EyeToy teve sucesso principalmente no continente Europeu mas não tanto na América. Qual a sua opinião quanto à globalidade do sucesso do Move no futuro?

Richard Marks: Penso que o Move conseguirá apelar a nível mundial. Os americanos – especialmente a nível do seu departamento de marketing – estão muito emocionados com o prospecto do Move, principalmente pela possibilidade que proporciona de experiências mais casuais em conjunto com as mais habituais trazidas pelo comando.

Eurogamer Portugal: Como compara as capacidades do Move com as da concorrência?

Publicidade

Conteúdos relacionados

Revelados os Melhores Jogos da Década de acordo com o Metacritic

Super Mario Galaxy 2 e Zelda: Breath of the Wild lideram.

State of Play anunciada para 10 de Dezembro

Será que Jill e Carlos foram convidados?

Gears 5 condecorado pela Famitsu

The Coalition recebeu o prémio de Platina.

Também no site...

Comentários (24)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários