New Pokémon Snap review - EGTV vida selvagem

Pokegramável.

Um jogo de tirar fotografias engraçado, colorido e relaxante, mas só tinha a ganhar se expandisse o conceito para mundo aberto.

New Pokémon Snap é mais um exemplo de um jogo desta adorada saga que mostra uma terrível resistência à evolução. A recuperação desta propriedade aliada à Nintendo Switch era a oportunidade ideal para levar Pokémon Snap para novos horizontes expandindo largamente a fórmula comparativamente ao título original da Nintendo 64, mas em vez disso o que temos é uma proposta que joga pelo seguro, de escassa ambição. Provavelmente até é propositado, a nostalgia é um factor poderoso e que tem resultado muito bem para a série Pokémon, basta olhar para os resultados comerciais de Pokémon Let's Go e posteriormente de Sword e Shield. Mas não estou aqui para analisar vendas, até porque não acredito que o sucesso de um jogo seja necessariamente proporcional à sua qualidade.

Se nunca jogaste o original da Nintendo 64 - já lá vão mais de 22 anos desde o lançamento - Pokémon Snap é basicamente o equivalente a um safari turístico para tirar fotografias de animais selvagens. A diferença aqui é que não tens animais, tens Pokémon nos seus habitats naturais. Para quem está habituado aos jogos da linha principal, que no fundo se resumem a capturar Pokémon e a combater com eles, é uma agradável fuga à rotina do costume. Circular por entre habitats selvagens e poder testemunhar Pokémon de uma forma que nos outros jogos não podes é sensação positiva, de relaxamento, já para não falar que tentar capturar os melhores momentos com fotografias é muito divertido.

New Pokémon Snap é um jogo on-rails

O maior pecado de New Pokémon Snap é adoptar novamente a fórmula on-rails do original. Na Nintendo 64 era compreensível que um jogo em mundo aberto fosse complicado de realizar devido às limitações tecnológicas, mas com a Nintendo Switch não há realmente uma desculpa plausível. Mesmo que não fosse um grande mundo aberto, pelo menos poderia haver a opção de controlar livremente o Neo-One (a cápsula na qual viajemos pelos diferentes cenários). Assim sendo, o percurso pelos cenários é quase sempre igual, com excepção de pequenas rotas alternativas que podes desbloquear depois de subires o nível do cenário (e isto consiste em repetir várias vezes o mesmo cenário, o que eventualmente torna-se um pouco aborrecido).

A repetição dos percursos é altamente encorajada por várias razões. A primeira razão acabei de referir: aumentar o nível dos cenários, o que desbloqueia pequenas rotas alternativas e adiciona mais Pokémon para observares e tirares fotos. Em segundo lugar, sendo este um jogo de tirar fotografias, podes tentar capturar melhores fotografias do que as anteriores - e esta é a grande piada do jogo. Há momentos que são difíceis de fotografar devido à rapidez dos Pokémon; noutros momentos é difícil de arranjar o melhor ângulo. Quando a fotografia sai finalmente como queremos, é realmente entusiasmante! O jogo desperta curiosidade e rapidamente vais estar obcecado em conseguires tirar fotografias a momentos raros.

"Mesmo que não fosse um grande mundo aberto, pelo menos poderia haver a opção de controlar livremente o Neo-One"

A nossa câmera é um tanto limitada. Podes tirar fotografias com ou sem zoom, mas não podes controlar o nível de zoom. Isto limita bastante o enquadramento das fotografias. Faz parte do desafio do jogo tentar tirar as melhores fotografias com as ferramentas disponíveis, mas num mundo em que os smartphones têm várias lentes - como as grande angulares - New Pokémon Snap faz-te sentir que estás a segurar uma câmera pré-histórica. Pelo menos, há outras ferramentas além da câmera que podes utilizar para capturar os melhores momentos. Podes atirar uma maçã para chamar a atenção dos Pokémon, reproduzir uma pequena melodia que coloca certos Pokémon a dançar, fazer um scan ou lançar uma Illumina Orb para colocares um Pokémon a brilhar.

A narrativa vai desbloqueando novos cenários

O objectivo de New Pokémon Snap é capturá-los a todos com a lente da tua câmera. No início do jogo recebes a Photodéx do Professor Mirror e à medida que vais progredindo novos cenários serão desbloqueados. Novos cenários significa diferentes tipos de Pokémon para fotografar. No total existem 11 ambientes diferentes, desde florestas, desertos, vulcões, grutas, recifes subaquáticos e planícies geladas. Depois, dentro de cada cenário, existem diferentes percursos, geralmente há sempre um percurso de dia e outro de noite (que normalmente é desbloqueado depois de atingires o nível 2 no percurso de dia). Há uma boa variedade e nota-se que houve esforço para esconder surpresas ou segredos dentro de cada percurso. Ou seja, apesar da linearidade, é impossível conseguires descobrir tudo da primeira vez.

new_pokemon_snap_review_2
O principal desafio de New Pokémon Snap é ser rápido o suficiente para capturar os melhores momentos.

Cada Pokémon da Photodéx tem direito a quatro fotografias, cada espaço simbolizado por estrelas (de 1 a 4 estrelas). As estrelas significam diferentes momentos que tens de captura de um Pokémon. Há momentos realmente difíceis de capturar, que requerem um olhar atento, uma interacção específica da tua parte ou então que tenhas atingido um nível superior naquele percurso (os Pokémon podem aparecer em locais ligeiramente diferentes, e com comportamentos que não tinhas visto na versão de nível 1 do percurso). Embora seja fácil chegar a nível 2 num percurso, os níveis seguintes já requerem algum grinding e é nestes momentos que a repetitividade pode começar a aparecer.

Escolhe as melhores fotos para o Professor Mirror avaliar

Terminado um percurso, há que escolher as melhores fotografias para serem avaliadas pelo Professor Mirror. A classificação, mediante o enquadramento, tamanho do Pokémon e pose na foto, e presença de Pokémon adicionais, pode ir desde bronze até diamante. O que é chato é que apenas podes seleccionar uma fotografia por cada Pokémon, e se tiveres capturado diferentes momentos (repara naquilo que referi dos espaços na Photodéx) do mesmo Pokémon, apenas podes seleccionar um e terás que descartar os restantes. Por outras palavras, esta limitação obriga-te a repetir ainda mais vezes os percursos. Pelo menos, no final podes salvar para o teu álbum todas as fotografias que quiseres, incluindo aquelas que não foram seleccionadas para avaliação pelo Professor Mirror.

"O que é chato é que apenas podes seleccionar uma fotografia por cada Pokémon"

As fotografias guardadas podem ser depois editadas com molduras, stickers e filtros, ideal se quiseres partilhá-las nas redes sociais. O que é lamentável é que todas as funcionalidades online estão bloqueadas pelo Nintendo Switch Online. New Pokémon Snap não tem qualquer elemento de multijogador, mas ainda assim as funcionalidades online - desde o upload de fotografias para redes sociais até à visualização de fotos de outros jogadores - requerem subscrição ao serviço online da Nintendo. Francamente, não estava à espera disto. Parece-me uma restrição demasiado agressiva, bloqueando até uma funcionalidade que considero básica e essencial: o upload de fotografias para as redes sociais.

Uma experiência agradável, mas que podia ir mais longe

Não tenho dúvidas que a grande maioria dos fãs de Pokémon vão gostar de New Pokémon Snap. É um jogo relaxante, carismático e cheio de momentos engraçados graças ao carisma natural dos Pokémon que vais encontrar. Apesar das suas qualidades, tenho claro que também podia ir muito mais longe. O jogo ganharia outra dimensão se não fosse on-rails, possibilitando mais exploração e oportunidade para tirar fotografias. Neste formato, o jogo parece mais uma visita a um jardim zoológico sem barreiras do que propriamente um safari selvagem. Para um jogo de tirar fotografias esperava mais opções na câmera. Não podemos sequer controlar o nível de zoom (e já nem vou falar de coisas mais avançadas como profundidade de campo ou abertura da lente). Ultimamente, a sua simplicidade torna muito acessível, mas também é inimiga de quem esperava uma experiência mais profunda.

Prós: Contras:
  • Os fãs de Pokémon vão gostar
  • Há muitos momentos giros e engraçados para fotografar
  • Boa variedade de percursos
  • É fantástico ver os Pókemon nos habitats naturais
  • Completar a Photodéx torna-se num vício
  • Um jogo muito bonito e colorido
  • O mundo não é aberto, poucas oportunidades de explorar
  • A câmera do jogo é muito limitada
  • Apenas podes selecionar uma foto de cada vez para avaliar
  • Upload de fotos requer subscrição ao Nintendo Switch Online

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (3)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Recomendado | Ratchet and Clank: Rift Apart review - Sublime

Uma fórmula familiar e divertida, na sua melhor forma.

Biomutant review - Mutantes de palmo e meio

Um jogo demasiado arrojado para as dimensões da equipa.

Assassin's Creed: Valhalla: Wrath of the Druids - review - Terreno familiar

Eivor descobre novas faces num tom demasiado familiar.

Também no site...

Artigo | Prémios E3 2021: Edição Eurogamer.pt

Qual foi a melhor conferência? Quais são os jogos mais antecipados?

O Japão é o mercado em maior crescimento para a Xbox

A Series S é a consola mais popular da Microsft entre os japoneses.

Sea of Thieves recebe trailer gameplay

DLC gratuito chega já no dia 22 de junho.

Estrear Outriders no Game Pass ajudou imenso a Square Enix

Editora diz que ajudou a conseguir um bom arranque.

Comentários (3)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários