Jogos com assinatura

E um outro tanto que está por explorar na indústria.

Os jogos de vídeo têm um poder incrível. Não só por transportarem o jogador para um papel útil e activo, mas por beneficiarem de amplas e valiosas conexões com a música, texto, cinema e design. A dimensão de interactividade é quase sempre determinante na relação com as outras vertentes e muitas vezes acaba por tolher as influências que estão na base desses outros elementos que preenchem a estrutura de muitos jogos de vídeo, particularmente as aventuras. Mas ainda bem que assim é pois de outro modo, sem interacção com um ambiente virtual, não poderíamos falar de um jogo.

Porém, e perante essa interligação, as potencialidades são enormes. Na música e cinema, mas principalmente no texto, os autores inscrevem muitas das suas obras em determinados estilos e correntes literárias, géneros musicais e até determinadas ideologias ficam plasmadas em obras cinematográficas.

Nessas áreas artísticas sempre ficou nas entrelinhas um papel de intervenção, uma finalidade de combate, uma mensagem; tentativas para fazer despertar na sociedade e nas mentes colectivas novas regulações de poder, de libertação e até distribuição de riqueza. Os jogos também podem ser úteis para algumas dessas finalidades e suscitar até um papel mais activo, apontando um rumo às questões do nosso tempo, fazendo uso da linguagem que lhe é específica.

Mas numa indústria ainda com poucos anos de actividade (comparando-a com outras artes) é possível falar de jogos que, respeitando não só a dimensão de entretenimento, se inscrevem em determinadas correntes e estilos de produção? Pode-se falar em jogos de autor?

Exceptuando algumas obras com assinatura e produtores como Hideo Kojima, Itakagi, Goichi Suda e Jeff Minter, que fazem questão de conceber os jogos da forma que melhor entendem, a maioria dos jogos ainda obedece a esquemas de organização que marcaram os primeiros passos da indústria, ou então as editoras seguem para vias mais simples - agora na moda - como os jogos casuais, que desde logo garantem lucro mas não contribuem para um estilo de produção. É difícil falar em géneros de corrente e mensagens que os produtores tenham veiculado na suas obras, mas este é um cenário que paulatinamente está a mudar.

2

O ponto de evolução da tecnologia já permite aos produtores incluir muito daquilo que os move e que são desejos para alcançar o jogo concebido conceptualmente, nem que seja “um sorriso ou gargalhada”, diz Kojima numa entrevista à revista Edge . Ao contrário da música, cinema e composição textual, para as quais não há um cerco à liberdade de criação, num jogo de vídeo ainda persistem muitas barreiras no processo de criação; são precisas horas de mão de obra intensa e qualificada, assim como ferramentas de programação caríssimas e exigentes, quase sempre limitadas às editoras que avançam o budget necessário para se chegar ao jogo que é a concretização de uma ideia.

Para Kojima, MGS é um projecto pessoal e todo o trabalho da divisão responsável pelo desenvolvimento da série é minuciosamente monitorizado. De tal modo que Metal Gear Solid 4, a derradeira aventura de Snake, é uma verdadeira revolução na forma de contar uma trama, desde logo por apelar à atenção do jogador no desenrolar de uma cena e que deixará desprevenidos aqueles que decidirem pousar o comando numa longa-sequência. A PS3 não foi eleita para acolher o último Metal Gear por ser uma boa peça de hardware, assim como é a Xbox 360 e o PC, mas pelas potencialidades ao dispor, algo bem distinto de uma Nintendo Wii.

Salta para os comentários (10)

Sobre o Autor

Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Conteúdos relacionados

Menu da Xbox Series X atualizado para 4K

Consolas receberam anda modo noturno.

FIFA 22 e PS5 no topo do Reino Unido em setembro

Consola da Sony teve um dos seus melhores meses de vendas.

Também no site...

Comentários (10)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários