Passa mais um ano e a RockStar faz mais uma maravilha que vos vai aquecer o coração neste Inverno. Tal como aconteceu no ano passado com Liberty City Stories, Vice City coube todo num UMD, o que não deixa de ser espantoso tendo em conta que a produtora teve enormes problemas em fazer isso com a cidade de Liberty City, mesmo que esta última seja mais pequena.

Passando à história, Vic (ou Victor Vance, irmão de Lance) alista-se no exército com o objectivo de ganhar dinheiro e assim tratar da sua família. Mas, como qualquer GTA que se preze, existem reviravoltas e traições que muda a vida da personagem, obrigando-a assim a cumprir o mais variado tipo de missões. Ainda nas missões, a RockStar fez um excelente trabalho. São divertidas quanto baste e vão-vos agarrar até chegarem a uma, que por alguma razão parece impossível de passar. Quando isto acontecer não desliguem a consola, pois há muito para fazer. Encontrar os 100 balões espalhados pela cidade, gerir os vossos impérios, ou nadar (uma novidade na portátil Sony) são alguns, pois, para terem uma ideia, só cerca de 30% do jogo completo equivale às missões.

Algo que marcou os fãs da GTA foi a jogabilidade divertida e os gráficos coloridos de Vice City e, é por isso que para muita gente continua a ser o mais divertido de todos. Mas será que esta magia ainda prevalece? Sejamos sinceros, os fãs vão pensar no jogo como uma espécie de “continuação” (claro que o poder da PSP não é o mesmo que o da PS2, mas existem locais em que não se notam diferenças relevantes), pois a cidade mantém-se com o mesmo aspecto tropical, pondo de lado assim os gráficos cinzentos que marcaram San Andreas.

Mas existem também coisas más, como o problema da câmara que transitou de LCS. Contudo não é só. Continua a ser difícil disparar de dentro de um carro ou simplesmente olhar para trás. E não nos podemos esquecer do loading da cidade, que exige demasiado da consola e, por isso não se admirem de ir contra um poste ou casa que não aparece no ecrã.

A grande novidade deste GTA é o Empire building. Passamos a explicar. Escolham um dos vários sítios disponíveis no mapa e destruam o carro ou mota que lá se encontra. Depois de uma luta ao estilo da San Andreas entrem no edifício e criem um negócio. A partir daqui podem fazer as missões do dito negócio ou derrubar outro império.

Preparem-se para abrir o baú das recordações, pois vão sentir enormes momentos de nostalgia ao comparar este título com Vice City para a PS2. E não se admirem se disserem isto nas docas da cidade: “Mal imagina ele que vai morrer neste local daqui a 2 anos!”

Vice City Stories é o melhor jogo para a PSP. Se já jogaram algum título da série e gostaram então esta é uma óptima compra para o natal que se aproxima.

9 /10

Publicidade

Sobre o Autor

Jorge Soares

Jorge Soares

EG.pt Master of Puppets

Sempre ocupado e cheio de trabalho, é ele quem comanda e gere a Eurogamer Portugal. Queixa-se que raramente arranja tempo para jogar, mas quando está mesmo interessado num jogo, lá consegue arranjar uns minutos. Tem mau perder e arranja sempre alguma desculpa para a sua derrota, mas no fundo, é o que todos fazemos.

Mais artigos pelo Jorge Soares

Comentários (0)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados

Pachter acredita que GTA VI não chegará antes de 2024

Analista fala sobre o estado da Rockstar Games.

Take-Two ainda não pensa em GTA 6

Nem está interessada numa adaptação para cinema.

Últimas

Red Dead Redemption 2 foi o mais vendido na PS Store em Novembro

Battlefield V em quinto e Fallout 76 em sétimo.

Red Dead Online recebe micro-transacções

Compra barras de ouro com dinheiro real.

Suda51 já delineou o que quer em No More Heroes 3

Quer remasters Switch dos dois primeiros.

Publicidade