E3 08 - to be continued

O que sobrou das conferências Microsoft, Sony e Nintendo.

Então, mais uma Electronic Entertainment Expo passou diante dos nossos olhos e pôs fim a uma série de rumores e apostas que se foram acumulando nos dias imediatamente anteriores à abertura do evento com o mote de abertura dado pela conferência da Microsoft.

Durante muitos anos prevaleceu a ideia de que a E3 era a montra das grandes novidades e o local preferido para a Nintendo, Microsoft, Sony e EA (entre outras) anunciarem os mais recentes produtos em desenvolvimento que puxavam as fronteiras do entretenimento. E mais que isso, a E3 tinha um modelo de exposição quase selvagem; todas as pessoas tinham via verde no acesso, as filas de espera para jogar uma novidade faziam desesperar, os visitantes atropelavam-se e ao fim de umas horas de freima aguda sucumbiam ao cansaço. Era bom de ver pelas pontas, mas andar por lá era um pandemónio e sempre se acabou por modificar a estrutura, reformulando o evento, de modo a garantir a sua continuidade.

O modelo actual é mais pequeno, conservador, restrito aos convites à imprensa e embora esteja longe de converter em atenções o frenesim dos outros anos, continua a ser um incontornável ponto de encontro dos três grandes contendores de consolas e mais um isco para os seus directos responsáveis trocarem galhardetes à boca cheia, motivados por uma série de índices fratricidas. Coube à Microsoft arrancar a jornada tendo desde logo com um dia de antecipação perante as directas rivais Sony e Nintendo e apesar de projectar uma conferência longe de anunciar as potentes novidades de outros anos trouxe algumas surpresas de monta. Para o palco subiu um Don Mattrick da nova geração, carregado de esperança, cheio de empatia e convicto no êxito de uma dashboard renovada, toda ela na senda dos Miis e Home da Sony. Para seu mérito conseguiu, ao fim de um tempo de apresentação, ocultar a presença passada de Peter Moore, o ex homem forte da Xbox e antes dela a Dreamcast em terras do Tio Sam.

A apresentação foi suficientemente sólida, bem organizada e com pouquíssimos tempos mortos. A começar desde logo pelas big guns a lançar em 2008; os jogos que todos queriam ver e saber mais como Fallout 3, Resident Evil 5 (pela primeira vez um jogo da série da Capcom tem assento na consola de Redmond), o belíssimo Fable 2 bem promovido por Peter Molineux, Gears of War 2, Banjo-Kazooie, Viva Piñata, entre outros.

1
Humm, a forma daqueles bonecos lembra-me algo.

Como não podia deixar de ser a Microsoft apelou muito aos seus apoiantes, os mais fiéis utilizadores das contas Live Gold que ocupam os servidores e alargam constantemente uma comunidade que contará a partir do Outono com uma renovada dashboard, mais intuitiva, escorreita e personalizada. Apesar do descontentamento generalizado pelos pagamentos mensais de acesso à assinatura Gold, não param de aumentar os utilizadores do Xbox Live e por isso a Microsoft não os esquece e estando já prometidos novos títulos para o Xbox Live Arcade.

Interessante foi a apresentação de Lips e You’re in the Movies, jogos que apontam para o mercado de jogadores casuais, mais apostados numa de juntar os amigos para um fim de tarde ou noite em torno de uma grade de cervejas. Já a Sony o fizera com Singstar e também na promoção do Eye Toy, pelo que agora, em definitivo, a Microsoft apostou num segmento rasgado pela Nintendo Wii. Lips é assustadoramente similar a Singstar e You’re In the Movies, que se fará acompanhar de uma câmara Xbox Live Vision, volta a meter os jogadores a agitar o corpo (não tomem esta frase com sentido pejorativo) diante do televisor.

Salta para os comentários (1)

Sobre o Autor

Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Conteúdos relacionados

Menu da Xbox Series X atualizado para 4K

Consolas receberam anda modo noturno.

FIFA 22 e PS5 no topo do Reino Unido em setembro

Consola da Sony teve um dos seus melhores meses de vendas.

Também no site...

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários