Análise Tecnológica: RAGE HD

A DF sobre o projecto lateral para o iOS de Carmack.

Os jogos Iphone tem sido tradicionalmente assentes no conceito em oposto a recorrer a visuais de topo para realmente impressionar. John Carmack da id software tem sido um advogado de longa data da plataforma Aplle, e procurou puxar os limites da tecnologia, primeiro com o visualmente impressionante DOOM Ressurection, e agora com uma pequena fatia de acção de tiros on-rail baseada no aguardado título FPS multi-plataformas, RAGE.

Existem duas versões de RAGE em oferta na App Store. RAGE HD está optimizado para plataformas iOS de alta definição, por isso oferece um nível de qualidade de imagem significativamente superior no iPhone 4 e iPad, enquanto que a versão padrão de RAGE com texturas claramente inferiores e efeitos associados é desenhada para aparelhos iOS mais antigos sem os ecrãs de alta definição. É interessante que podes na mesma correr a versão inferior no iPad e iPhone 4 se realmente quiseres, e é bem óbvio onde foram feitos os compromissos.

O exercício de comparação entre as duas plataformas também ilustra que muitos efeitos, tal como as sombras dos cenários, foram pré-cozinhadas no trabalho de arte das texturas, por isso estão presentes nos aparelhos de menor poder mas apenas a correr numa resolução inferior. As personagens tem as suas próprias sombras dinâmicas: estão em baixa resolução mas correspondem mesmo à forma do personagem em oposto a serem simples pedaços pretos.

De forma Interessante, John Carmack da id recomenda correr o RAGE de nível padrão no iPhone 3GS dizendo que a versão em alta definição vai funcionar mas corre com algum nível de impacto na performance.

"Queríamos fazer a versão em alta definição apenas para iPad e 4G, mas não havia forma alguma de prevenir um 3GS de o comprar. Queríamos uma base de selecção ou na ram ou na resolução mas não existe tal opção," colocou Carmack no TouchArcade.

"O 3GS vai sacudir mais ao jogar a versão em alta definição, e a extra resolução não importa muito nele, por isso recomendo aos donos de um 3GS a versão SD a não ser que pensem que vão comprar uma versão superior em breve. Cortem a transferência monstruosa...Se jogarem a versão SD num iPad, vão-se queixar dos gráficos esborratados tão aumentados, mas funciona bem."

Aqui está um par de imagens de comparação a ilustrar a diferença entre as duas versões a correr no iPad.

ragehd-1
ragesd-1
ragehd-2
ragesd-2
A id baseou o código em redor do Open GL ES 1.1 para se assegurar que o jogo poderia correr em todos os aparelhos iOS, então a única real diferença entre a versão padrão e a transferência em alta definição mais cara é a qualidade de texturas. No entanto, aparelhos pré-3GS não conseguem correr a versão em alta definição.

Falando de performance, RAGE também tem um truque para festas bem interessante. Podem anexar um adaptar de componentes ou VGA ao aparelho iOS e correr o jogo num ecrã HD. Isto apresenta alguns problemas: os filmes não parecem funcionar na saída do ecrã, e enquanto a jogabilidade funciona bem, precisas de operar os botões às cegas uma vez que o ecrã do iPad está desligo durante o processo. Carmack falou sobre uma melhoria para conceber os botões apenas no ecrã do iPad, o que parece um compromisso sensato. Também notável para os donos de um iPad é que a resolução de renderização a 1024x768 nativos é redimensionada para 1280x720 para surgir no ecrã, com o rácio de aspecto ajustado de acordo.

Completa e adequada clonagem a permitir que ambos os ecrãs estejam activos não é realmente possível. Os aparelhos iOS tratam o ecrã externo como uma saída completamente separada, por isso correr tanto o ecrã do iPad e o ecrã externo essencialmente requer o conceber duas vezes da cena, colocando um fardo massivo no chip gráfico SXG. É por isto que as solução de ecrãs externos do Jailbreak tende a afectar o rácio de fotogramas do jogo tão significativamente.

No entanto, a saído do ecrã permite-nos produzir a nossa primeira análise de performance iOS. Não temos a pureza de um sinal HDMI digital limpo com que trabalhar, mas todas as aplicações iOS são sincronizadas verticalmente, por isso os testes de rácio de fotogramas são relativamente simples – comparas um fotogramas ao seguinte e pesas o pequeno pedaço de "barulho" analógico que diferencia o que são de outra forma fotogramas únicos.

Análise à performance de RAGE HD, a correr do ecrã do iPad. Rácios de fotogramas e resolução a jogar o jogo no iPhone 4 podem variar.

Então o que temos aqui com a versão iPad são uns bem sólidos 30 fotogramas por segundo, por vezes com alguns adicionais fotogramas a entrar, mas com um bom e consistente nível de performance no geral.

Houveram conversas quanto a um refrescamento a 60FPS. Vale a pena assinalar que não temos o iPhone 4 aqui para testar, mas é inteiramente concebível que o rácio de fotogramas aumente. O iPhone opera com uma resolução nativa de 960x540, enquanto que o iPad tem um aumento de 51 por cento na resolução para 1024x768. O que é desconhecido actualmente são as respectivas clock speeds do chip A4 (e da unidade de processamento gráfico IMG em particular), e se o iPad corre mais rápido que o seu irmão telefone.

Salta para os comentários (2)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry  |  digitalfoundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (2)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários