Análise tecnológica: God of War Collection Volume II

Será ainda um Spartan?

Bem, o que dizer de God of War Collection: Volume II? O estúdio Ready at Dawn retrabalhou ambas as versões PSP de Kratos - Chains of Olympus e Ghost of Sparta - apresentando-os em 1080p com suporte estereoscópico 3D.

Baseado só nos números, poderia soar como uma receita para o desastre. A PSP em si apenas corre a 480x272 - uns meros 16% dos completos 1920x1080 que a PlayStation 3 é capaz de fazer. O trabalho de arte original da Ready at Dawn, em termos de geometria, texturas e cinemáticas poderia ter sido optimizado especialmente para a minúscula resolução da portátil - portanto como podem os jogos sequer funcionar a "full HD" sem parecerem bem ridículos da forma que o original remake Splinter Cell HD demonstra de forma espectacular?

A resposta é bem direta. O Ready at Dawn efetuou uma devida remasterização, transportando o seu motor para a PlayStation 3, especificamente para os propósitos deste projeto e melhorou então a arte de uma perspetiva da geometria e texturas. O resultado é um excelente produto que recomendámos sem qualquer hesitação a qualquer dono de uma PS3, porque God of War Collection: Volume II tem aquele importante ingrediente final: o jogo original ainda se aguenta bem em 2011, e apenas pode beneficiar com a transição para a consola HD.

"Acabamos por passar por todas as personagens no jogo e duplicar ou triplicar a contagem de poligonos à mão, assim como mudar o tamanho e pintura de cada textura em ambos os jogos a 4x resolução em ambas as personagens e ambiente, "o diretor de arte da Ready at Dawn, Nathan Phail-Liff comentou no blogue PlayStation.

O resultado é um jogo que presta a devida homenagem aos títulos PSP originais mas não parece embaraçoso na PS3. Os jogos ainda parecem da velha escola, com os aumentos no detalhe subtilmente aplicados, mas em movimento ambos os títulos na Collection conseguem impressionar. Acima das melhorias no trabalho de arte, vale a penar notar que o Ready at Dawn melhorou significativamente a iluminação sobre o jogo PSP, o que pode ter um efeito muito dramático em muitas cenas diferentes.

Para ter uma ideia de quão bem sucedido o estúdio tem sido na sua remasterização, verifiquem esta comparação, retirada de Chains os Olympus e do tecnologicamente mais desafiante Ghost of Sparta. Aqui, capturamos os mesmos clips na versão PSP, fizemos upscale, e colocamos lado a lado com a versão PS3 a correr a 720p.

Quanta diferença faz a remasterização? Aqui está um vídeo de comparação para veres. Vejam o aumento no rácio de fotogramas assim como na resolução. Carreguem no botão de ecrã completo para resolução 720p, ou carreguem na ligação em baixo para uma janela maior.

A nova God of War Collection tem na verdade a capacidade de correr a três resoluções diferentes, dependendo das definições do XMB da PS3. Se tens os 1080p ativados, tanto Chains of Olympus como Ghost of Sparta vão arrancar a 1920x1080 por pré-definição. O estúdio poderia ter reduzido isto para os utilizadores a 720p para providenciar supersampling anti-aliasing (Sacred 2 usa esta abordagem) mas opta por nativos 1280x720, resultando num rácio de fotogramas mais consistente. Finalmente, ambos os jogos suportam também 3D estereoscópico, com 720p por olho no usual formato HDMI 1.4.

Comum entre todos os formatos é que o Ready at Dawn optou por não implementar nenhum anti-aliasing. Isto é praticamente a única desilusão que temos com o aspeto in-game das novas versões (a anterior God of War Collection suportava 2x multisample anti-aliasing, mas não tinha modo 1080p). Especialmente em modo 720p, os jaggies são bem pronunciados, principalmente devido às arestas de alto contraste e à relativa baixa contagem de poligonos. Apesar de anti-aliasing a 1080p poder ser pedir demais, alguma espécie de suavização de arestas a 720p teria feito grande diferença.

O Ready at Dawn não se concentrou só na melhoria da resolução física. O vídeo de comparação em cima, a correr a 50% da velocidade, demonstra bem que a passagem para 60FPS é tão importante quanto o massivo aumento na quantidade de píxeis gerada. Ambas as versões do estúdio para a PSP realmente puxaram pelo hardware e isto resultou numa bem mediana atualização - 30FPS foram o alvo mas como podem ver no vídeo, existe muito screen-tear ali, sugerindo que o jogo estava frequentemente acima do orçamento, e na verdade a operar significativamente abaixo do rácio de fotogramas alvo nas cenas mais pesadas.

Chains of Olympus e Ghost of Sparta são pequenos milagres na PSP, mas mesmo comparados aos títulos originais da PS2, sofrem com uma resposta dos comandos com um pouco mais de latência - e isto deve-se quase certamente ao reduzido rácio de fotogramas. A este respeito, a nova Collection PS3 não é só sobre os veneráveis títulos portáteis terem melhor aspeto, é também sobre se jogarem melhor.

Uma montagem com ação de Chains of Olympus, onde jogamos tanto a 720p como a 1080p. Fora alguns problemas no fill-rate (principalmente nas cut-scenes) que são amplificados a 1080p, os rácios de fotogramas permanecem altos.

Para o purista à procura da melhor experiência de jogo possível, o modo 720p é aquele que deve escolher. Fora pequenas quedas no rácio de fotogramas nas cinemáticas, o ação in-game está essencialmente a correr a 60FPS fixos. Similar à primeira God of War Collection, o único impacto no rácio de fotogramas surge com efeitos das magias que preenchem o ecrã mas mesmo aqui o impacto na gameplay é mínimo.

Passar para 1080p dá-te o aumento de 2.5x na resolução e menores problemas com jaggies (porque, simplesmente, as arestas são mesmo tão pequenas) mas o compromisso vem na forma de mais screen-tear e quedas mais perceptíveis no rácio de fotogramas. Novamente, as cinemáticas carregam o pior, mas o suporte full HD pode levar o tearing para a gameplay em si. Não existe dúvida que existe uma definitiva vantagem visual em optar por 1080p, mas os problemas de fill-rate a 720p apenas são amplificados na resolução maior, resultando em quedas mais perceptíveis na performance.

Também vale a pena destacar que o mais recente Ghost of Sparta coloca um pouco mais de esforço sobre o personalizado motor do Ready at Dawn do que o mais velho Chains of Olympus. O estúdio parece ter-se dedicado a extrair os melhores visuais possíveis da PSP no seu trabalho original, e isto traduz-se num impacto na performance nas versões PSP e PS3 do jogo.

A 1080p em particular, os impactos no rácio de fotogramas são muito mais perceptíveis - o ponto a favor são os visuais melhorados que realmente impressionam. Apesar de não estarem bem ao nível da original God of War Collection, Chost of Sparta a correr em full HD é realmente bem adorável, e as melhorias que o Ready at Dawn fez ao trabalho de arte no processo de remasterização parece ter sido muito mais aparente, como vão ver no vídeo de comparação, esperamos.

Ghost of Sparta dá ao motor PS3 do Ready at Dawn um pouco de trabalho no modo 1080p, mas novamente, a performance a 720p é consistentemente excelente.

Salta para os comentários (5)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry  |  digitalfoundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Divisão gaming da Microsoft bate recordes de receita em 2021

Um aumento de quase 18% sobre o ano anterior.

Capcom regista lucros recordistas pelo nono ano consecutivo

Catálogo e recentes lançamentos ajudam a companhia a crescer.

Eis gameplay de Life is Strange: Remastered

Ainda te lembras do que aconteceu?

Também no site...

Xiaomi apresenta novos smartphones Redmi Note 11

São quatro modelos, com specs muito diferentes.

Crysis 4 revelado oficialmente

Cryrek prepara novo jogo.

Capcom regista lucros recordistas pelo nono ano consecutivo

Catálogo e recentes lançamentos ajudam a companhia a crescer.

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários