FPS Boost para Skyrim, Fallout 4 e Fallout 76: performance é fantástica - mas existe um senão

Apenas 1080p em Fallout na Xbox Series X.

Passamos a régua e esquadro sobre a primeira vaga de títulos com o FPS Boost da Microsoft e ficámos impressionados, enquanto os nossos pensamentos para o duo Prey e Dishonored Definitive Edition desenvolvidos pela Arkane foram talvez ainda mais empolgantes. A nossa cobertura continua com um olhar sobre os títulos da Bethesda Games Studio a correr no Creation Engine e as impressões são um pouco mais confusas desta vez. Skyrim aterra exatamente onde esperávamos e funciona lindamente no geral, mas os títulos Fallout são um pouco mais confusos. Apesar de uma grande lacuna nas suas respetivas capacidades gráficas, tanto as consolas Xbox Series S como X executam estes títulos a 1080p, de modo a atingir 60 fotogramas por segundo, apesar da Xbox One X visar 4K.

Os títulos Fallout são então um pouco controversos, mas pelo menos foi ótimo regressar a Skyrim. Neste caso temos um verdadeiro 4K60 e é ótimo ver que a experiência através de uma mod de um utilizador que anteriormente testamos no Digital Foundry é agora totalmente oficializada com o FPS Boost - embora valha a pena sublinhar que estes usam duas técnicas diferentes para atingir este alvo. O mod funciona essencialmente removendo o bloqueio de 30fps e em boa medida desativando o v-sync, permitindo que Skyrim aproveite a potência extra das consolas Series S e X (onde a retrocompatibilidade força o regresso do v-sync).

O resultado final é um bloqueio muito eficaz a 60fps para a Series S com resolução de 1080p, quer esteja a utilizar o FPS Boost ou o mod, enquanto a Series X funciona a 4K nativo e parece espantoso - o preço a pagar é uma queda para o desempenho sempre que aparecem efeitos volumétricos ou alfa de resolução total. Em geral, é de 60fps em ambas e acrescenta uma camada extra de brilho ao que continua a ser um excelente RPG. Sim, os efeitos visuais são datados, mas a jogabilidade é brilhante. E, claro, agora os utilizadores da PlayStation 5 têm acesso à mesma experiência através do seu próprio mod.

Tom Morgan e Rich Leadbetter comparam notas sobre as suas experiências em Skyrim, Fallout 4 e Fallout 76 a correr nas consolas Xbox Series X e Series S através do FPS Boost.

Com os títulos Fallout, a situação é um pouco mais complicada. Começando com Fallout 4, a Microsoft optou aparentemente por empurrar tanto a Series X como a S para o codepath Xbox One S, o que significa que o jogo corre a 1080p nativo, com o limite da taxa de fotogramas removido. Tem em mente que o jogo funcionava originalmente a 1080p dinâmicos na Xbox One S, subindo para 4K na One X. O resultado final é uma experiência agradável que assegura uma consistência de 60fps para a grande maioria do jogo.

Apenas os pontos com bottleneck clássico como a Corvega Factory causam problemas, com algumas quedas de desempenho na Series X e uma queda mais notória na Series S. No entanto, de uma maneira geral, é um passeio suave durante todo o percurso, mas não se pode deixar de pensar que a Series X deveria estar a fazer mais. Em última análise, corrigir algo através de uma alternativa opcional de 1800p ao modo 2160p parece ser um bom caminho para seguir em frente.

No entanto, existe uma alternativa se quiseres o melhor de dois mundos na Series X - com 4K e 60fps. Desliga o FPS Boost e voltarás a 4K30, embora com muito mais consistência no jogo do que o jogo a correr na Xbox One X. No passo seguinte, o mod de um utilizador a '720p60' fornece a taxa de fotogramas desbloqueada necessária para a Series X, bem como um empurrão para 4K (procura na secção mods do jogo, ativa-o e reinicia o jogo). E é aqui que se vê por que razão a Microsoft optou pela consistência - a taxa de fotogramas não é uma taxa de 60fps bloqueada enquanto se entrega esta alta resolução. Na parte mais exigente em Corvega desce até aos 40s, e há muito mais no caminho da instabilidade geral. Continua a ser uma melhoria acentuada em relação à experiência padrão na Xbox Series X, atenção, e muitos podem muito bem preferir. Tudo isto nos leva a Fallout 76 focado no multiplayer, onde a configuração é semelhante a Fallout 4 enquanto se executa o FPS Boost. Desta vez, a saída da Series X é a 1080p60 e está totalmente bloqueada, enquanto que a Series S tem algumas pequenas flutuações em relação à taxa de fotogramas alvo. Não é perfeito, mas é uma forma muito melhorada de se jogar - embora mais uma vez tenhamos perdido a resolução na Series X usando esta funcionalidade.

Há algum tempo atrás testamos os mods de utilizadores para executar Skyrim e Fallout 4 em consolas Xbox Series a 60fps. Este é o nosso relatório.

Curiosamente, há um caminho a seguir na utilização do FPS Boost enquanto se retém 4K nos jogos Fallout a correr na Xbox Series X - mas é o que se pode chamar uma lacuna, e esperamos que a Microsoft a corrija em algum momento. Essencialmente, carrega-se um dos jogos Fallout com FPS Boost desligado, carrega-se outro título, volta-se a ligar o FPS Boost no jogo Fallout que se estava a jogar, e depois volta-se à ação através do Quick Resume. Isto permite essencialmente que os 60fps desbloqueiem os benefícios do FPS Boost, mantendo a resolução One X. É um truque, funciona, mas através disto pode compreender porque é que a Microsoft optou baixar a sua solução para 1080p. Simplificando, os 60fps estão longe de ser uma certeza ao jogar-se desta forma.

Resumindo, o FPS Boost proporciona exatamente o que se quer com Skyrim - desligue a funcionalidade e é uma diferença da noite para o dia, muito mais do que se esperaria. Não se pode voltar atrás. Com os jogos Fallout, mais uma vez, o FPS Boost funciona como se espera - especialmente se fores proprietário da Xbox Series S. Mantém a mesma resolução, e o desempenho bloqueia na sua maioria a 60 fotogramas por segundo. Os jogos Fallout podem ser limitados pelo CPU, pelo GPU ou mesmo pelo armazenamento em algum momento - e a melhoria proporcionada pelo hardware da próxima geração é reveladora. Contudo, a Series X força-te a fazer uma escolha - 4K ou 60fps, FPS Boost ligado ou desligado. O impulso geral ainda é impressionante - os jogos são muito mais fluidos na jogabilidade - mas neste momento, não é ainda a característica arrebatadora que esperávamos que fosse.

Salta para os comentários (25)

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (25)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários