Cyberpunk 2077: o ponto de situação nas consolas PS5 e Xbox Series

Qual o aspeto do jogo antes da chegada do patch de "próxima geração".

O recente lançamento da atualização 1.23 de Cyberpunk 2077 registou melhorias reais nas consolas PlayStation 4 - o suficiente para a Sony reintegrar o jogo na PlayStation Store. Abordei em profundidade os progressos há algum tempo atrás, mas no processo, também levei algum tempo a estudar todas as outras versões para consolas nesta atualização. A verdade contundente? O Patch 1.23 não dá uma reviravolta significativa na situação da Xbox One de base ou na taxa de fotogramas da Xbox One X. Com as máquinas da próxima geração, porém, há um pouco mais para contar. Com base no novo roadmap da CD Projekt Red, esta atualização promete ser a última grande revisão antes da chegada de uma versão real 'next-gen' de Cyberpunk. A simples questão permanece: qual é o estado do jogo neste momento nas consolas PlayStation 5 e Xbox Series?

Antes de nos concentrarmos no estado de jogo na Xbox Series X e PlayStation 5 - que são essencialmente bases de código da anterior geração que funcionam com melhorias estratégicas nas consolas mais recentes - vale a pena abordar a Xbox Series S, que continua a proporcionar uma boa experiência para o preço da máquina. É verdade, não há modo 60fps e embora 1440p seja o alvo da resolução máxima, passa mais tempo a uns 1080p nativos. De todos os lançamentos de consolas, no entanto, isto proporciona um dos bloqueios mais rígidos a 30fps e mantém a estabilidade, mesmo no nosso teste de stress do tiroteio na ruela - tradicionalmente um problema para as máquinas da anterior geração. Pode não ser perfeita, mas em termos de estabilidade geral apresenta um melhor bloqueio a 30fps do que o modo de qualidade equivalente da Series X, e mantém a maior contagem de NPCs da sua irmã mais velha. Com o patch 1.23, a Series S está em grande forma.

A situação atual de Cyberpunk 2077 versão 1.23 a correr nas consolas PlayStation 5 e Xbox Series.

Passando à PlayStation 5 e Xbox Series X, onde a taxa de fotogramas é desbloqueada a 60fps por defeito, está na altura de voltar a colocar questões fundamentais após tantas atualizações. Qual é a melhor maneira de jogar na consola hoje em dia? Ainda é a PS5 com a taxa de fotogramas global mais suave? Existem vantagens visuais nas consolas da Xbox Series? E como é que os tempos de carregamento se encontram entre as várias formas de jogar?

Evidentemente, a Xbox Series X tem um modo gráfico único de alternância ausente na PS5. Obtém-se um modo de qualidade - uma opção de 30fps que dá prioridade a uma resolução mais alta que varia entre os 1512p mais baixos, e os 1728p mais altos. E depois, há o modo de desempenho da Series X, que permite 60fps, mas baixa essa resolução para entre 1080p e 1296p. Mais uma vez sem alterações. Por isso, aplica-se também à PS5; que ainda atinge entre 972p no seu ponto mais baixo e 1200p no ponto mais alto. Concentrando-se apenas no modo 60fps em comparação com a PS5, visualmente falando a Series X tem uma ligeira margem de saída em pixéis, embora não haja muito a dizer sobre a diferença entre eles, devido ao pesado pós-processamento e ao anti-aliasing temporal. A maior vantagem permanece noutro lugar - a contagem do NPCs.

Night City foi sempre publicitada como uma metrópole fervilhante, repleta de vida em torno do centro da cidade - a zona de Chinatown, os mercados, os bairros da luz vermelha. No PC, este jogo tem um grande efeito, mas na PS5, neste momento, é um jogo de aspeto muito diferente, com muito poucos habitantes na cidade. Mesmo a julgar pela visão lado a lado, a Series X no seu modo de desempenho 60fps preenche as estradas de Night City com mais vida. Entretanto, essa contagem do NPCs só sobe mais na Series X quando se chega ao seu modo de qualidade 30fps. Há mais no modo de qualidade da Xbox, incluindo melhor ambient occlusion - mas a maior contagem de NPCs é facilmente a maior diferença entre as duas máquinas - por isso acrescenta isto à lista de desejos para o lançamento da PS5 verdadeira e dedicada quando a tivermos. Infelizmente, estar ancorado às definições PS4 Pro no seu estado atual só está a reter a PS5.

O nosso último olhar sobre a versão PlayStation 4 de Cyberpunk 2077 viu melhorias genuínas para as consolas PlayStation da anterior geração - e a PS4 Pro continua a ser a melhor versão do lote.

Tudo isto tem um impacto inevitável no desempenho. A PS5 continua a ser a líder, proporcionando a experiência de 60fps mais consistente em qualquer consola. Isto não quer dizer que não tenha os seus momentos complicados, mas, de um modo geral, é o que se deve ter em mente, com 60fps como objetivo. As batalhas podem cair nos 50s em pontos e mesmo depois de tantos patches, também há algumas quedas enquanto se conduz, mas nada que realmente distraia. Entretanto, a realidade é que o modo de desempenho da Xbox Series X está longe do esperado, com a PS5 a manter-se nos 60fps em locais onde a Series X cai agressivamente - sendo o tutorial Street Kid do jogo um exemplo disso. Mais uma vez, se tivermos uma lista de desejos da próxima geração, esta seria a próxima adição. O modo de desempenho da Xbox Series X deve ser bloqueado, e otimizado para 60fps consistente, sem ter de confiar num display VRR para suavizar os problemas de desempenho.

Então, se o modo 60fps da Series X é um pouco dececionante, qual é a nota do seu modo de qualidade 30fps? Obtém uma resolução mais alta, ajustes visuais melhorados e uma contagem ainda melhor do NPCs - e o limite de 30fps também é, na sua maioria, sólido. Também aqui estamos aquém da perfeição; atacando todos os pontos de stress habituais, ainda obtemos quedas em meados dos 20s - como o nosso vídeo acima demonstra. Mas no geral, esta continua a ser a melhor forma para se jogar nas consolas para os puristas visuais. Aqueles que pretendem o melhor desempenho em Night City, onde a CDPR cumpre a sua promessa de atmosfera, ruas movimentadas, ambientes AO superiores, e uma resolução respeitável, devem definitivamente verificar o modo de qualidade na Series X. O Patch 1.23 não resolve o problema das quedas, mas talvez o lançamento adequado da próxima geração possa proporcionar um bloqueio mais preciso.

Cyberpunk 2077 no PC com todas as características ray tracing ativadas é uma apresentação irrepreensível - eis o que o RT traz para a mesa.

Uma última questão sobre diferenças de tempo de carregamento. Ao carregar um ficheiro de gravação mesmo à saída do Ripperdoc em todas as consolas, a primeira surpresa é que a Series X em modo de desempenho é concluída em primeiro lugar com pouco mais de 12 segundos, depois vemos o carregamento em modo de qualidade da Series X em seguida com 17 segundos, no espaço de segundos a Series S a fazer o mesmo. As contagens de NPCs da Series S têm muito em comum com o modo de qualidade da Series X, o que faz sentido na espera semelhante de 17 segundos. Por último, a PS5 com um longo ecrã de carregamento de 49 segundos. A PS5 está constantemente atrasada a este respeito, e continua a ser um incómodo para recarregar também o seu último checkpoint após morrer. O que está claro neste momento é que executar uma aplicação PS4 não está a fazer-lhe qualquer favor, e o SSD de alta velocidade do sistema não está a obter os resultados esperados, especialmente em comparação com a Xbox.

Com base no roadmap da CD Projekt Red, o patch 1.23 é a última grande atualização do jogo antes de recebermos a atualização 'next-gen' adequada, prevista aproximadamente para a segunda metade de 2021. Sem dúvida, são necessárias mais otimizações em toda a linha - especialmente nas plataformas Xbox da anterior geração, mas à parte da estabilidade, os visuais e o desempenho de Cyberpunk têm permanecido relativamente estáveis na nova onda de consolas desde o lançamento.

Na situação atual, há muitas coisas que precisam de mudar com as versões da Series X e PS5, por diferentes razões. A entrega mais consistente de 60fps na PS5 é um ponto forte, mas os tempos de carregamento e as baixas contagens de NPCs são desvantagens evidentes. Entretanto, com a Series X, a CDPR precisa claramente de reforçar o desempenho. Além disso, estou intrigado por ver como a CDPR irá utilizar as capacidades das novas consolas num modo de qualidade recentemente revisto. Lembra-te de que a versão atual está a funcionar em modo de compatibilidade, o que significa que não há acesso à eficiência melhorada do RDNA 2 ou a novas características de hardware, tais como aceleração ray tracing. Com os benefícios do tempo extra, há aqui uma oportunidade para um jogo mais sólido, menos buggy, mais atrativo para a nova onda de consolas - e estou ansioso por ver o que a CDPR vai conseguir.

Salta para os comentários (35)

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry  |  cataferal

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Conteúdos relacionados

Atualização para Ghost of Tsushima Director's Cut

Já podes adquirir seda ao mercador no NG+.

Destroy All Humans 2 remake revelado antecipadamente pela Sony

Foi avistado algo curioso antes de desaparecer.

Digital Foundry | Comparados os modos visuais de Deathloop PS5: qual é a melhor forma de se jogar?

A decomposição das três opções - e o que o rastreio de raios traz para a festa.

Diretor de Astral Chain trabalha em novo projeto

Mas ainda não está pronto para o revelar.

Também no site...

PlayStation 5 CFI-1100 review: melhor ou pior do que a consola de lançamento?

O modelo revisto da Sony é tranquilizador e não controverso.

Short Games Collection chegará à Switch a 1 de Outubro e foi feita em Portugal

5 mini-jogos para quem quer diversão e tem pouco tempo.

Gran Turismo 7 usa o mesmo sistema de danos de GT Sport

Polyphony Digital confirma que usa a mesma tecnologia.

Comentários (35)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários