Nvidia GeForce RTX 3080 Review: bem-vindo ao próximo nível

Incrivelmente rápida.

Chegou finalmente uma nova geração de gráficas Nvidia GeForce. A nova linha Ampere inclui 3 gráficas já anunciadas e se o passado servir de exemplo, chegarão outras mais, mas actualmente temos apenas uma, a RTX 3080. Felizmente, é espectacular e revela impressionantes melhorias na performance 4K sobre a RTX 2080, mas isso foi com a Nvidia a escolher os jogos e a resolução. Agora, deitamos as mãos à gráfica e podemos mostrar tudo sobre a performance da RTX 3080, começando em 1080p, passando por 1440p e indo até 4K em diversos jogos.

Antes de passarmos aos testes, vale a pena falar desta gráfica. A Nvidia diz que entregará o dobro da performance ray tracing e o maior salto de sempre entre gerações, o que se deve em muito ao encolhimento do processo de 12nm para 8nm, cortesia da Samsung ao invés da habitual TSMC. Isto permite à Nvidia incluir mais transístores, aumentando a performance e eficiência energética. A memória da gráfica também foi melhorada, com os 10GB de GDDR6X que é mais eficiente em termos energéticos do que a GDDR6 anterior, permite maiores frequências e maior largura de banda. A Nvidia também está a preparar versões de próxima geração dos seus cores tensor e ray tracing, tudo para melhorar uma área na qual é preciso maior poder. Resumindo, praticamente tudo foi puxado ao limite para máxima performance, em muitos casos a Nvidia duplicou a performance no hardware responsável pela RTX e cargas IA.

Tudo o que precisas saber sobre a RTX 3080, incluindo os números da performance.

Apesar de acontecer muito debaixo da superfície, uma das coisas que repararás de imediato na RTX 3080 é a sua solução térmica pouco comum. Ainda temos um par de ventoinhas, como na série 20, mas estão numa configuração diferente, uma de cada lado, algo que a Nvidia chamada 'flow-through'- Isto deve melhorar as temperaturas em todas as velocidades, mas também poderá enviar ar quente para a CPU mais do que seria de prever com um design tradicional, algo a ter em mente se usas um air cooler ao invés de um AiO ou water cooling personalizado. Nos nossos testes, o cooler da RTX 3080 Founders Edition teve boa performance, tendo em conta o nível de poder e performance. Será interessante ver se representa uma grande vantagem sobre gráficas personalizadas assim que for levantado o embargo.

geforce_rtx_3080_design_exploded_045
RTX 3080 RTX 2080 Ti RTX 2080 GTX 1080 Ti GTX 1080
CUDA cores 8704 4352 2944 3584 2560
VRAM 10GB GDDR6X 11GB GDDR6 8GB GDDR6 11GB GDDR5X 8GB GDDR5X
Canal de memória 320-bit 352-bit 256-bit 352-bit 256-bit
Bandwidth 760GB/s 616GB/s 448GB/s 484GB/s 352GB/s
1440MHz 1350MHz 1515MHz 1480MHz 1607MHz
Boost Clock 1710MHz 1545MHz 1800MHz 1582MHz 1733MHz
TDP 320W 250W 225W 250W 180W
Tamanho silício 628mm2 754mm2 545mm2 471mm2 314mm2
Transístores 28M 18.6M 13.6M 11.8M 7.2M

A PCB também encolheu imenso, com toda a traseira da gráfica dedicada às ventoinhas e canos. Isto significa que não há espaço para uma entrada de energia onde normalmente esperarias ver uma, na traseira. Ao invés disso, está no meio, distante da PCB. Não existe espaço para o normal par de conectores de oito pinos e por isso tens uma porta de 12 pinos mais compacta. Além de ser fisicamente mais pequena, este conector também é capaz de entregar mais poder, a chave desta gráfica como veremos mais à frente. Apesar de alguns fabricantes de fichas de alimentação já terem lançado cabos com 12 pinos para as suas PSUs modulares de topo, não te preocupes já, terás um adaptador incluído na caixa.

Na parte de baixo tens o conector PCIe, como é habitual, mas esta é a primeira gráfica Nvidia com o novo padrão PCIe 4.0. Isto deve permitir performance com menos restrições na performance em alguns casos e até vimos rácios de fotogramas ligeiramente melhores em Horizon Zero Dawn a 4K ao passar de PCIe 3.0 para 4.0 com um processador Ryzen 9 3950X com uma motherboard x570. No entanto, tivemos intervalos com rácios de fotogramas ligeiramente superiores a 4K a correr na 3080 no nosso Core i9 10900K, limitado a PCIe 3.0, e performance consistentemente mais rápida a 1080p a 1440p.

A selecção de portas também mudou um pouco, com a útil entrada USB-C VirtualLink removida devido ao pouco uso. Isto deixa-te com 3 portas DisplayPort 1.4a e uma HDMI 2.1. A RTX 3080 é a primeira gráfica com suporte para o padrão HDMI 2.1, com a sua imponente largura de banda de 48Gbps, suficiente para conectar a ecrãs 8K 60Hz ou 4K 120Hz com um só cabo e sem perda de qualidade.

Isto combina bem com o novo suporte para descodificação AV1, um novo padrão de vídeo que é até 50% mais eficiente do que o actual codificador h.264. Isto deve cortar a quantidade de largura de banda necessária para stream em alta resolução e/ou vídeos com elevado rácio de fotogramas e permitirá conteúdo de vídeo até 8K 60fps. Chrome, Twitch e VLC terão suporte na RTX 3080.

Alex Battaglia investiga a performance da RTX 3080 em Flight Simulator 2020.

Uma das partes mais fascinantes da Ampere é a extraordinária eficiência energética das gráficas. A Nvidia falou em 1.9x performance por watt com a Ampere comparada com a Turing, já de si com boa performance neste aspecto. No entanto, como seria de esperar da solução térmica e da nova porta de 12 pinos, a Nvidia optou por subir os limites de poder para conseguir o máximo de performance possível das novas gráficas. A RTX 3080 tem um rácio de poder a 320 watts, comparado com os 225 watts da RTX 2080, a recomendação da PSU mudou de 650W para 750W.

Para ver como se compara o consumo e eficiência energéticos da RTX 3080 com o de outras gráficas, medidos o consumo e rácios de fotogramas em Doom Eternal, Death Stranding e Gears 5 no máximo. Isto foi feito com a nova ferramenta de análise ao consumo (PCAT). O painel PCAT interpõe-se entre a gráfica e a sua fonte de energia, medindo os watts antes de os passar para a placa.

Apesar de não vermos o quase duplicar prometido pela Nvidia, a sua promessa que a Ampere tem melhor performance watt-por-watt do que a Turing foi confirmada. Começando com Doom Eternal, podes ver que a RTX 2080 Ti consome mais 5.4% watts por cada fotograma, em média. A RTX 2080 é menos eficiente, consumindo quase mais 20% watts do que a 3080. A AMD RX 5700 XT existe num patamar similar, exigindo 28% mais watts por fotograma do que a nova gráfica da Nvidia. Talvez sem surpresas, a GTX 1080 é a que tem mais problemas, exigindo mais de 50% mais watts por fotograma do que a RTX 3080.

Temos algo similar em Death Stranding e Gears 5, onde as percentagens mudam um pouco, mas a RTX 3080 Founders Edition permanece a campeã geral, seguida pela RTX 2080 Ti. A RTX 2080 e a RX 5700 XT trocam de lugar nos testes de Death Stranding, mas permanecem no meio, enquanto a GTX 1080 fica em último em todos os casos.

Watts Por Fotograma RTX 3080 FE RTX 2080 Ti FE RTX 2080 FE GTX 1080 FE RX 5700XT
Doom Eternal 2.479 2.613 2.968 3.775 3.161
Diferencial em percentagem 100% 105.4% 119.7% 152.3% 127.6%
Watts Por Fotograma RTX 3080 FE RTX 2080 Ti FE RTX 2080 FE RTX 1080 FE RX 5700XT
Death Stranding 3.349 3.562 3.954 4.239 3.846
Diferencial em percentagem 100% 106.4% 118.1% 126.6% 114.9%
Watts Por Fotograma RTX 3080 FE RTX 2080 Ti FE RTX 2080 FE GTX 1080 FE RX 5700XT
Gears 5 4.156 4.266 4.505 5.163 5.403
Diferencial em percentagem 100% 102.7% 108.4% 124.2% 130.1%

Se estás a pensar de onde vem a performance 1.9x por watt, é a parte inferior da curva de poder e devemos contar com ganhos mais impressionantes na RTX 3070, que a Nvidia diz ser mais poderosa do que a RTX 2080 Ti e com menor TPD. Para a RTX 3080 e mais especificamente a RTX 3090, a Nvidia usa o processo 8nm para inserir mais poder no silício, conseguindo mais performance, à custa da eficiência energética.

Com as novas gerações de gráficas GeForce e Radeon a caminho, optamos por actualizar o nosso equipamento de testes GPU. O nosso Intel Core i7 8700K e motherboard Asus Maximus 11 Extreme Z390 foram trocados por um Core i9 10900K com uma Asus Maximus 12 Extreme Z490 motherboard. A nossa memória aumentou um pouco, o novo equipamento usa dois conjuntos 8GB G.Skill Trident Z Royal a 3600MHz CL16. Estas melhorias devem significar que os jogos sentem menos restrições CPU, por isso as diferenças entre gráficas serão mais óbvias. Também actualizamos o nosso armazenamento com uma drive 2TB Samsung 970 Evo Plus NVMe.

Está na hora de ver como se porta a gráfica nos diversos jogos.

Análise Nvidia GeForce RTX 3080

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (30)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Phil Spencer fala num Xbox Game Pass Platinum

Bundle com subscrições e consolas.

"Streamers deviam pagar comissões aos estúdios", diz diretor criativo na Google Stadia

As editoras permitem transmitir gameplay e não ganham com isso.

Xbox Series voltam a esgotar na Amazon Japan

Segunda remessa das consolas esgotou rapidamente.

Também no site...

Phil Spencer fala num Xbox Game Pass Platinum

Bundle com subscrições e consolas.

Call of Duty: Mobile acumula 300 milhões de downloads

Amealhou mais de $480 milhões num ano.

Xbox Series voltam a esgotar na Amazon Japan

Segunda remessa das consolas esgotou rapidamente.

Comentários (30)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários