A Xbox Series X consegue correr Assassin's Creed Unity a 60fps

Uma melhoria revolucionária.

Alguns podem dizer que foi simplesmente muito ambicioso para plataformas nas quais foi lançado. Em 2014, o espetacular Assassin's Creed Unity da Ubisoft puxou pelos limites da tecnologia de diversas formas. A sua recriação de uma Paris Revolucionária é rica em detalhe, repleta de centenas de residentes no ecrã, numa cidade que além de maior detalhe no exterior, também introduziu interiores de grande detalhe. Combinado com os avanços na renderização de personagens e uma iluminação global espantosa que ainda hoje tem um aspeto incrível, Unity tinha tudo para ser uma obra de arte. O problema foi que não corria muito bem.

A Ubisoft admitiu que o foco na tecnologia foi exagerado, ao ponto de prejudicar o produto final, que corria mal na PS4 e Xbox One. Mesmo no PC foi preciso esperar anos por CPUs e GPUs para o correr bem. Curiosamente, nas versões de consola, em alguns casos, corria melhor na consola menos poderosa da Microsoft, apesar da resolução 900p nas duas, um indício da extraordinária carga exercida sobre a CPU e da pequena vantagem na velocidade da Xbox One. Após atualizações, melhorou, mas foi preciso esperar pela PS4 Pro e pela Xbox One X para conseguir correr o jogo próximo de 30fps fixos.

Agora, com a chegada da Xbox Series X, é finalmente possível jogá-lo a 60fps numa consola e são 60fps fixos. É uma das experiências mais transformadoras que já vi através da retrocompatibilidade. Um jogo conhecido pela sua performance má corre agora praticamente na perfeição. Na verdade, ultrapassar o limite dos 30fps não é fácil. Exige que os jogadores tenham acesso ao disco original e bloqueiem qualquer atualização. O código original é diferente pois corre com um rácio de fotogramas desbloqueado, mau na altura do lançamento, mas 6 anos depois permite-nos usar este incrível poder CPU nos processadoes Zen 2 da consola de próxima geração.

Alex Battaglia e John Linneman jogam AC Unity a 60fps na Xbox Series X.

Com a Xbox One X em 2017, o sistema de retrocompatibilidade corrigiu muitos dos problemas relacionados com a GPU e cenas mais simples podiam chegar aos 60fps. No entanto, ao chegar às ruas, a performance colapsava. Mesmo com um aumento de 30% no relógio sobre as consolas originais os núcleos AMD Jaguar não chegavam perto dos 60fps. A Series X consegue e com estilo, uma experiência quase perfeita. Apesar perto de um marcador de missão cooperativa mostra uma queda momentânea na performance que de resto é sólida. É um feito ver os cores Zen 2 conseguirem isto, especialmente ao pensar que é o código original que está a correr, sem as atualizações que o melhoraram imenso.

AC Unity na Xbox Series X tem melhor aspeto (beneficia com melhorias no filtro para texturas no chão mais limpas), mas também tem melhor performance. Muitas das suas incríveis melhorias foram removidas de Syndicate e podemos dizer que a série seguiu numa direção diferente com a chegada de Origins em 2017. Hoje, jogar Unity a 60fps fixos diz-me que se a Ubisoft decidir revisitar a fórmula clássica e a melhorar, existem finalmente poder para apresentar aquelas enormes cidades para nos perdermos nas suas multidões.

O Digital Foundry analise a retrocompatibilidade na Xbox Series X.

Se reservaste uma Xbox Series X, encontra uma cópia física do jogo e não instales atualizações. A Microsoft poderá tornar oficial empregar esta funcionalidades de "duplicar o rácio de fotogramas" neste jogo pois é óbvio que o código do jogo o consegue e abriria a porta para que a mesma experiência fosse possível na Xbox Series S. Sim, como AC Unity tem limitações relacionadas com a CPU nas atuais consolas, não vejo o porquê deste teste não ter os mesmos resultados na consola mais barata da Microsoft. No entanto, a ironia é que a sua natureza exclusivamente digital significa que instalar o código presente no disco não é possível. Talvez seja possível copiar o código original para um disco externo? De qualquer das formas, seria bom conseguir isto sem esforços extra.

Uma última nota. Como estamos a correr o código original através da retrocompatibilidade, poderás encontrar vários bugs que causaram diversão e frustração em 2014. Após várias horas passadas com o original na Series X, os meus problemas resumiram-se a NPCs desmaterializados e sombras com problemas numa sala. Poderá variar, mas lembro-me que muitos conseguiram jogá-lo na altura sem encontrar grandes problemas. Da minha perspetiva, Unity ainda se aguenta muito bem e tirando os problemas a percorrer a cidade, adorei revisitá-lo. As melhorias da equipa de compatibilidade da Xbox podem fazer imenso, a Series X certamente consegue 1080p60, mas talvez a Ubisoft deva assumir oficialmente o trabalho. A próxima geração abre portas a um remaster de Unity com grande qualidade e adoraria ver isso acontecer.

Salta para os comentários (66)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (66)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários