Sekiro: Shadows Die Twice é impressionante nas consolas, mas deixa a desejar com os inconstantes 30fps nas consolas base e com o rácio de fotogramas desequilibrado e desbloqueado nas versões mais poderosas. O brilhantismo do jogo é visível, mas a versão PC é de outro nível: 60fps fixos a 1080p é fácil de conseguir em gráficas mainstream, enquanto os mods da comunidade introduziram suporte ultra-wide e performance consistente até 144 fotogramas por segundo. Sekiro corre melhor no PC e isso beneficia imenso o gameplay.

A excelência entregue pela versão PC torna-se mais evidente ao voltar às consolas - a Xbox One X é a minha consola de eleição - e deixa-me que te diga, que mudança brusca. As versões de consola são visualmente mais confusas e o gameplay é muito menos consistente, na verdade até é mais difícil. Para mim, a maior diferença entre as versões é que quando morro no PC, sinto-me responsável pois tenho mais controlo. Na Xbox, parece que a minha incapacidade para o quão antecipadamente tenho de pressionar o botão de defesa é muito mais arbitrária, enquanto no PC, posso pressionar ligeiramente quando parece acertado e consigo, praticamente sempre, o resultado que quero.

Mas não é apenas nisto que um PC bem equipa pode ir mais além - ao contrário do que acontece nas consolas, existe a sensação que a versão PC está muito bem optimizada e até pode ser a plataforma principal. Habitualmente, olhamos para gráficas como a Nvidia GTX 1060 e a AMD RX 580 como as placas capazes de alcançar o dobro da performance das consolas a 1080p na maioria dos jogos, mas na verdade, ambas servem bem para correr a 1440p60 com definições equivalentes às das consolas, com pequenas quedas. Assim sendo, podemos estipular que a 1080p, gráficas menos poderosas devem ser capazes de correr o jogo a 60fps. A AMD pode exigir alguns ajustes nas drivers - surgem ocasionais soluços a 1080p, que pioram a 1440p.

Tudo o que precisas saber sobre o excelente port PC de Sekiro e como se compara com as versões de consola.

A versão PC também oferece pré-definições visuais superiores às das versões de PC e apesar de parecer que a Xbox One X corre a 1800p com o equivalente às definições high do PC, com as texturas no máximo. Com isto em mente, as grandes melhorias nos visuais de Sekiro são limitadas - na verdade, temos melhorias subtis na qualidade. As sombras têm menos aliasing, a oclusão ambiental, motion blur e reflexos screen-space estão ligeiramente mais refinados, enquanto a iluminação beneficia de mais fontes de luz à distância.

A pré-definição high oferece a grande maioria dos encantos visuais e combina bem com o rácio de fotogramas. Talvez não seja surpreendente - estas são as pré-definições da Xbox One X e descer os modos de qualidade abaixo disto começa a baixar a qualidade da apresentação. Além da resolução, não existe nenhuma definição que possa recuperar uma grande quantidade de performance. Nos nossos testes, descer as sombras de max para high melhora os rácios de fotogramas em 4%, enquanto uma queda similar na iluminação e sombras consegue 7% cada. A excelente AA super-sampling temporal (uma grande melhoria sobre os anteriores jogos da From Software) acrescenta 5% à performance se for desactivada, mas recomendo deixá-la activada - mas podes preferir injectar soluções pós-processamento através do Reshade.

Sekiro corre bem num grande conjunto de hardware e os resultados em equipamentos poderosos é espantoso. A RTX 2080 Ti consegue correr o jogo com as definições superiores a 4K60 e nunca vi um fotograma perdido na GPU, mesmo em áreas onde imagino que os velhos jogos Dark Souls teriam dificuldades. Penso que a From Software reajustou o fluir da arte, especialmente em termos de efeitos alpha altamente exigentes para a performance - esguinchos de sangue e fogo não destroem a performance tanto quanto nas anteriores versões do jogo. A RTX 2080 Ti também corre com as definições no máximo a 120fps - com pequenas quedas que se manifestam como pequenos soluços do que presumo ser streaming, provavelmente da CPU, memória ou SSD. Temos de ter em conta que podem ocorrer pequenos soluços ocasionais em qualquer PC que devido ao, penso eu, sistema de streaming de dados em segundo plano. No entanto, é uma experiência altamente fluída.

Xbox One XMax SSAOHigh SSAOMedium SSAOSSAO Off
A Xbox One X parece usar a definição high para a SSAO, que apresenta um ligeiro contorno nos objectos na oclusão ambiental.
Xbox One XMax Shadow QualityHigh Shadow QualityMedium Shadow QualityLow Shadow Quality
As sombras na Xbox One X são similares no elevado nível de detalhe, mas com filtro inferior, apresentando mais aliasing. A sombra do portão no PC pertence a cenário que foi destruído na Xbox.
Xbox One XMax Shadow QualityHigh Shadow QualityMedium Shadow QualityLow Shadow Quality
As sombras na Xbox One X são similares no elevado nível de detalhe, mas o filtro é inferior.
Xbox One XHigh Motion BlurMedium Motion BlurLow Motion BlurMotion Blur Off
O motion blur parece igual à definição high do PC, com o mesmo número de amostras.

Penso que a From Software fez um excelente trabalho com a versão PC de Sekiro: Shadows Die Twice e existe a sensação que toda a produção é tecnologicamente competente em quase todos os aspectos - mas não é perfeito. Para começar, existe a sensação que a From não está a dar tudo o que pode, o seu código é bem mais capaz do que até a própria pensa.

Sekiro corre a 60 fotogramas por segundo sem modificações - tal como os anteriores jogos PC da From, mas como já descobrimos, existem mods que desbloqueiam o rácio de fotogramas - elevando-os até um máximo de 144 fotogramas por segundo. Os bugs iniciais no mod já foram resolvidos e o jogo corre lindamente a rácios de fotogramas superiores - até a velocidade da abertura do motion blur se adapta. Os Modders também introduziram suporte para ecrãs ultra-wide e tudo corre muito bem, o que nos faz questionar: porque é que a From Software não incluiu suporte oficial para estas funcionalidades?

Existem poucos bugs, mas o suporte HDR é problemática. Funciona, mas sinto que é preciso entrar e sair da janela de jogo para que a HDR active e não deixe o jogo com cores deslavadas. Se estás com problemas no jogo, inicia-o, sai para o desktop e depois volta ao jogo e depois activa a HDR nas opções e deverá funcionar. Tentei recriar isto sem sucesso, mas existem imensos relatos que descrevem este problema.

Apesar de um pequeno número de problemas, não existem dúvidas que Sekiro: Shadows Die Twice é um grande lançamento para PC e apesar da existirem poucas melhorias em termos de qualidade visual sobre as consolas, correr o jogo a consistentes 60fps ou superior oferece uma experiência muito superior à de qualquer consola. Com isso em mente, é um jogo altamente recomendado.

Publicidade