NiOh regressará à PlayStation 4 na forma de uma sequela e o teste alpha revela que preserva muito do original, mas com vários refinamentos. Tal como o primeiro, é um jogo de acção altamente difícil, que tira ideias da fórmula Dark Souls e combina com funcionalidades próprias. Até custa a acreditar que este código é alpha - está polido e refinado ao ponto de parecer o jogo final.

À primeira vista, NiOh 2 não é um jogo surpreendente, mas com tempo o seu estilo visual começa a conquistar. A demo leva-te para uma aldeia rodeada por enormes montanhas enquanto o sol se põe no horizonte, criando sombras neste mundo perigoso. Cria uma forte primeira impressão e apesar de relembrar o original, rapidamente se torna óbvio que a equipa refinou a apresentação.

A iluminação recebeu melhorias e apresenta um uso mais dramático do sol e sombras. Além disso, o design do nível é mais refinado, com mais detalhe subtil pelo todo. Não está a par de Sekiro da From Software em termos de densidade geral, mas é na mesma um jogo atractivo e o seu alvo de performance é muito superior. NiOh 2 também tem uma solução HDR muito boa que faz bom uso do alcance dinâmico - uma novidade na série.

Existem muitas semelhanças com o original. Os jogadores podem escolher entre opções de resolução ou qualidade de imagem, desta vez existem 3 modos distintos: acção, filme e modo filme variável. Este tipo de escolha está, habitualmente, reservada para as consolas mais poderosas, mas NiOh 2 oferece todos os modos na PS4 e PS4 Pro - as diferenças são fascinantes.

O código de NiOh 2 é descrito como alpha - mas o nível de polimento faz pensar que é a versão final.

Action Mode é o padrão, no qual o jogo baixa a resolução e algumas funcionalidades de renderização para ficar o mais perto possível de 60fps fixos. É usada resolução dinâmica para estabilizar a performance e a PS4 corre na maioria do tempo a 720p, enquanto a PS4 Pro corre a 1080, mas nos dois casos, a resolução pode descer e subir. A qualidade de imagem não é a melhor e a técnica anti-aliasing não é tão eficaz. No entanto, sinto que é a melhor forma de o jogar - 60fps num jogo de acção rápida faz toda a diferença.

O Movie Mode bloqueia a performance a 30fps e na PS4 corre na maioria do tempo a 1080p, a Pro usa uma técnica de reconstrução para correr a 1800p, mais adequada para ecrãs 4K. O que gostei no selector de modos em NiOh 2 é que, ao contrário do primeiro, podes mudar entre eles em tempo real. As principais diferenças estão relacionadas com a variação na qualidade do terreno - Movie Mode parece usar tecelagem ausente no Action Mode, enquanto as sombras dinâmicas parecem animadas vs estáticas a 60fps.

Alguns efeitos estão presentes em todos os modos de jogo. Reflexos screen-space, por exemplo, são iguais nos dois, enquanto o sistema processual de nuvens está igualmente presente nos dois modos. Existem algumas arestas por limar, mas o aspecto geral do jogo é eficaz, especialmente ao entrar na realidade Yokai, onde surgem todo o tipo de efeitos no ecrã.

Apesar do corte na resolução e efeitos, o Action Mode é o meu modo preferido. Promete 60fps e na Pro, é praticamente fixo. A Team Ninja focou-se sempre nos 60fps e NiOh 2 parece cumprir com isto mais do que qualquer outro dos seus jogos. É muito fluído - apenas pequenas quedas na PS4. É fluído, mas não tanto quanto poderia ser, apesar da grande queda na resolução. É um jogo incompleto e vimos grandes melhorias entre a demo do original e a versão final, a equipa ainda tem tempo para ultrapassar estes obstáculos.

Esperamos que também melhorem o Movie Mode. A queda de 60fps para 30fps é muito perceptível, mas até a Pro pode registar quedas no rácio de fotogramas. Outro problema presente no primeiro e que não foi corrigido: existe uma inerente inconsistência no Movie Mode, parece ser causado por uma câmara que se actualiza em intervalos variáveis, criando uma experiência instável. A variável do Movie Mode? Tal como a versão padrão com um rácio de fotogramas desbloqueado - não é a forma que quero jogar o jogo pois fica aquém dos 60fps.

Os tempos de carregamento são um aspecto da performance que frequentemente não tem o valor que merece - é um dos aspectos mais impressionantes de NiOh 2. Vais morrer muito e os loadings são extremamente rápidos: tudo acontece em segundos.

NiOh 2 parece ser uma sequela sólida que poderá jogar demasiado pelo seguro, mas não faz mal - o original é um dos melhores jogos de acção da geração e estou ansioso para ver o que NiOh 2 oferece quando chegar. Se a Team Ninja cortar alguns dos elementos relacionados com o grind excessivo do primeiro, seria ainda um jogo melhor.

Publicidade

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.