O ano novo começa com Super Mario Bros U Deluxe na Switch - uma versão completa do original Wii U, com melhorias e ajustes visuais. Tal como muitos bons jogos na Wii U, o original passou ao lado de muitos, apesar de ser um dos melhores da série - por isso é bom ter uma conversão na Switch ao estilo de Mario Kart 8 Deluxe.

A Nintendo inclui o original e a expansão Luigi num só pacote e com a excepção da integração do Miiverse, o resto está aqui. Existem dois novos personagens - Nabbit e Toadette - que oferece formas mais fáceis de jogar. De resto, esta nova versão não tem muito mais, mas se olhares por baixo da superfície, existem mais mudanças do que seria de esperar.

Super Mario Bros. nunca foi a série tecnologicamente mais avançada da Nintendo. Ao invés disso, presta tributo ao legado da mascote, voltando ao molde de Super Mario World na SNES com o seu mapa visto de cima. Esta é a linha da Nintendo para uma rica tradição de jogos 2D, mesmo que sejam criados através de renderização 3D, que de outra forma seria perdida com o tempo.

Os sprites 2D de Mario World são trocados por modelos em 3D e a vantagem é que permite iluminação mais moderna e técnicas shader para elementos como água e lava. Também é usado um exemplo scrolling em paralaxe que é usado nos fundos 2D, tal como na era 16-bits - significado que diferentes camadas se movem em diferentes velocidades para criar a ilusão de profundidade. Super Mario Bros U vai mais além com um efeito de campo de profundidade e até feixes de luz. Em muitos dos cenários existem múltiplas camadas, nuvens, penhascos e efeitos extra como neve, para aumentar a sensação de posicionamento no cenário principal.

Eis um vídeo sobre o port de New Super Mario Bros U Deluxe.

Olhar para as antigas glórias da Nintendo desta forma revela uma foi perdida uma possível oportunidade para entregar na Switch algo ausente em U Deluxe. A noção desta série usar a funcionalidade de troca instantânea de peças é entusiasmante - que te deixa jogar um nível e escolher o estilo que recria o do original Mario World da NES ou actuais ofertas 3D. Tal ideia não foi usada aqui. Ainda assim, esta versão entrega uma boa qualidade em todos os níveis. Os inimigos e plataformas estão posicionados para encorajar as corridas pelos níveis e canos secretos recompensam quem explora. É Mario, refinado. Os visuais não surpreendem, mas são eficazes.

A versão Switch revela uma curiosidade: a versão Wii U, com a expansão Luigi incluída, tem um tamanho de 13GB. Na Switch, o tamanho desce para 2.5GB. É difícil descobrir o porquê, mas Luigi foi lançado como um jogo em separado, o que poderá significar que todos os assets foram duplicados a partir do original. Se for esse o caso, o tamanho do original Wii U poderá ter sido desnecessariamente aumentado.

Quanto aos visuais, nada foi comprometido. Compará-lo com o original na Wii U isto torna-se óbvio e está melhorado em todos os aspectos. A resolução subiu de 720p nativa para 1080p na Switch. Isto aplica-se a interface e texto, criando um aspecto nítido num ecrã full HD. É o mesmo jogo com os mesmos assets, mas tem bom aspecto, tal como a melhoria alcançada em Mario Kart 8 Deluxe. Tal como muitos outros jogos da Nintendo, a anti-aliasing ficou de fora. Tens os pixeis a 1920x1080 sem tratamento. Não é um resultado horrível, mas vais reparar em algum pixel crawl, especialmente em ecrãs 4K.

SwitchWii U
New Super Mario Bros. U Deluxe corre agora a 1080p, mas continua sem anti-aliasing.
Switch (Docked)Switch (Portable)Wii U
Eis uma comparação entre os modos dock e portátil, onde corre a 720p, tal como o original na Wii U.
SwitchWii U
A geometria foi ligeiramente ajustada e Peach ganhou uma nova face e cabelo.
SwitchWii U
As sombras foram melhoradas na Switch.

Além da resolução, existem refinamentos subtis. As texturas estão iguais, mas o filtro foi melhorado. A Switch aumenta a qualidade do filtro - talvez devido ao aumento na resolução - por isso, qualquer superfície tem um aspecto mais limpo. Também existem mudanças na geometria: Peach tem uma nova face e cabelo, mas o restante elenco está igual. Além disto, existem sombras de maior resolução debaixo de cada personagem.

No modo portátil, a experiência é idêntica, mas a resolução desce para 720p. Em modo mobile, Super Mario Bros U Deluxe fica idêntico à versão Wii U a correr numa TV - incluindo o filtro de texturas menos nítido. Como seria de esperar, a Nintendo foca-se no gameplay a 60fps e a Switch não falha. Após jogar 10 horas em modo mobile, alguns momentos com 4 jogadores, não registei qualquer queda em modo dock ou portátil.

Já vimos conversões mais ambiciosas para a Switch. Além de novos conteúdos, as novidades limitam-se aos visuais a 1080p, melhor filtro de texturas, modelos de personagens alterados e sombras melhoradas. Super Mario Bros U Deluxe entrega o que esperávamos. É uma forma de chamar atenção para um excelente trabalho que poderá ter passado despercebido. Quem pode culpar a Nintendo? Esta conversão é directa, mas para quem não o jogou, vale bem a pena. Para o resto, é uma proposta menos valiosa, mas é recomendado para quem o quiser revisitar - agora com modo realmente portátil.

Publicidade

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Mais artigos pelo Thomas Morgan