WipEout Omega Collection na Realidade Virtual

O Digital Foundry jogou-o na PS4 Pro.

Já a consideramos uma compra altamente recomendada para os utilizadores da PlayStation 4 e Pro, mas WipEout Omega Collection da Sony sobe hoje um patamar devido às melhorias gratuitas que introduzem suporte para Playstation VR. Tivemos acesso à versão PS4 Pro e jogámo-la extensivamente - e podemos garantir que se trata de algo especial.

Para começar, é o jogo completo. Não existem cortes, compromissos ou reduções no conteúdo - é simplesmente uma alternativa em realidade virtual das formas que tens actualmente de jogar o jogo, chegando ao ponto de permitir que jogadores VR partilhem a experiência com os utilizadores da PS4 e PS4 Pro. Ainda estamos a fazer as nossas comparações no que diz respeito às diferentes plataformas mas não existe qualquer evidência que aponte para cortes visuais. Até porque WipEout Omega Collection pode correr a uma resolução 4K bloqueada e a 60 fotogramas por segundo na Playstation 4 Pro, o que sugere que o GPU consegue acomodar o ecrã 1080p da PSVR.

De facto, podemos confirmar que super-sampling está activo, o que significa que a aparência serrilhada que costumas encontrar em títulos PSVR é significativamente reduzida. A PS4 Pro renderiza de forma nativa os 1620p antes de fazer downsampling para os 1080p do visor - não são exactamente 4K mas temos que ter em mente que o poder necessário para o VR é ligeiramente maior. Ao produzir uma imagem 3D estereoscópica, a mesma é renderizada duas vezes com uma ligeira diferença entre ambas.

De forma semelhante às versões existentes de Omega Collection, o framerate está bloqueado nos 60 fotogramas por segundo, com a interpolação de movimento incorporada para suportar o ecrã de 120Hz do PSVR - apesar de se assemelhar a outros títulos que usam esta técnica, é ainda assim possível notar "ghosting", particularmente em movimento lateral rápido. Mas o aspecto chave aqui é a consistência - depois de muitas horas a jogar, não notámos quaisquer quebras na performance.

A nossa primeira experiência com Omega Collection. Agora podes obter tudo isto em realidade virtual com o lançamento do update.

O conceito de correr WipEout em realidade virtual soa excitante em teoria, e resulta lindamente na realidade. Os primeiros segundos são um bom prenúncio, permitindo-te verificar o cockpit do condutor de forma aproximada ou olhar para cima e inspeccionares o ambiente em teu redor. É WipEout a uma escala que nunca viste anteriormente, e é magnífico. Posteriormente, a acção intensifica-se, mas o adjectivo "intenso" não é o suficiente para descrever aquilo que se segue.

Uma palavra de aviso, todavia: trata-se de um jogo intenso com movimentos rápidos que poderão causar problemas a diversos utilizadores. Precisarás das tuas pernas VR para conseguires lidar com esta experiência. Pessoalmente, joguei o jogo três corridas de cada vez antes de fazer uma pausa de maneira a conseguir lidar com esta experiência assoberbante. O que é interessante, é o facto de aparecerem avisos que te informam sobre possíveis enjoos que o jogo pode causar, algo que irá acontecer nas pistas mais extremas e que resulta na activação do piloto automático - podes desactivá-lo se bem entenderes.

É uma corrida turbulenta, mas igualmente espectacular. Esta é a experiência WipEout sem qualquer tipo de compromissos - algo que se estende também à intensidade da acção.

Salta para os comentários (4)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários