Na semana passada, recebemos uma unidade especial da Nintendo Switch, equipada com uma funcionalidade especial que vai melhorar radicalmente a nossa cobertura. Resumindo, esta nova consola oferece a capacidade de capturar directamente vídeo em modo portátil. É uma funcionalidade que não oferece muito ao jogador comum - que pode ligar a consola à dock e capturar através da HDTV, mas para o Digital Foundry, é algo radical - finalmente podemos capturar a Switch em modo portátil para ver como se compara com o jogo na dock.

Vamos relembrar como funciona a Switch em modo portátil. O processador ARM Cortex A57 corre a cerca de 1GHz seja na dock ou fora dela, mas a GPU muda o relógio - descendo de 768MHz na dock para 307.2MHz ou 348MHz em modo portátil. Basicamente, os programadores podem optar por mais poder à custa da duração da bateria, mas quase todos os jogos 3D emprega vários compromissos para o modo portátil. Antes, apenas podíamos olhar para imagens e vídeos de baixa qualidade a 30fps, através do sistema operativo da Switch e nos jogos compatíveis, mas agora podemos ver tudo.

O mod em si está disponível para todos, podes comprar as unidades ao criador, 'Katsukity'. Podes comprar uma nova ou uma já modificada. Quem segue o Digital Foundry pode relembrar-se de quando falamos de um mod para capturar vídeo na PlayStation Vita - sim, este novo mod é da mesma pessoa, que ganha a vida a adicionar capacidades de vídeo a várias portáteis, incluindo o GamePad da Wii U.

O modo apresenta uma placa na traseira da consola, envolta numa carcaça de plástico com uma entrada USB 3.0 no topo - este cabo liga-se ao teu PC e usas um programa especial para apresentar a imagem no monitor. Uma entrada HDMI tornar o processo mais simples, mas cumpre o serviço sem perder fotogramas (mas recomendamos ligar o cabo USB 3.0 à traseira do PC - as entradas frontais tendem a ser baseadas num hub, o que pode afectar o fluxo dos dados). A dock em si também é cortada para albergar a Switch modificada. No geral, não fica bonito, mas resulta.

Eis o novo mod à Nintendo Switch para capturar vídeo em modo mobile.

Existem várias opções para ajustares como a imagem é apresentada e o tamanho do backbufer que desejas usar para capturar. É espantoso o quão nítida a imagem pode estar - 720p convertida para 1440p ou 4K fica gloriosamente nítida. Mesmo a interface da Switch é beneficiada com isto. No entanto, a preferência foi para o sinal 1080p padrão que tens da dock.

O mais importante são os jogos e o que podemos agora descobrir deles. O primeiro jogo que corremos foi The Legend of Zelda: Breath of the Wild. É um dos melhores jogos da consola e que usa bem o equipamento. Também demonstra os benefícios do ecrã mais pequeno - em modo portátil, Zelda usa uma resolução adaptável que alterna entre 1280x720 e 648p, mas ao jogar, é difícil de ver. Certo, podes notar alguma perda de nitidez, mas é muito mais importante evitar a queda de fotogramas. Com o mod colocado, podes ver facilmente quando o jogo alterna entre as duas resoluções. A resolução adaptável é usada com muito mais frequência do que pensávamos e demonstra quanta margem de manobra os programadores têm ao trabalhar com um ecrã mobile, usando vários truques para melhorar a performance.

No lançamento, Zelda melhorava a performance ao correr em modo mobile, mas após várias actualizações, o jogo parece correr a 30fps nos dois modos (pelo menos no início - a falta de saves na cloud, ou a falta de modo para guardar saves, limitou os nossos testes). No entanto, parece que a performance pode mesmo melhorar em modo mobile em alguns jogos - incluindo no port quase milagroso de DOOM 2016. Voltamos a examinar este jogo no início do ano com a mais recente instalação e em modo dock a resolução média aumentou. No entanto, com o novo kit de captura, podemos confirmar que o jogo corre mesmo com melhor performance em alguns locais em modo portátil.

Com os seus relógios reduzidos, são necessários sacrifícios e isso chega na forma de uma resolução inferior - no modo dock passa a maior parte do tempo entre 648p e 720p, o modo portátil baixa frequentemente para 432p. O ecrã pequeno ajuda a aliviar isto, 432p é indiscutivelmente baixo, deixando o jogo com um aspecto muito desfocado. No entanto, a troca é óbvia - ao aumentar a margem da resolução, DOOM pode correr com melhor performance em modo mobile.

O teste seguinte foi a excelente conversão de Wolfenstein 2 da Panic Button. Não existem melhorias na performance em modo mobile - corre com menor fluidez, mas existem áreas onde a resolução é na verdade maior ao modo mobile. Na dock pode cair para 540p ou inferior para mitigar as quedas na performance, mas como o modo mobile já está neste nível na maior parte do tempo, é a performance que sofre. Isto realça que apesar do ecrã mais pequeno conseguir esconder muitos dos compromissos visuais (a remoção da oclusão ambiental passa despercebida), existem limites. Apesar de 648p passar despercebida em Zelda, as quedas para 432p e 360p são óbvias em modo mobile.

Não são apenas os jogos third-party que usam técnicas especiais para tornar possível o modo mobile. Super Mario Odyssey intercala entre duas imagens 640x720 a todo o tempo em modo mobile. Numa cena totalmente estática, tens a ilusão de 720p nativa, mas na verdade é menor. Isto é uma estratégia eficaz quando jogas no ecrã pequeno, mas ver a imagem através do kit de captura demonstra que não vimos nada como isto no modo dock - e não funciona bem. No entanto, é um bom exemplo de como os programadores usam truques específicos do modo mobile para preservar a experiência completa em modo portátil. Se olhares de perto para o ecrã podes ver isto, mas não se nota de imediato. É a forma como a Nintendo conseguiu preservar a experiência em formato mobile que realmente importa.

Nem todos os estúdios têm sucesso no que diz respeito a encontrar boas soluções para modo portátil. Xenoblade Chronicles 2 é um exemplo de uma qualidade de imagem portátil que não satisfaz. Usa um forte filtro de nitidez que produz vestígios severos na arestas. Parece demasiado nítido e apesar de suportável em modo dock, o gameplay portátil sofre imenso. Além disso, a enorme queda na resolução é acompanhada por uma pequena queda na performance. Xenoblade 2 é um dos poucos jogos que sofre imenso em modo portátil: a performance é pior e a qualidade de imagem abismal. Pode não descer tanto quanto Wolfenstein 2, mas o tratamento de imagem assegura que tem pior aspecto. Mesmo no ecrã pequeno, os problemas são óbvios.

Docked ModePortable Mode
Em Zelda, a diferença entre portátil e dock é a mesma que reportamos no passado, mas pela primeira vez, podemos verificar em pleno a qualidade do modo portátil.
Docked ModePortable Mode
É uma amostra impressionante no modo portátil - sem contar com a resolução, é a mesma experiência em modos portátil e dock.
Docked ModePortable Mode
Nesta cena de Wolfenstein 2 existe a sensação que a qualidade de imagem é ligeiramente mais limpa em modo portátil do que na dock. É raro, mas pode acontecer.
Docked ModePortable Mode
No entanto, na maioria do tempo, o modo dock produz uma imagem em resolução superior, como esperado.

Nos nossos testes, tudo se resume a comprometer a resolução ao passar para mobile, mas a Bayonetta Collection é interessante pois correm a 720p nos dois modos e a grande diferença está na performance, na dock tenta ficar o mais perto possível de 60fps, enquanto em modo mobile fica igual ou um pouco melhor do que na Wii U. Mario Kart 8 é outro jogo que oferece uma experiência ao nível da Wii U em mobile: a qualidade de imagem é muito boa e temos 720p a todo o tempo. Na Wii U era usada uma resolução dinâmica que variava de acordo com a exigência da cena e apesar disto até poder estar presente na Switch, todos os testes indicam uma resolução nativa fixa, mesmo em modo mobile.

Queremos fazer muito mais com este mod além de Bayonetta e queremos testar jogos como Payday 2 e Hyrule Warriors, também temos o potencial para medir a performance entre mobile vs dock, para ver como o poder GPU extra na dock se traduz em performance, mas decidi terminar estes testes com um olhar a alguns jogos multi-jogador muito populares.

Paladins da Hi-Rez Studios é glorioso em modo mobile e a correr num monitor PC não perde muito, fiquei impressionado com a fluidez do jogo e a resolução. Ao nascer ou em grandes batalhas, a resolução pode descer muito - até 378p. No entanto, isto não acontece muitas vezes e é uma amostra impressionante para um jogo Unreal Engine 3, tendo em conta que não existe suporte oficial da Epic.

Também tive de testar Fortnite - um jogo Unreal Engine 4 que se porta muito bem na Switch. Tal como Paladins, a resolução pode cair e a qualidade de imagem pode sofrer. A técnica AA temporal agressiva pode produzir momentos feios, mas a maioria passa despercebido no pequeno ecrã. Também é interessante compará-lo com a versão iOS: dispositivos como o iPhone X oferecem uma GPU mais poderosa, que resulta numa resolução geral superior. No entanto, a API de baixo nível da Switch permite mais funcionalidades e a inclusão de técnicas como conversão dinâmica de resolução e AA temporal. Assim que a versão Android surgir, será interessante ter um confronto mobile para ver como se porta a portátil da Nintendo contra as melhores GPUs mobile do mercado.

No geral, aprendemos muito graças a este mod. Confirmamos muitos dos nossos pensamentos iniciais sobre o funcionamento dos modos mobile em vários jogos e aprendemos muito sobre as técnicas usadas em algumas experiências de topo numa portátil. Além disso, também ganhamos mais respeito pelo esforço do desenvolvimento empregue nestes jogos numa fascinante e única consola.

Publicidade

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.

Mais artigos pelo John Linneman

Comentários (8)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados