A estratégia da Nintendo em lançar remasters Wii U continua a recompensar, Donkey Kong Country Tropical Freeze da Retro Studios é o próximo a caminho da Switch. É um jogo que vale a pena ressuscitar - a sua poderosa mistura de controlos fantásticos, excelente design de níveis e memorável banda sonora de David Wise tornam-no num favorito pessoal - mas quais as melhorias e refinamentos na Switch?

É uma conversão directa com apenas pequenos ajustes para tirar proveito da Switch. É uma experiência mais polida e a grande melhoria está na resolução: a Wii U corria-o a 720p nativa, enquanto a Switch o corre a 1080p nativa na dock.

O design visual funciona bem a 720p e o salto para 1080p permite que os detalhes mais pequenos brilhem, mas poderá surpreender o quão subtil pode ser o aumento na resolução. As texturas estão mais nítidas, mas a perspectiva fixa ajuda a minimizar o ruído visual e aliasing na Wii U. No modo portátil, corre a 1152x648.

Examinámos vários níveis para tentar descobrir se existe uma resolução dinâmica, mas não encontrámos nada - Tropical Freeze corre com uma resolução fixa. Jogado no ecrã da Switch, é evidente uma perda de nitidez, mas como vimos na Wii U, o design da arte ajuda a mitigar os problemas de uma resolução não nativa.

Donkey Kong Country Tropical Freeze é um jogo adorável. Não é vanguardista, mas demonstra os benefícios de um motor optimizado e boa direcção artística. A versão Switch é muito idêntica à da Wii U, mas existem algumas mudanças; uma subtil diferença no pelo de Kong e outros efeitos dos cenários, enquanto outros aspectos da conduta de renderização parecem ligados à resolução. O brilho da iluminação aumenta o seu alcance em resoluções inferiores, ficando mais perto do original em modo portátil.

Donkey Kong Country Tropical Freeze na Switch.

Além destes pequenos ajustes visuais e o aumento na resolução, não há muito de novo em termos de melhorias visuais. É difícil queixar pois o jogo tem bom aspecto e é muito melhor do que DKC Returns na 3DS.

Existe uma outra grande melhoria - os tempos de carregamento. Na Wii U, sem disco rígido, o jogo tem tempos de carregamento de segundos, cortados para segundos na Switch. Entrar num nível era muito mais rápido, mas a Switch consegue-o praticamente em metade do tempo, sendo fácil pegar e jogar.

A performance também está perfeita. A Retro Studios foca-se em 60 fotogramas por segundo e Tropical Freeze não é excepção. Na dock, a Switch não tem problemas em correr cada nível nesse alvo. Não encontrei nenhuma queda de fotogramas ou qualquer soluço. É um daqueles jogos que consegue evitar por completo as quedas.

Docked ModePortable Mode
A resolução aumentou para 1080p nativa na dock e o modo portátil corre a 1152x648. Alguns efeitos, como o brilho da iluminação, variam dependendo da resolução.
SwitchWii U
A resolução superior melhora a nitidez das texturas pelo todo, mas é especialmente evidente em elementos como as flores.
SwitchWii U
Além da resolução superior e tempos de carregamento mais curtos, a versão Switch é basicamente igual à da Wii U.
SwitchWii U
As sombras do pelo e iluminação em Donkey Kong receberam um pequeno ajuste. Kong combina de forma mais natural com o cenário.

Existe sempre uma probabilidade de perder um fotograma, mas não encontrei uma única queda. É muito estável. Melhor ainda, em modo portátil a performance é igual. Aqui, o rácio de fotogramas é ainda mais importante. Além da performance e visuais, existem outros aspectos dignos de menção. Tropical Freeze exige apenas 6.6GB de espaço se comprares a versão digital, significando que não ocupará muito espaço num MicroSD e até na memória interna.

Tropical Freeze continua muito divertido. As melhorias são bem-vindas, mas não essenciais e o jogo vale a pena mesmo para quem o comprou na Wii U. Design visual inteligente combinado com performance suave podem ajudar um jogo a envelhecer bem. Existem imensos detalhes sonoros e visuais que ainda impressionam. A câmara dinâmica, as animações e a banda sonora estão tão boas agora quanto no lançamento do original.

Donkey Kong Country Tropical Freeze sempre foi o meu favorito jogo de plataformas e a versão Switch oferece melhorias visuais na dock e uma experiência portátil muito fluída. As conversões Wii U continuam a chegar à Switch - algumas boas, outras más - mas os exclusivos da Nintendo ainda se aguentam bem, Donkey Kong Country Tropical Freeze demonstra-o muito bem.

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.

Mais artigos pelo John Linneman

Comentários (14)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados