Yooka-Laylee chegou finalmente à Switch e encaixa na perfeição. O primeiro jogo da Playtonic é um jogo de plataformas focado na exploração e o salto para hardware moderno permitiu aos designers criar mundos muito maiores e complexos do que os jogos nos quais se inspiraram. É por isso que existiram dúvidas sobre a versão Switch. Yooka-Laylee é um jogo Unity de larga escala na Switch e apesar de já existirem muitos jogos Unity nela, o nível de performance nem sempre foi bom, mesmo em jogos simples.

A Team 17 converter o jogo para a PS4 e Xbox One, mas foi a Playtonic que tratou da versão Switch e é uma obra de carinho - não te preocupes, a qualidade dos visuais e performance é excelente. É a abordagem ao port que mais interesse desperta: ao invés de forçar os assets da PS4 e Xbox One na Switch, a Playtonic criou nova arte 3D onde foi preciso, mais adequada para o poder da consola. Além disso, existem outros acertos inteligentes. A não ser que os jogues lado a lado, não notarás a diferença.

Nós fizemos isso, mas apenas serviu para destacar o esforço dedicado a ajustar os visuais na Switch. Além disso, é a mais recente versão do jogo, repleta de ajustes e mudanças para melhorar a experiência. A câmara foi melhorada e o jogo em si está mais polido.

Vamos ao básico. Sabemos que Yooka-Laylee correria na Switch numa resolução inferior à da PS4 e Xbox One, o que confirmamos agora a 900p e 630p em portátil. É um bom compromisso para um sistema que consegue um equilíbrio aceitável entre performance e qualidade de imagem, especialmente em modo mobile onde o jogo tem um aspecto limpo, apesar da resolução não ser nativa.

Eis Yooka-Laylee na Switch - um port muito bem ajustado para a consola.

Os ajustes são evidentes, mas a apresentação geral está muito próxima do original. O uso subtil de campo de profundidade em cenário distante desapareceu - uma mudança que faz sentido tendo em conta o quanto este efeito afecta a taxa de preenchimento. A resolução das sombras foi reduzida, compensado com um filtro suave para impedir que fiquem com pior aspecto, e a distância de visibilidade das sombras é a mesma. Tal como em outros jogos Switch, a oclusão ambiental está inferior, afectando o aspecto de alguns níveis.

A iluminação foi modificada em algumas cenas. Foi necessário para reduzir o número de sondas de reflexo na Switch e isto pode ser observado em zonas da área central. Fica diferente, mas não pior. Alguns objectos e geometria foram modificados para versões mais simples. Isto funciona porque durante a maioria do gameplay, apenas é ajustado o detalhe no cenário de fundo.

Não é um simples caso de inferiorizar definições e é isso que o torna tão interessante. Foi alvo de grandes cuidados para assegurar que as mudanças têm um impacto mínimo na apresentação e foram muito bem sucedidos. A Playtonic merece respeito por o ter segurado até estar em condições. Apesar do curto tempo de desenvolvimento, ainda existiam problemas que revelam o desafio de utilizar ferramentas de outros.

"Em Setembro, enfrentámos alguns problemas que foram corrigidos/melhorados numa versão mais recente do Unity," disse-nos Simon Gerges da Playtonic. "Infelizmente, a performance nessa versão era ligeiramente pior do que na versão que tinha sido optimizada, por isso não o podíamos aceitar. Corrigir isto exigia uma actualização ao Unity que estávamos a usar. A mais interessante era um formato de cor HDR que melhorava os visuais sobre a nossa versão do Unity que era compatível com a Switch."

SwitchPS4
A versão Switch está altamente similar, mas vês diferenças na iluminação, sombras e cenários.
SwitchPS4
O campo de profundidade foi removido e existem elementos remodelados.
SwitchPS4
O segundo mundo está mais aproximado entre as duas, mas a falta de oclusão ambiental destaca-se. Pelo outro lado, existem mais sombras na Switch.
SwitchPS4
O filtro de texturas na Swith está inferior.

A espera recompensou. Yooka-Laylee apresenta-se a estáveis 30fps. Não existem soluços ou outros problemas, Sim, 60fps é preferível, mas este é um jogo a 30fps nas outras consolas e a versão Switch segue o exemplo. Poderás ver pequenas quedas ocasionais e, tal como na Xbox One, muitos efeitos alpha podem causar problemas.

Apesar destas quedas raras, a maioria do jogo corre a 30fps fixos. Melhor ainda, parece correr melhor em modo portátil e é a experiência mobile que se destaca. Este tipo de jogo de plataformas fica espantoso numa portátil. Fácil de pegar e começar a jogar com um objectivo em mente e a funcionalidade descanso da consola é excelente para que voltes a iniciarl.

Yooka-Laylee na Switch está excelente e é um dos melhores exemplos de um jogo Unity de larga escala. Os cortes foram bem pensados e o rácio de fotogramas corre a 30fps estáveis na maioria do tempo. A experiência na Switch fica muito perto da PS4 e Xbox One, o que é impressionante. Tem um aspecto fantástico na dock e em mobile, oferece algo único.

Se estás com reservas ou preocupado que não corra bem na Switch, podes ficar descansado - vale bem a pena. É a forma perfeita de terminar o ano para um fã de plataformas com uma Switch. Entre Super Mario Odyssey, Sonic Mania, Blaster Master Zero, Mighty Gunvolt Burst e Shovel Knight, a Switch apresenta um catálogo sensacional.

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.

Mais artigos pelo John Linneman

Comentários (18)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários

Conteúdos relacionados