Jogámos Tekken 7 - e o modo PlayStation VR

O Digital Foundry fala sobre o uso do Unreal Engine 4 para elevar a série da Bandai Namco.

A versão arcade de Tekken 7 começou a ser testada no Japão há três anos atrás e foi lançada em 2015, actualizada com novos conteúdos em 2016. Foi preciso esperar por 2017 pela aguardada versão caseira, que chega a 2 de Junho. Um teste inicial com a versão PS4 sugere que a espera valeu a pena e que existe um modo extra muito interessante - pela primeira vez, um fighting game numa série de renome está a testar o caminho na realidade virtual.

Num recente evento da Bandai Namco, o Digital Foundry teve a oportunidade de jogar uma versão quase final de Tekken 7, e sim, também tivemos acesso ao jogo com o visor PlayStation VR. Antes do evento, pensamos que existiam duas formas para apoiar o VR em Tekken 7 - o gameplay podia ser modificado para favorecer uma perspectiva na primeira pessoa, ou podiam colocar-te numa perspectiva de espectador na terceira pessoa num ambiente VR, juntamente com os dois lutadores. A Namco escolheu a segunda opção.

Existe a sensação que o estúdio de Tekken abraçou o VR como uma experiência: na versão que vimos, as opções gameplay são limitadas. Não existe HUD, o que significa a ausência de barras de energia, ou seja, a luta não tem fim. Ao invés disso, os lutadores praticam contra um adversário imóvel para descobrir combos e aprender movimentos, ou activar uma IA CPU poderosa para combater sem fim. Os modelos dos personagens e os efeitos explosivos de contacto estão presentes, mas os cenários estão despidos e temos na verdade um espaço infinito.

Resumindo, o que temos aqui é um extra interessante, mas presumindo que a experiência VR é isto, será um novo modo PSVR opcional como já vimos em outros jogos de alto perfil. A Namco disse-nos que se o modo VR tiver sucesso suficiente poderão ser criados mais conteúdos, através de actualizações, mas de momento os conteúdos são escassos nesta versão. A boa notícia é que fora do modo VR, Tekken 7 parece mesmo uma sequela de nova geração como esperas.

O Digital Foundry fala sobre Tekken 7 na PS4 normal - com direito a momentos PS VR.

A versão arcade original foi construída de raiz numa arquitectura PC com o Unreal Engine 4 - o mesmo motor empregue em Street Fighter V - facilitando a transição para as consolas ao invés de um motor personalizado. No entanto, a Namco investiu imenso tempo e esforço para tirar o máximo proveito das funcionalidades visuais do UE4, ao mesmo tempo aproveitou a oportunidade para usar a tecnologia e evoluir mais o estilo do jogo. Os cenários 3D estão melhor do que nunca, não só em termos de detalhe mas também na qualidade da iluminação e materiais. Os lutadores estão lindos - mais próximos das renderizações CG que vimos ao longo da história da série.

Usando Tekken 6 como inspiração, a imensa conduta pós-processamento de UE4 é empregue de forma impressionante, algumas escolhas interessantes podem dividir a opinião dos fãs - a grainha é fortemente usada, varia dependendo do modo de jogo (no Story Mode temos uma implementação mais estilizada). Os programadores também fazem um bom uso dos efeitos do UE4 para tirar o máximo proveito das explosões características da série - as partículas GPU presentes adicionam uma camada extra de impacto, efeito destacado ainda mais quando combinado com o impressionante trabalho da câmara dinâmica.

O uso do UE4 serve um propósito - apresentar um aspecto estilizado que relembra o trabalho CG em tempo real, a equipa apresenta luxuosos detalhes e efeitos pós-processamento numa fórmula de jogo básica que relembra imenso os anteriores. Sim, podes entrar neste jogo descansado pois vários dos movimentos de anteriores jogos transitaram, e o estilo familiar da animação está de volta. Combinado com o sistema de combos e a performance sólida a 60fps, não há dúvida que apesar do motor ser diferente e das melhorias visuais, é um jogo Tekken, um jogo que os puristas da série devem desde logo adorar.

Se existe um compromisso para lidar com a implementação do Unreal Engine 4, parece ser a resolução inferior. O UE4 tradicionalmente emprega uma forma de anti-aliasing temporal que pode dificultar a contagem de pixeis, mas a natureza suave da apresentação parece derivar dos extensos efeitos pós-processamento e de uma resolução nativa que parece ficar mais perto de 900p do que 1080p padrão que vemos nos jogos PS4. A cobertura AA também é estranha, permitindo jaggies visíveis em arestas limpas em cenários industriais, o que ocasionalmente retira algum do refinamento à apresentação.

Tendo em conta o aspecto luxuoso do jogo, não é um grande problema (e ainda não vimos as melhorias PS4 Pro) mas vale a pena lembrar que Tekken 7 é um jogo multi: com o equipamento apropriado, a versão PC poderá ir além de 1080p, mas ficamos a pensar na estratégia para a Xbox One.

No geral, ficamos entusiasmados com Tekken 7 e as perspectivas do jogo. Parece familiar o suficiente para os veteranos mergulharem logo, mas também parecem existir suficientes novidades para assegurar que há muito para aprender e descobrir. O gameplay permanece acessível o suficiente para novatos e os visuais patrocinados pelo Unreal Engine 4 serão mesmo impressionantes. Ainda não sabemos como está no PC, PlayStation 4 Pro e Xbox One mas assim que pudermos teremos mais novidades.

Publicidade

Salta para os comentários (0)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (0)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários