Confronto: Resident Evil 4 Remastered

A versão definitiva?

Resident Evil 4 já tem mais de dez anos e uma grande quantidade de versões, mas ainda não recebemos um remaster que seja melhor que o original GameCube em pleno. Quando esta versão para PlayStation 4 e Xbox One foi anunciada, ficamos interessados. Será que o icónico jogo foi finalmente revisitado, revisto e remasterizado em pleno? Ou é apenas um mero port?

Estas versões são baseadas na versão Ultimate HD Edition do PC, baseada no original GameCube. É importante distinguir isto pois o port PC original de 2007 é baseado na versão inferior da PS3. Apesar da idade, nunca nenhum dos ports igualou em pleno o original. Certos efeitos, tais como efeitos de fogo de alta densidade, campo de profundidade e partículas de pó estão ausentes enquanto as cores estão menos saturadas, eliminando o contraste entre luz e sombra. Estas críticas aplicam-se a todas as conversões - mesmo estes novos remasters. No entanto, apesar da imagem parecer menos rica, a maioria da experiência está intacta e a maior resolução ajuda a compensar as deficiências.

Desde logo é aparente que a qualidade de imagem não é a esperada. Ambas operam a 1080p mas sem anti-aliasing - mesmo algo como FXAA faria a diferença aqui. Combinado com a falta de mip-maps (texturas geradas para combater o aliasing nas superfícies) o jogo sofre com imenso aliasing. Na GameCube, isto acontecia provavelmente para evitar o blurring do filtro trilinear, mas em consolas modernas é possível usar filtro anisotrópico em mip-maps para criar algo mais nítido e limpo. Não acontece.

A qualidade de imagem é compensada com o foco na performance - ambas correm a sólidos 60fps. Ainda não completamos o jogo mas jogamos os primeiros capítulos na PS4 e Xbox One sem qualquer soluço. Tal como a versão PC que as precede, o código original não foi desenhado para correr a 60fps e podem surgir problemas.

Análise a vídeo de todas as principais versões de Resident Evil 4 e uma avaliação da qualidade desta mais recente.

Algumas animações ainda correm a 30fps e parecem desajustadas do resto. Animações de efeitos alpha, como fogo ou água, também correm a 30fps. Alguns jogadores falaram em problemas com o rácio com que alguns itens surgem, devido ao rácio de fotogramas, enquanto outros encontraram problemas na animação acelerada, a mira de Leon move-se demasiado rápido. Não conseguimos recriar estes problemas mas existem vídeos que sugerem que a experiência não é perfeita para todos.

É possível escolher entre três tipos diferentes de controlo e ao usar o Type 3, que emula o original, a versão PS4 obriga o uso do R1 e L1 de forma desconfortável. Felizmente, é possível escolher os nossos controlos.

No menu de opções é possível activar o motion blur, apresentado aqui numa implementação datada que afecta a imagem. Recomendámos jogar com ele desactivado - mas é uma desilusão não ver um efeito mais moderno. Também a incapacidade de usar as texturas originais da GameCube é uma desilusão. Apesar dos novos bens serem mais nítido, a versão PC permite optar entre as duas.

Mas existe uma vantagem sobre a versão PC, a criação de texturas de alta resolução adicionais que estavam ausentes da versão PC. As faces dos aldeões, por exemplo, é muito mais detalhada na PS4 e Xbox One. Um belo esforço adicional mas com pouco impacto na apresentação geral.

Resident Evil 4 na Xbox One e PlayStation 4 é um bom por mas não fantástico. Corre suave e com bom aspecto mas não vai até onde gostaríamos. Se quiserem voltar a jogar Resident Evil 4, ou jogar pela primeira vez, existem formas piores. Pelo menos na PS4 e Xbox One está 100% idêntico, sendo uma questão de qual comando preferem ao invés dos visuais ou performance.

Tem sido interessante revisitar tantos jogos Resident Evil nas actuais consolas. No final Resident Evil 6 recebeu o melhor port de todos - interessante já que as versões originais da PS3 e Xbox 360 tinham uma performance tão pobre. Resident Evil 4 fica em segundo enquanto a desilusão que é Resident Evil 5 fica em último. A qualidade dos originais ainda brilha - Resident Evil 6 em particular beneficiar mais com as novas consolas - mas existe a sensação que estes remasters poderiam ter sido muito mais do que são. Pelo menos podemos esperar mais do promissor Resident Evil 7, feito de raiz para as novas consolas e com 1080p60 em mente.

Publicidade

Salta para os comentários (33)

Jogos em destaque neste artigo

Sobre o Autor

John Linneman

John Linneman

Staff Writer, Digital Foundry

An American living in Germany, John has been gaming and collecting games since the late 80s. His keen eye for and obsession with high frame-rates have earned him the nickname "The Human FRAPS" in some circles. He’s also responsible for the creation of DF Retro.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (33)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários