Análise à Performance: The Witcher 3: Blood and Wine

A nova expansão comparada na PS4, Xbox One e PC.

A nova região de Toussaint em The Witcher 3: Blood and Wine está espantosa na no PC e para beneficiar esta área na PlayStation 4 e Xbox One, o estúdio CD Projekt RED focou-se numa abordagem mais eficiente para a memória a respeito do streaming de bens - ajudando a melhorar os rácios de fotogramas. Será que está à altura da versão PC, e será que existem problemas na performance?

Temos 1920x1080 nativa na PS4 e na Xbox One temos 1600x900. A imagem convertida na Xbox One cria algum blur mas a qualidade das texturas é idêntica. Cada uma está a par dos mapas de texturas de melhor qualidade do PC e felizmente, a geometria em Toussaint é igual, significando que terás esta bela área em toda a sua glória no PC.

Existe uma vantagem visual no PC e as diferenças entre as três versões recaem sobre as distâncias de visão. No PC temos uma distância de visão maior para as sombras, e temos mais árvores à distância. Nas consolas, geralmente temos a mesma densidade de folhagem e NPCs na praça principal. Existe imenso detalhe em todas mas só no PC entendemos o que a definição ultra oferece.

The Witcher 3: Blood and Wine analisado nas três plataformas.

Esta área está linda nas duas consolas mas e quanto à performance? Durante as primeiras duas horas tivemos 30fps quase perfeitos, e a jornada de Geralt a cavalo foi apenas interrompida por ocasionais soluços.

Quando nos aproximamos da cidade, a Xbox One começa a não conseguir o nível de performance da PS4. Ambas sofrem com um soluço ao aproximar do castelo (momento único em que desce para 15fps) mas é a Xbox One que continua a perder fotogramas. Numa área movimentada, a Xbox One fica entre os 28-30fps, enquanto na PS4 temos 30fps firmes.

Assim que chegamos ao centro da cidade corre bem mas até lá chegar a Xbox One tem mais problemas em segurar os 30fps. Nas primeiras batalhas a Xbox One tem problemas com cada golpe - especialmente quando as Scurver explodem. No seu pior, desce para 26fps enquanto na PS4 vai para 28fps. Não normal nas batalhas acontecer isto e num encontro com um boss, as quedas são raras nas duas.

A performance da expansão está a par das melhores secções do jogo base, e não vimos nada como Crookback Bog. Tendo em conta a complexidade visual deste novo local, os rácios de fotogramas são suaves nas duas consolas - apesar da PS4 segurar os 30fps com mais firmeza, apresentar distâncias de visão maiores para a folhagem e 1080p nativa. É impressionante o quanto da versão conseguem apresentar e só mesmo nos níveis superiores do castelo, nas perspectivas panorâmicas, vemos cortes nas consolas.

O CD Projekt Red continuou sempre a afinar The Witcher 3, à procura de equilibrar os visuais e o rácio de fotogramas nas consolas. Tecnicamente, esta expansão é o maior avanço, com optimizações que permite visuais mais ambiciosos e menos penalidades na performance. Pode ser a última expansão para a série The Witcher mas Blood and Wine é uma bela despedida - e um bom sinal do que Cyberpunk 2077 pode apresentar em cada consola.

Publicidade

Salta para os comentários (22)

Sobre o Autor

Thomas Morgan

Thomas Morgan

Senior Staff Writer, Digital Foundry

32-bit era nostalgic and gadget enthusiast Tom has been writing for Eurogamer and Digital Foundry since 2011. His favourite games include Gitaroo Man, F-Zero GX and StarCraft 2.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (22)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários