Jogos Nintendo 64 da Rare Replay correm a 1080p

O Digital Foundry analisa as versões Xbox One dos clássicos N64 da Rare.

30 jogos de um dos mais aclamados estúdios numa colecção por apenas €29.99 - Rare Replay é de incrível valor, um leque de títulos que vão desde sucessos no Spectrum como Jetpac e Sabrewulf a jogos modernos como Perfect Dark Zero e Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts. Um dos maiores atractivos é a presença da maioria dos jogos N64 da Rare, jogos como Blast Corps e Jet Force Gemini ficam disponíveis pela primeira vez desde 1997. O maior destaque é que a Rare ofereceu cada jogo N64 a 1080p mas os resultados são mistos.

A estratégia de trazer o seu catálogo N64 para a Xbox One segue duas abordagens distintas: onde existe um remaster Xbox 360, é essa a versão incluída aqui, através da retro-compatibilidade revelada na E3. Onde não existe versão Xbox 360, foi empregue um emulador N64, correndo os jogo sem alterações a não ser um aumento na resolução.

O clássico Perfect Dark e os dois Banjo-Kazooie adoptam a segunda abordagem, todos os três usam a retro-compatibilidade. Cada jogo tem um ícone separado na dashboard fora do Rare Replay (apesar de também estarem acessíveis dentro da colecção), enquanto a maioria do trabalho de conversão é idêntico ao do original Live Arcade. Isto significa que temos visuais a 1080p nos três e suporte para ecrã panorâmico e 4x multi-sampling anti-aliasing (MSAA). Aqui já temos uma melhoria sobre a máquina virtual Xbox 360 - onde os jogos a 1080p nativa desciam para 720p e depois reconvertidos para full HD. A Microsoft felizmente corrigiu este erro.

Perfect Dark no Live Arcade estabeleceu o padrão para um relançamento moderno de um clássico N64, o 4J Studios entregou uma desejada melhoria para 1080p a 60fps e melhorou os visuais, tornando mais agradável a arte original para HD, sem comprometer a visão artística original. Os jogos Banjo-Kazooie também foram alvo de tratamento similar, apesar destes remasters estarem limitados a 30fps sem muitas mudanças visuais, fora a 1080p com AA e a apresentação panorâmica.

Perfect Dark é um bom exemplo de um remaster N64. Os rácios de fotogramas fixos a 60fps na Xbox 360 Xbox One, o uso do modo retro-compatibilidade na One não afecta a performance. Os dois jogos Banjo estão fixos a 30fps - tal como na Xbox 360.

A performance é idêntica entre as duas consolas, Perfect Dark oferece uma experiência sólida a 60fps que melhora ainda mais os visuais remasterizados e os controlos com dois analógicos - a forma definitiva de jogar o clássico da Rare. O uso do modo de retro-compatibilidade também significa que os dois Banjo-Kazooie ficam fixos nos 30fps, cortando esperanças de melhorias. O gameplay sente-se suave e com boa resposta, claramente uma firme melhoria sobre os originais N64. No entanto, a falta de 60fps é uma pena mas perdoável tendo em conta o valor de Rare Replay, o alto padrão destas conversões em particular e a qualidade dos jogos em si.

Blast Corps e Jet Force Gemini nunca foram lançados em mais nenhuma plataformas e nunca receberam a remasterização 1080p. É possível jogá-los a 1080p em ecrã panorâmico por emulação no PC, suficiente para melhorar a fidelidade visual sobre a versão N64, mas nunca numa consola.

Em Rare Replay, ao invés de converter manualmente cada jogo para dar uma versão 'idealizada' dos clássicos N64, parece que o trabalho para os colocar a correr na Xbox One foi mínimo. Acreditamos que usaram emulação ao invés de converter individualmente cada um deles, e parece que foi usado o mesmo emulador para os quatro jogos. Dá aos puristas versões não alteradas de Killer Instinct Gold, Blast Corps, Jet Force Gemini e Conker's Bad Fur Day, mas com melhorias básicas como 1080p nativa e 4x MSAA, permitindo que a qualidade de imagem iguale o trabalho do 4J Studios em anteriores conversões N64.

Os elementos poligonais em KI Gold beneficiam da 1080p, os fundos ficam limpos. No entanto, os personagens 2D não ficam lá muito bem, parecendo esborratados. Talvez um modo alternativo a 240p convertido com linhas teria sido melhor para este jogo, onde o jogo está nos personagens e não nos ambientes.

Infelizmente, os rácios de aspecto ficam na maioria fixos a 4:3, apenas Jet Force Gemini corre a 16:9, enquanto os jogos Banjo e Perfect Dark recebem apresentações panorâmicas perfeitas via remasters Xbox 360. A falta de ecrã panorâmico é inacreditável tendo em conta que é possível na maioria dos jogos N64 via emulação no PC, expandindo o detalhe por todo o ecrã. Nem todos os jogos podem ser forçados a correr com sucesso a 16:9 mas a maioria dos jogos funciona bem.

A maioria dos jogos N64 aqui presentes atribuem as acções ao comando Xbox One de forma sensível mas nem todos os jogos foram bem adaptados e Jet Force Gemini é incrivelmente frustrante. As acções do botão C da N64 incluem saltar, rastejar e desviar, atribuídas directamente ao analógico direito, sendo fácil executarmos o movimento errado nos tiroteios.

Em termos de performance, correr via emulação quase certamente corta qualquer potencial melhoria para 60fps sem reescrever o código do original. Apesar de um overclock à consola simulada ser possível via emulação, nem sempre temos um aumento no rácio de fotograma como no PC gaming, introduzindo potenciais incompatibilidades.

Blast Corps, Jet Force Gemini e Conker's Bad Fur Day estão bloqueados a 30fps, enquanto KI Gold vai a 60fps - métricas em linha com os rácios de fotogramas de topo vistos nos originais N64. No entanto, a performance é limitada pelo código original e qualidade da emulação. Tanto Blast Corps como Jet Force Gemini vão para meios 20s debaixo de carga, as cenas mais complexas e efeitos alpha causam quedas. O gameplay não é muito afectado em Blast Corps mas os soluços atrapalham mais nos tiroteios de Jet Force, onde a resposta rápida e eficácia são fundamentais.

Por um lado, a performance variável reflecte a inconsistência dos jogos na consola original mas pelo outro é pena não terem sido melhorados tal como em Perfect Dark e os jogos Banjo. Além disso, vemos screen-tearing não presente no original devido à forma como foi gerida a emulação. Felizmente, isto está limitado a uma área do ecrã fora da visão mas ainda assim estranho na mesma.

Blast Corps, Jet Force Gemini e KI Gold correm por emulação por isso a performance inconsistente é muito similar à forma como corriam na consola original.

Baseado nos testes, Rare Replay oferece um valor fenomenal mas é algo misto em termos de consistência. Felizmente, a qualidade dos jogos em si é excelente, demonstrando gameplay recompensadora e design ambicioso como poucos estúdios conseguiam igualar naquela altura. O pobre mapeamento dos controlos torna Jet Force difícil de jogar mas não é problema nos outros jogos N64. Perfect Dark e os Banjo-Kazooie são claramente os destaques. A conversão original do 4J Studios aguenta-se bem, apesar de preferirmos poder jogar os jogos Banjo a 60fps.

O resto do alinhamento N64 é menos impressionante mas provavelmente mais autêntico em termos de performance. A apresentação nativa a 1080p e uso de anti-aliasing providenciam uma melhor qualidade de imagem mas o valor supremo de Rare Replay tem um custo - nem tudo pode receber a mesma atenção e cuidado que o 4J deu aos projectos Xbox 360.

Os nossos testes N64 realçam que o código de retro-compatibilidade Xbox One é robusto, recriando na perfeição cada jogo visto na Xbox 360. A questão é até que ponto a máquina virtual pode gerir algo mais desafiante - iremos voltar quando investigarmos os jogos Xbox 360 na Rare Replay - além disso, não vamos esquecer os quatro jogos Gears of War que chegam com a Ultimate Edition.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários