Confronto: Grand Theft Auto San Andreas

Actualizado: Análise revista - código EUA é mais suave que código Europeu.

Actualização - 8/12/15 4

Passámos mais tempo com os clássicos PS2 na PS4 e parece que o código do Reino Unido que testámos corre a 50Hz com uma rude "conversão" de mistura de fotogramas para 60Hz. Errámos na análise original - San Andreas por emulador tem problemas no ritmo de fotogramas, mas muita da trepidação é resultado da mistura de fotogramas, registado pelos teus olhos (e pelas nossas ferramentas) como fotogramas únicos quando simplesmente são resultados interpolados de duas imagens - pensámos que podia ser um artefacto do emulador com o efeito motion blur do original PS2, mas não é. Obrigado ao Malek86 por reparar nisto na versão Europeia de Twisted Metal Black, apesar de ser transmitido a 60Hz - confirmado em Dark Cloud. Originalmente um jogo a 60fps nos territórios NTSC, corre a 50fps no emulador PS4, e depois a mistura de fotogramas envia para 60fps. Como imaginam, não é o ideal.

Decidimos produzir uma análise a San Andreas para realçar a diferente entre as versões NTSC e PAL. Limpámos uma secção do vídeo para confirmar que o rácio de fotogramas base para a versão do Reino Unido é mesmo 25fps. Para concluir, repetimos o teste ao rácio de fotogramas entre as versões PS2, PS3 e PS4, usando código a 60Hz.

A versão EUA comparada com a do Reino Unido, e uma nova análise às versões PS2, PS3 e PS4 a correr em material nativo a 60Hz

Para os Europeus, é uma desilusão. Os territórios PAL foram prejudicados com código mal adaptado e até com barras pretas, versões mais lentas e outros artefactos da transição de 60Hz para 50Hz. Nos jogos PS2 emulados na PS4, a performance é o único problema, faz muita diferença. Testámos os 3 jogos GTA e a situação não é boa. Recomendámos a compra na loja Norte Americana para a melhor experiência possível. Existem boas razões para a Sony ter feito isto - localização para outras línguas Europeias - e como diz o Malek86, existem problemas de censura. Parece que a Sony teve que passar novamente estes jogos pela PEGI e esperamos que a companhia pense em trazer os jogos nativos a 60Hz para a sua actual consola a 60Hz no futuro.

Original - 08/12/2015

Passaram 11 anos desde o lançado de Grand Theft Auto: San Andreas na PS2, por isso pode ser estranho surgir num Confronto - mas temos duas novas versões PlayStation em 2015. Primeiro, o bizarro remaster PlayStation 3, que chega um ano depois da versão Xbox 360. Depois temos a sua chegada como um dos primeiros clássicos PS2 na PS4, por emulação.

Já testámos o emulador e revelámos que consegue correr jogos mais antigos com rácios de fotogramas superiores. Mas ainda não tivemos um desafio ao emulador da Sony - até agora.

Começámos pela qualidade de imagem e resolução. Apesar da Sony dizer que correm a 1080p, os jogos Star Wars pegaram na 640x448 dos originais e duplicaram a resolução por cada eixo, antes de converter para 1080p. O processo é curioso pois dá a impressão de ser usada anti-aliasing, que lida bem com os jaggies.

Em San Andreas pouco mudou. A resolução melhorou mas não é nativa 1080p mas não temos apresentação 4:3, o modo de ecrã panorâmico é o pré-definido, portanto a conversão de resolução vai até 1920x1080, preenchendo todo o ecrã.

Capturámos o original PS2 a 16:9, ajustámos a 720x480 para a resolução 640x448, convertemos para 1920x1080 e tivemos a mesma apresentação que o da emulação PS4 - mas com menos pixeis. Um dos métodos de optimização do original envolve correr o frambuffer com um formato de menos precisão de pixeis, criando um efeito estranho. A PS4 não precisa disto por isso o efeito desapareceu, criando uma apresentação mais limpa.

Análise à performance de Grand Theft Auto San Andreas em três gerações PlayStation.

Em termos de performance, temos algo misto. As melhorias no rácio de fotogramas estão aqui. Na PS2, San Andreas perde fotogramas regularmente, e alguns picos de latência são espantosos - temos tudo até 100ms. A PS4 fica perto dos 30fps mas algo falha. É o primeiro jogo emulado na PS4 que vimos com este bloqueio no rácio de fotogramas e actualmente, o emulador não parece ter qualquer tipo de ritmo de fotograma presente.

San Andreas na PS2 podia ter uma performance variável debaixo de carga mas quando chegava aos 30fps, cada novo fotograma persistia por 33ms, uma actualização consistente. O emulador funciona de forma diferente, enviando novos fotogramas assim que estão prontos e ao mesmo tempo limita-se a 30fps - no final temos uma entrega desequilibrada de fotogramas, chegam novas imagens em intervalos de 16ms, 33ms ou 50ms, introduzindo trepidação. De topos os clássicos PS2, Rogue Galaxy é o jogo 30fps mais notável. Na PS2, corria com bloqueio e muito consistente - iremos ver se tem o mesmo problema no emulador.

No vídeo de performance em cima, verás que adicionámos o remaster PS3 - algo curioso. Em termos de performance, também tem como alvo os 30fps e apesar da performance funcionar como deveria, existem momentos de problemas no ritmo de fotogramas, mas não distrai. Já o rácio de fotogramas nas cutscenes é inconsistente - o mais espantoso é que o remaster tem problemas e até o original PS2 corre com mais suavidade. Assim que o jogador tem o controlo, temos 30fps e a consistência melhora imenso. Na verdade, de todos pode ser o que tem melhor performance.

O remaster tem claras vantagens sobre o código PS2 - seja na consola original ou por emulação. O sistema de controlo modernizado, as texturas melhoradas, as sombras geradas em 3D e as distâncias de visão melhoraram imenso. A geometria dos modelos foi melhorada e a palete de cores muito expandida. O mundo de San Andreas é mais limpo, com maior luminosidade e mais vibrante no remaster - e a IU foi remodelada. Tudo familiar a quem jogou as versões iOS ou Android pois parece que o remaster PS3 foi convertido directamente das versões mobile - tal como a versão Xbox 360 em 2014 - mas parece que as consolas têm distâncias de visão ainda maiores.

As impressões iniciais sugerem que o remaster é idêntico ao da Xbox 360 mas existem diferenças - o campo de visão nas cutscenes está estranho na Xbox 360 e existem erros - tais como uma textura ausente na introdução - que foram corrigidos. A versão Xbox 360 foi entretanto actualizada e parece que existem melhorias na performance desde que o jogámos pela primeira vez. Também parece que tem uma pequena super-sampling - a imagem 720p parece ser convertida para 1440x820 ou aproximado.

Tecnicamente, o remaster é a melhor versão - mas os puristas têm muitos problemas com o que foi feito. Apesar de muitos elementos da apresentação terem melhorado - alguns radicalmente - um bom remaster mantém o espírito do original, aqui sentimos que alguns elementos da atmosfera original desapareceram. O remaster é mais colorido - com maior luminosidade e mais vibrante - não parece correcto. O motion blur constante e efeito de onda de calor desapareceram.

Este vídeo foca-se nos remasters PS3 e 360, comparados com o original PS2.

O código original PS2 a operar a 1280x896 via emulador PS4, contra um remaster 720p, com jaggies devido à falta de AA. Sim, um ano depois e nem o remaster mais recente tem AA. Mesmo uma passagem de FXAA ajudaria - a sua apresentação brusca deveria combinar bem com técnica AA pós-processamento por isso é pena não ter sido adicionada. O resultado é que a emulação PS4 a operar numa resolução similar não tem esses problemas - graças à combinação de técnicas pós-processamento e de conversão de resolução inerentes ao emulador.

Tanto o remaster como a versão emulada contém as suas vantagens visuais mas ficámos na mesma a pensar como ficaria se as vantagens nas texturas, modelos e distâncias de visão fossem implementadas no código original para depois correr na PS4: o melhor dos dois mundos. Ficámos com a sensação que ainda não temos a versão definitiva do jogo nas consolas. Claro que temos que salientar que existe uma versão PC com várias oportunidades para o modificares.

O emulador PS2 na PlayStation 4 porta-se bem. Ficámos preocupados que os jogos Star Wars não puxassem o código - e que o sistema pudesse não estar à altura perante jogos PS2 mais exigentes. A boa notícia é que apesar de San Andres puxar bem pela PS2, o emulador ainda consegue uma performance melhor - é pena que este bónus bem-vindo (não mencionado pela Sony) seja diminuído pela entrega desequilibrada do seu rácio de fotogramas. Em breve teremos mais sobre os outros jogos emulados.

Publicidade

Salta para os comentários (12)

Sobre o Autor

Richard Leadbetter

Richard Leadbetter

Technology Editor, Digital Foundry

Rich has been a games journalist since the days of 16-bit and specialises in technical analysis. He's commonly known around Eurogamer as the Blacksmith of the Future.

Conteúdos relacionados

PS5 e Xbox Series X confirmadas para o Tokyo Game Show

Japoneses vão experimentar jogos de nova geração.

VídeoReagimos aos vossos comentários #2

Mais um episódio animado com risos e discussões sérias.

ArtigoOs jogos mais aguardados de 2020

Muito hype e entusiasmo para os próximos meses!

Dreams ganha data de lançamento

Sairá do Acesso Antecipado em Fevereiro.

Também no site...

Comentários (12)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários