Confronto: Lego The Hobbit

Um bloco para controlar todos.

Pode sentir-se como um processo em série mas os jogos LEGO do TT não são apenas cuidadosamente lançados - também são produções sólidas nas quais podemos confiar. Apesar da gameplay básica raramente mudar, o estúdio parece conseguir sempre traduzir os seus conceitos testados e comprovados para um vasto número de séries de entretenimento diferentes, integrando a mitologia e humor únicos de cada alvo no processo.

A tecnologia por detrás dos jogos é igualmente espantosa e de confiança, disciplinada o suficiente para poupar os grandes avanços para quando estão prontos ao invés de arriscar, oferecendo apenas ajustes subtis e mudanças incrementais no entretanto, e Lego The Hobbit é uma das atualizações mais subtis. Parece ter sido criado usando a mesma planta que Lego The Movie e Lego Marvel Super Heroes, o que significa que aqueles adoráveis blocos de plástico e minifiguras recebem uma mistura de efeitos pós-processamento, iluminação e sombreado avançado que funcionam em conjunto para criar uma apresentação mais realista e cinemática que na anterior geração.

Existe uma mudança mas deve-se na maioria ao estilo de arte ao invés da tecnologia. Comparado com Lego The Movie, a arte de Lego The Hobbit é muito mais orgânica, permitindo que superfícies como madeira, lama e rocha tenham um leque muito maior de características diferentes que nos ambientes nos anteriores jogos, deixando que o famoso brilho Lego se fique na maioria pelos blocos em si. É um estilo que encaixa no mundo da Terra Média, mesmo se significar que existem menos blocos e peças icónicos no ecrã do que é habitual.

Apesar da mudança no estilo de arte, o esquema básico de renderização continua o mesmo de Lego The Movie. O jogo PS4 oferece uma imagem 1920x1280 com super-sample vertical para 1080p, providenciando anti-aliasing extra durante o processo, enquanto a Xbox One opera a nativa 1080p e o PC faz isso e mais. Todas as três usam formas similares de AA pós-processamento, apesar da cobertura parecer um pouco pior no PC em certas áreas. Vejam a nossa galeria de comparação em três formatos para Lego The Hobbit para exemplos disto e os vídeos confronto em baixo.

"Lego The Hobbit iguala o anterior com nativa 1080p na XO, super-sampling na PS4 e reduções menores na qualidade de imagem no PC."

Lego Hobbit comparado na PS4 e XO. Vejam em ecrã completo e resolução 1080p para a melhor experiência.

Comparações alternativas:

Devido ao uso menor de super-sampling, a PS4 demonstra arestas ligeiramente mais limpas do que nos outros formatos, apesar de isto não se traduzir numa qualidade de imagem visivelmente superior. O forte uso de campo de profundidade em todas as versões funciona bem para eliminar os jaggies, apesar do algoritmo de deteção de arestas AA pós-processamento parecer ser um pouco melhor do que nos anteriores jogos Lego. Mas fora a ligeira diferença no esquema de framebuffer, a PS4 e a XO oferecem basicamente uma experiência gráfica idêntico no todo.

Novamente cabe à versão PC providenciar as principais diferenças, apesar de tal como nos recentes jogos Lego de nova geração, nem sempre pelas razões positivas que esperarias. Na verdade, existe um número de efeitos que ou parecem inferiores ou removidos no PC. As razões nem sempre são claras mas uma pode ser que os programadores suportam GPUs mais antigas que antecedem o mais recente leque de funcionalidades DirectX 11, os efeitos mais recentes moldados para funcionarem com uma API mais antiga e enfrentando problemas como resultado. (Os requisitos mínimos mostram suporte para DX10, juntamente com as gráficas Nvidia GeForce 7600 GS ou ATI Radeon X1950 Pro.) De qualquer das formas, significa que os jogadores PC podem ver pequenas mas curiosas diferenças gráficas.

PlayStation 4Xbox OnePC
A PS4 recebe uma leve vantagem com um framebuffer 1920x1280 reduzido ara 1080p, providenciando uma extremamente leve camada extra de anti-aliasing (comparado com nativa 1080p na XO e PC), mas a melhoria na qualidade da imagem é mínima.
PlayStation 4Xbox OnePC
A qualidade das sombras é igual na PS4 e XO mas curiosamente estes elementos são renderizados numa resolução menor no PC. Reparem em como as escadas em redor das arestas das sombras é menos proeminente nas consolas.
PlayStation 4Xbox OnePC
Blur por câmara e objeto ajudam a dar uma apresentação cinemática a Lego Hobbit. No entanto, a força do efeito está consideravelmente reduzida no PC.
PlayStation 4Xbox OnePC
Screen-space ambient occlusion está ausente no PC. No entanto, algum sombreado indireto é inserido nas texturas em muitos locais, o que adiciona alguma profundidade extra na cena.
PlayStation 4Xbox OnePC
É visível um efeito de nevoeiro na PS4 e XO em cenas interiores e exteriores mas curiosamente está ausente no PC.

Então, talvez não surpreenda descobrirmos que o blur de câmara e objeto está inferiorizado, apesar da screen-space ambient occlusion estar ausente. É interessante que ao verificar o ficheiro 'pcconfig.txt' se possa ver que a SSAO está ativada por pré-definição, mesmo não existindo qualquer evidência a sugerir que esteja a ser usado. Alguma oclusão ambiental está inserida nas texturas, o que significa que os ambientes ainda beneficiam de algumas sombras indiretas e da profundidade extra que providenciam.

Curiosamente, as sombras são renderizadas numa menor resolução que nas consolas, e existem alguns momentos onde certos detalhes parecem inferiores no PC - tais como a redução no nível de relva em alguns locais. No entanto, se olharmos mais de perto parece que a relva simplesmente se afundou no chão, fazendo com que alguns pontos desapareçam, o que parece ser um erro na renderização ou na geometria e não uma redução deliberada.

Modelos de nível de detalhe com ligeira menor qualidade também são usados para os personagens. Ao perto os suaves contornos das mini-figuras Lego parecem mais quadrados em redor das mãos estilo garras comparado com a PS4 e XO, enquanto as texturas apresentam erros no mapeamento UV onde a arte 2D não está envolta de forma correta pela geometria.

Dito isto, o modelo de iluminação - juntamente com a vasta maioria dos outros efeitos - continuam iguais ao das versões PS4 e XO portanto na maior parte os jogos têm um aspeto muito idêntico em movimento, ao ponto de algumas das ligeiras inferiorizações e bizarras anomalias na renderização no PC não se destacarem de forma visível durante gameplay.

PlayStation 4Xbox OnePC
Modelos de nível de detalhe têm uma qualidade ligeiramente menor no PC. Isto resulta em alguns erros no mapeamento UV das texturas, onde a arte 2D não se envolve em redor da geometria de forma correta. Também vemos arestas mais quadradas em redor das mãos e outros detalhes mais redondos.
PlayStation 4Xbox OnePC
Na maior parte o detalhe das texturas é idêntico em todas as três versões, apesar de bens com menor resolução serem usados em alguns locais no PC. Talvez se deva a um problema na renderização de LOD.
PlayStation 4Xbox OnePC
Algumas cenas apresentam o que parecem ser níveis reduzidos de verdura no PC, que provavelmente é um efeito colateral de outro problema na renderização: a maior parte do tempo parece que a relva está parcialmente submersa no solo, ao invés de inferiorizada.
PlayStation 4Xbox OnePC
Aqui vemos texturas distorcidas na sabe do trono na PS4 e XO, enquanto o resto da arte é basicamente igual entre as três plataformas na mesma cena.

A versão PC tem um grande benefício sobre as consolas: a capacidade para correr a rácios de fotogramas muito mais altos que os fixos 30fps providenciados pelas consolas. Facilmente chegamos a 60fps quase sólidos no nosso sistema Intel Core i5 com uma GTX 680, com apenas alguns fotogramas quebrados e perdidos durante transições entre cutscenes e ambientes diferentes durante gameplay, apesar de termos que referir que as cutscenes apresentam tear com frequência nos primeiros segundos antes da v-sync ativar. Um nível similar de estabilidade deverá ser possível em máquinas com especificações menores, com apenas mais algumas visíveis quedas na suavidade durante cenas exigentes.

Os jogadores de consola ficam com uns respeitáveis 30fps e no geral serve a indulgente gameplay Lego. Os controlos sentem-se mais pesados ao executar ataques e saltos rápidos mas isto nunca é tão intrusivo ao ponto de tornar as coisas frustrantes. O uso de v-sync assegura que fotogramas quebrados raramente são vistos, apesar da performance praticamente nunca se desviar do alvo de 30fps em qualquer plataforma fora alguns incidentes isolados.

Estas interrupções ocasionais na suavidade manifestam-se de formas diferentes em cada consola. Na PS4 temos uma leve trepidação, seguida do ocasional tear ao explorar o mundo central da Terra Média. Basicamente, os fotogramas são apresentados no ecrã em níveis irregulares apesar da sólida atualização a 30fps, um fotograma único é seguido de dois duplicados - enquanto numa sequência 30fps padrão vemos um único seguido de um duplicado num padrão repetido. Entretanto, na XO o jogo congela momentaneamente de tempos a tempos antes de entregar um fotograma quebrado, sugerindo um erro que força a GPU a parar. Novamente, recupera rapidamente e raramente afeta a gameplay.

"Na maior parte as três versões têm um aspeto muito aproximado em movimento. Os problemas presentes no jogo PC raramente se destacam de forma perceptível durante a gameplay geral."

Testes ao rácio de fotogramas revelam um rácio de fotogramas na sua maioria sólido a 30fps nas duas novas consolas, com a excepção do ocasional fotograma quebrado, juntamente com alguma leve trepidação na PS4 e congelamentos momentâneos na XO.

Análise alternativa à performance:

Lego The Hobbit: veredito Digital Foundry

Infelizmente, o mais recente do TT Games é divertido, visualmente rico e sólido, apesar de por vezes se sentir que a série está a repetir-se.

De uma perspetiva técnica, não existe muito a destacar ou a escolher entre as versões PC, PS4 e XO, apesar da PS4 ter a mais pequena das vantagens na qualidade de imagem se quiseres ser piquinhas, enquanto o refrescamento a 60fps do PC faz com que tenha a melhor experiência possível na gameplay - apesar dealguns erros e efeitos inferiorizados que se sentem fora do lugar naquela que poderia facilmente ser a versões de destaque do jogo.

Uma razão para optar pelo PC talvez seja o preço. Na altura da escrita, Lego The Hobbit custa €29.99 no Steam, consideravelmente menos que em qualquer uma das novas consolas. Para esse tipo de poupança, até nós aturamos um par de erros gráficos.

Publicidade

Conteúdos relacionados

Wonder Woman 1984 recebe teaser na CCXP

Amanhã teremos o trailer completo.

Black Widow ganha poster na CCXP

Marvel estreia imagem promocional em evento Brasileiro.

VídeoEsports: Como é ser um pro player em Portugal - Parte 2

A emocionante jornada dos Offset na Liga Portuguesa de Counter-Strike.

Também no site...

Wonder Woman 1984 recebe teaser na CCXP

Amanhã teremos o trailer completo.

Black Widow ganha poster na CCXP

Marvel estreia imagem promocional em evento Brasileiro.

VídeoEsports: Como é ser um pro player em Portugal - Parte 2

A emocionante jornada dos Offset na Liga Portuguesa de Counter-Strike.

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários