de Blob

A bolinha que dá cor.

Quem não se lembra em criança de pegar em folhas brancas e lápis de cor, de cera ou até mesmo guaches e pintar sem parar durante horas? Não nos divertíamos?

A ideia subjacente neste jogo faz-nos lembrar exactamente essa experiência de passar de uma folha branca a uma folha populada de cores vibrantes!

Para quem teve esta experiência colorida e para quem não teve, está na hora de experimentar o jogo de Blob. A história do jogo é bastante simples: INKT Corporation, liderada pelo Comrade Black, sugou toda a cor da cidade Chroma. Tudo o que temos de fazer é devolver a cor à cidade!

Para isso, toca a encarnar a personagem de Blob, o pintor, uma bolinha gelatinosa e branca, e partir para a aventura de se pintarem de todas as cores que encontrarem. Quantas mais colorirem, mais irritarão os vossos inimigos.

O jogo é constituído por 10 mundos gigantescos que terão de explorar e colorir. Em cada um destes mundos poderão demorar muito tempo (se completarem todos os desafios, cerca de 80 minutos cada um) ou pouco (se se limitarem a fazer o estritamente necessário para passar de nível). Essencialmente, os desafios consistem em fazer misturas de cores explosivas. Se querem ficar verdes, toca a procurar contentores de tinta (semelhantes a verdadeiros tinteiros de impressora) amarela e azul para obter a cor pretendida.

No início de cada mundo não nos apercebemos dos tempos de loading. Pois no início de cada um deles somos entretidos por uma cut-scene engraçada e sem cor encenada pelos funcionários do Comrade Black, falada numa língua imperceptível mas que nos faz ficar de sorriso na boca!

Mas em de Blob, não nos limitamos a dar cor à cidade por pintar edifícios, barcos, outdoors, árvores, ou outro género de coisas. Temos de nos encher de cor, evitar os shooters de petróleo (que nos fazem perder a cor) e derrotá-los. Temos também de evitar discos electrificados que nos fazem ficar de cabelos em pé, ou discos quentes (e esses sim, fazem nos perder os cabelos). Mas como recompensa, por cada edifício ou bloco de edifícios que pintem, libertam os cidadãos (com o nome de gradians). E o som desses gradians, felizes por serem libertos, fazem-nos de novo sorrir e querer pintar mais e mais para mais uma boa acção de libertação.

Em cada mundo, teremos de também de saltar de plataformas em plataformas em curtos períodos de tempo (para testar a nossa agilidade), encher de cor fábricas de petróleo para fazer com que a água volte a ser potável, encher de cor prisões, escolas de arte, de música para que tudo volte à normalidade. Temos também de pintar edifícios de diferentes cores, muitas vezes exigindo que paremos para pensar que ordem seguir para não pintarmos na cor e sequência errada. Teremos ainda de enfrentar inimigos que só conseguiremos derrotar se tiverem a cor certa.

À medida que progredimos no jogo, sentimos o nível de dificuldade aumentar. Enquanto que nos primeiros mundos, sentimos que os desafios são sempre dentro do mesmo género e relativamente fáceis, o mesmo não acontece nos últimos. O nível de dificuldade aumenta, assim como a diversidade também.

1

Cada um destes desafios é proposto por um personagem diferentes, consoante o tipo do desafio: Arty propõe pintar edifícios em cores específicas num tempo limite; Doc propõe a transformação de edifícios importantes consoante uma quantidade específica de cor; Bif propõe derrotar um número determinado de inimigos em tempo limite; e por fim Zippy propõe fazer um percurso em tempo limite. Mas como se não bastante tudo isto, em de Blob somos também surpreendidos por um novo conceito: por cada coisa que toquem, desde que tenham cor, é proferido um som de jazz. Isto torna sem dúvida o jogo ritmado, entusiasmante! De novo, queremos pintar mais e mais.

Quanto mais pintarmos, mais pontos, mais estilo, mais músicas, mais imagens e mais cut-scenes desbloqueamos. Um jogo cheio de surpresas, ritmo e cor.

Mas, como controlamos esta bolinha rebelde e vivaça que é o de Blob?

Bem, para isso só tem de usar o D-pad do comando da Wii para conduzi-lo para onde quiserem. De cada vez que quiserem saltar de plataforma em plataforma devem usar o botão Z. E sempre que querem saltar para cima de um inimigo, a única coisa que têm de fazer é movimentar o comando com convicção e digam adeus ao vosso inimigo! Para movimentarem a câmara só têm de usar o botão C, mas raramente sentirão necessidade de o usar.

Essencialmente, de Blob parece ser o jogo perfeito para a Wii. Fazendo uso de gráficos bastante agradáveis, bem conseguidos e fluidos, para quem é fã da Wii, este é certamente um jogo recomendado.

8 /10

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (6)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários