Burnout Legends

Burnout Legends é o primeiro jogo da conhecida série a sair para a PSP. Toda a essência dos jogos foi transmitida para a portátil da Sony e o resultado não é desapontante, muito pelo contrário.

Legends serve como uma espécie de junção dos quatro jogos lançados até ao momento. Contém elementos de todos eles, o que resultou bem sendo uma boa ideia por parte da Criterion. A jogabilidade vem maioritariamente do Burnout 3, assim como os carros e todas as pistas deste jogo. Contudo, há também modos de jogo, carros e pistas do Burnout 2 e uma pista do primeiro jogo da série. As músicas vêm da soundtrack do Revenge. Enquanto que, como já foi dito, a ideia de juntar tudo é boa, não há conteúdo. Isto faz com que pessoas que tenham jogado anteriormente qualquer um dos jogos (especialmente o 3) se possam sentir desapontadas, e faz com que o jogo se torne aborrecido mais rapidamente. A inclusão de modos e pistas antigas é bem pensado, mas a falta de material novo e construído de raiz faz com que Legends pareça mais um port do que algo feito a partir do zero.

A jogabilidade é muito boa. Quem pôs as mãos na 3ª entrada da série vai-se sentir em casa mal pegar na consola. Mas mesmo quem nunca o jogou, vai-se conseguir adaptar de forma quase instantânea - uma das grandes qualidades é sem dúvida o facto de qualquer pessoa poder pegar nos controlos e conseguir dominá-los em poucos minutos, o que faz com que a experiência se torne em algo divertido desde o princípio.

O objectivo do jogo é simples: correr em ruas cheias de trânsito enquanto atiramos os adversários para fora da pista de qualquer modo que acharmos necessário. Por acaso, este é um dos objectivos somente. O outro consiste em causarmos a maior destruição possível entre o tráfico do jogo. Há vários modos, sendo o principal o World Tour, onde podemos ganhar pistas, carros e variadíssimos prémios consoante o nosso desempenho. Dentro do World Tour, temos duas grandes vertentes, o Crash e as corridas. O crash é onde tentamos causar a maior destruição que pudermos em 100 eventos. O modo consiste em pegar num carro e enfiá-lo contra o primeiro carro que nos aparecer à frente. Enquanto que parece muito simples, há bónus de dinheiro e rampas e outras coisas em cada junção, o que torna as coisas mais complicadas por termos de ter a estratégia certa de modo a conseguirmos a medalha de ouro. Um dos momentos altos do jogo vem quando, após um determinado nº de choques, podemos detonar o nosso carro para causar uma enorme explosão e ver tudo à nossa volta desfazer-se em pedaços. As corridas têm várias componentes. Temos as corridas normais, onde tentamos chegar ao fim em 1º, temos o Pursuit, onde somos um carro da polícia e temos de apanhar fugitivos, Road Rage (o modo mais divertido do jogo, sem dúvida), que consiste em fazermos o maior nº de adversários chocarem, e outros mais. Há variedade que chegue para nos entretermos durante bastante tempo, e há muitos eventos onde participar o que nos vais assegurar imensas horas de prazer.

Os controlos funcionam na perfeição. O carro responde com exactidão a cada toque que damos na direcção e a física do jogo está muito apurada, o que ajuda a, por exemplo, acidentes hilariantes.

No departamento gráfico temos uma bonita conversão dos jogos da PS2. Os modelos dos carros são bastante bons, e a deformação que possuem é detalhada e por vezes impressionante para uma PSP. As pistas têm um nível de detalhe bastante bom também. Uma das características mais louvadas pelos jogadores, a sensação de velocidade, não desaponta. Ao princípio pode ser mais difícil notarmos que vamos depressa, mas mal pegamos em bólides mais possantes a velocidade é tal que mal conseguimos ver o que temos à frente. A sensação é comparável ao Burnout 3 da PS2, o que é dizer muito. Há alguns bugs nos gráficos, mas nada que destrua a qualidade dos mesmos. As explosões também são menos vistosas, e os danos no tráfico são algo limitados, especialmente nos crashes.

O som do jogo é muito bom também. Os efeitos sonoros estão ao nível da PS2, os motores dos carros estão óptimos e não irritam, e o barulho das mudanças a serem engrenadas é um pormenor engraçado. As músicas vêm do Burnout Revenge, sendo que só parte da soundtrack está incluída no jogo. É uma mistura de rock e techno, e pode não agradar a toda a gente, mas condiz bem com o jogo e com a sua velocidade vertiginosa.

Mesmo não tendo nada de novo, o jogo é uma boa compra para quem quiser acção imediata na sua PSP. Para quem nunca jogou um Burnout, este jogo é um bom começo para sentir toda a adrenalina que tem. Mesmo quem jogou Burnout 3 tem aqui um port de grande qualidade que vale a pena pelas horas de diversão que vai proporcionar. Burnout Legends é sem dúvida um dos grandes jogos de corrida da PSP, e ninguém devia deixar escapar a oportunidade de o ter.

9 /10

Conteúdos relacionados

Microsoft faz questão de esclarecer que a Xbox ganha dinheiro

Apenas perdem com a venda de consolas, mas recuperam com os jogos e serviços.

Elon Musk torna-se Wario em programa de comédia

Um dos homens mais ricos do mundo apresentou o Saturday Night Live.

Dragon Ball Super terá novo filme em 2022

Akira Toriyama fala numa personagem inesperada e estética visual arrojada.

Também no site...

Microsoft faz questão de esclarecer que a Xbox ganha dinheiro

Apenas perdem com a venda de consolas, mas recuperam com os jogos e serviços.

Elon Musk torna-se Wario em programa de comédia

Um dos homens mais ricos do mundo apresentou o Saturday Night Live.

SEGA não confirma Lost Judgment para PC

Não tem nada para anunciar por enquanto.

Dragon Ball Super terá novo filme em 2022

Akira Toriyama fala numa personagem inesperada e estética visual arrojada.

Designer de Metroid Prime não acredita na Trilogia na Switch

Seria um esforço hercúleo converter o terceiro jogo.

Comentários (0)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários