Dead Space 2

Isaac Clarke vs aliens!

Dead Space marcou positivamente a forma como preencheu um universo de sobrevivência e horror no espaço, a bordo da gigantesca Ishimura. Abrindo desde logo um enérgico sucesso e rampa de lançamento para outras produções satélite e até uma prequela para a Wii (Extraction) - um dos melhores shooters on rails - , não tardou até que a EA confirmasse o previsto; a sequela de Dead Space. Decorrendo vários anos após os acontecimentos do original, o protagonista Isaac Clarke volta a estar encurralado diante de mais uma ameaça alienígena, sendo que desta vez o terreno dos acontecimentos passa por uma vasta cidade destacada nos anéis de Saturno.

Sem deslocalizar dos elementos que modelaram a experiência primitiva, Dead Space 2 continuará a premiar sustos, gravidade zero, criaturas sugadas para o espaço sideral, sendo que a título de novidade será de contar com a voz do protagonista, mais acção e um cliente habitual destas produções; o modo multiplayer. Ainda que a Visceral Games tenha sido alvo de algumas alterações respeitantes à chefia, o grupo actualmente em foco mantém-se determinado em garantir as melhores ideias que funcionaram no original, ao mesmo tempo que diligenciam esforços no sentido de incrementar a experiência. Aliás é própria convicção dos autores da sequela, que a adaptação do protagonista ao diálogo e interacção com outras personagens foi uma ideia avançada pelo grupo que trabalhou no primeiro jogo e, desta vez, seguiram em frente, esperando que o protagonista possa ser um herói mais capaz, sem se diluir a tensão e receio enquanto traves mestras do original.

A transição da nave espacial de prospecção Hishimura para uma vasta cidade humana – denominada The Sprawl – alarga as opções em termos de ambiente, abrindo novas motivações. Enquanto que a Hishimura fora construída por uma companhia, tendo por base um propósito, The Sprawl é o resultado de uma união de esforços de diferentes povos. Erguida no espaço, projecta aquilo que é possível encontrar numa urbe; zonas abastadas, zonas desprotegidas, blocos de apartamentos, centros comerciais, escolas e igrejas. A recuperação de Isaac Clarke para protagonista deve-se à necessidade de contar ainda mais sobre ele e também porque a experiência por que passou no original irá afectar o desenrolar dos acontecimentos em Dead Space 2.

Rejeitada estará a tese que põe algum reforço na acção e combate permanentes para esta sequela. É certo que o abate dos Necromorphs continuará em força, mas nem por isso ficarão órfãos dos momentos de tensão e horror protagonizados no jogo de estreia. A melhor perspectiva dirá que acção e tensão actuarão de forma consertada. Ainda no combate, uma das preocupações que tem merecido atenção por parte dos autores está na propensão para uma maior destruição do cenário e dos objectos que podem servir de elemento para atacar os inimigos, propondo formas distintas. Um dos propósitos para a sequela passa por garantir que à fidelidade interactiva corresponda uma fidelidade visual. Num jogo onde é possível utilizar “telekinesis” e manipular objectos, pode ser frustrante encontrar algo que pode ser movido mas na realidade não o é.

1
Também queres entrar na fila das autópsias?

Além disso, alguns objectos passíveis de destruição irão transformar-se em pequenos destroços que podem ser utilizados em combate. Estes pedaços podem causar dano nos inimigos e nalguns casos até empalá-los. A possibilidade de combinações não sai frustrada ainda que alguns jogadores não tenham a arma Javelin. Para empalar os inimigos poderão recorrer a esses pedaços e até alguns inimigos como os Slashers podem ser de extrema utilidade para a realização dessa tarefa.

De um modo geral, os produtores pretendem tornar o combate mais perigoso e satisfatório, a expensas do mundo dinâmico. Novos inimigos, bem como um novo arsenal de armas deverão produzir interessantes efeitos, sobretudo à custa das partículas e destroços resultantes das explosões, sendo que para já não há novos dados sobre a progressão com gravidade zero. Depois de um Dead Space altamente motivador e capaz, os produtores reforçam a ideia de um compromisso total com a qualidade para a sequela. A atmosfera que caracterizou o original continuará em força e as novidades em torno do protagonista, com a capacidade para entrar em diálogo, apostam num propósito; manter a tensão e receio, mesmo que o combate seja outra das vertentes que sairá reforçada.

Dead Space 2 está previsto para PS3, Xbox 360 e PC, no começo de 2011

Publicidade

Salta para os comentários (25)

Sobre o Autor

Vítor Alexandre

Vítor Alexandre

Redator

Adepto de automóveis é assim por direito o nosso piloto de serviço. Mas o Vítor é outro que não falha um bom old school e é adepto ferrenho das novas produções criativas. Para além de que é corredor de Maratona. Mas não esquece os pastéis de Fão.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (25)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários