Escolhas dos Leitores 2021 - 50 ao 41

Aqui vamos nós.

Parece difícil de acreditar, mas 2021 está quase a terminar. Tal como aconteceu no ano passado, de forma menos intensa, este ano ficou marcado pela pandemia e mais uma vez sentimos o poder que os videojogos alcançaram na nossa vida.

Lidar com os dilemas da realidade e fugir ao drama que nos rodeia tornou-se um pouco mais fácil com a possibilidade de escapar para outros mundos e de nos abstrair do que aflige a mente. Se 2020 também ficou marcado pela chegada de uma nova geração de consolas, 2021 foi o primeiro ano dessas novas consolas e repleto de adiamentos.

Num momento em que o poder do entretenimento é mais importante do que nunca, foi empolgante acompanhar a chegada de diversos jogos e por mais que se possa lamentar o adiamento de muitos, o mais saboroso é pensar no que nos chegou às mãos.

Tal como eu e todos aqui no Eurogamer Portugal, certamente tens os teus jogos especiais de 2021 e com a tua ajuda, reunimos a lista com os Melhores Jogos do Ano para a nossa comunidade.

Esta é uma lista que vai mostrar os teus jogos favoritos e provavelmente descobrirás que existem pessoas com gostos diferentes dos teus, algo que é perfeitamente normal. Se um jogo no qual votaste não estiver na posição que desejarias, tenta perceber que nem todos jogamos o mesmo ou nem todos têm a mesma disponibilidade financeira para jogar os mais recentes lançamentos.

Dito isto, vamos manter o respeito na secção de comentários e tentar desfrutar dos diversos gostos e estilos de jogo que temos ao nosso dispor.

50. Little Nightmares 2

  • Estúdio: Tarsier Studios
  • Editora: Bandai Namco
  • Plataformas: PS5, Xbox Series, PS4, Xbox One, Switch, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: Não há muito valor de repetição, a não ser apanhar todos os coleccionáveis: chapéus para personalizar a tua personagem e o que o jogo chama de Glitches - restos intermitentes de outros miúdos. O preço de 29,99 euros coloca-o num valor mais acessível que os típicos grandes lançamentos (honestamente, em qualidade não lhes fica a dever em nada) e parece-nos mais do que recomendado para quem está interessado num jogo de terror que consegue surpreender e escapar aos moldes habituais do género.

49. Call of Duty: Vanguard

  • Estúdio: Sledgehammer Games
  • Editora: Activision
  • Plataformas: PS5, Xbox Series, PS4, Xbox One, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: Este ano temos uma abordagem desprovida de interesse em mais um Call of Duty. Aqui, em Vanguard, a fórmula é obviamente mantida com pequenas adições ao multijogador que, de momento, está caótico e recheado de batoteiros no PC. A campanha não contém interesse e rapidamente é colocada no canto do esquecimento. Resta-nos os Zombies que estão minimamente aceitáveis e fazem esquecer um pouco tudo o resto, mas apenas e só para quem gosta deste modo de jogo. Adicionando a isto alguns problemas técnicos encontrados na PS5, numa abordagem quem nem consegue um folego visual digno das novas consolas. Para o ano há mais!

48. Metro Exodus: Enhanced Edition

  • Estúdio: 4A Games
  • Editora: Deep Silver
  • Plataformas: PS5, Xbox Series, PS4, Xbox One, Switch, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: É curioso que os melhores momentos de Metro Exodus sejam aqueles que mais se aproximam dos anteriores. Quando estamos num local escuro e desconhecido, a experiência é intensa. Um dos primeiros níveis, quando ainda estamos num ambiente gélido, consegue recriar esta sensação na perfeição. Mas à medida que vamos avançado para outros níveis, a sensação dilui-se e perde-se. Na sua ambição para criar uma experiência grandiosa e mais vasta, a 4A Games parece ter-se aventurado para fora do trilho e Metro Exodus perde uma parte da alma que caracterizava a série. É um jogo diferente, que ganha numas coisas, mas perde noutras. A sua maior força está na narrativa e experiência de sobrevivência, mas se vais entrar a bordo deste comboio, prepara-te para uma viagem que nem sempre será confortável.

"Gráficos , história e jogabilidade excelentes.," disse o magrinvieira.

"A melhor versão do jogo de 2019. Vale a pena jogar novamente.," disse o mrguico.

47. Riders Republic

  • Estúdio: Ubisoft
  • Editora: Ubisoft
  • Plataformas: PS5, Xbox Series, PS4, Xbox One, Switch, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: Riders Republic triunfa não apenas pelo facto de conseguir juntar num só jogo uma grande quantidade de desportos radicais diferentes, mas também pela implementação das funcionalidades online: tens um mundo em que vês sempre outros jogadores, corridas massivas e competitivas, e possibilidade de jogares em modo cooperativo em grupos de seis jogadores. Precisa de um pouco de polimento para eliminar pequenas inconsistências e erros técnicos, mas é um título extraordinário para quem adora desportos radicais. Como nota final, não posso deixar de sublinhar o bom gosto na escolha das faixas musicais para o jogo.

"Para os amantes de desportos radicais, este é o jogo!", disse o Netweb.

"Quando testei a beta fiquei com 1 pé e meio atrás depois testei o acesso antecipado e a minha opinião melhorou... arrisquei comprei o jogo e não poderia estar mais satisfeito que o jogo me dá seja percorrer o mapa livremente das várias formas : de Bike , A voar , de prancha , ou das muitas Funkies divertidas ....Já desde Tony Hawk que não me divertia num jogo de desportos radicais a Ubisoft acertou em cheio na forma que venham as temporadas conteúdo e qualidade não vai falar", disse o Adema.

46. Out of Line

  • Estúdio: Nerd Monkeys
  • Editora: Hatinh Interactive
  • Plataformas: PS5, PS4, Switch, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: Out of Line é uma mistura bastante agradável entre puzzles, aventura e descoberta. Gostava que fosse um pouco mais longo, mas mais vale curto e bom do que longo e aborrecido. É garantidamente um dos jogos mais bonitos já desenvolvidos em Portugal. A direcção visual é irrepreensível e mantém a mesma qualidade aquarela em movimento do princípio ao fim. Gosto especialmente de que como os artistas e produtores conseguiram incluir os elementos interactivos no cenário sem os tornar demasiado óbvios, como se não pertencessem ali. A experiência tem uma coesão inesperada. Nota-se que é um jogo bem pensado em que todos os elementos cantam em harmonia. Um jogo a experimentar para quem gosta de jogos curtos, mas interessantes.

45. Football Manager 2022

  • Estúdio: Sports Interactive
  • Editora: SEGA
  • Plataformas: PS5, Xbox Series, PS4, Xbox One, Switch, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: No geral ainda há pequenos aspetos que ficam aquém das expectativas, apenas detalhes no grande esquema das coisas, a verdade é que estamos perante o melhor e mais recente simulador de futebol com mais um ano em que a Sports Interactive presenteia os seus fãs leais com mais uma enorme entrada na franquia Football Manager.

"Já há muitos anos que não jogava esta franquia e que bom foi voltar a ser treinador em FM 2022, o jogo está incrível e que cumpre ao que se propõe. Viciante que dói!", disse o Insecticida.

"O melhor simulador de futebol esta de volta. Uma inovação ainda mais notória neste capítulo. ", disse o Kaskas_7.

44. Super Mario 3D World + Bowsers Fury

O que dissemos na nossa análise: Parece fácil, a forma como a Nintendo pega nos seus clássicos Wii U, que não tiveram direito a uma merecida tradução da qualidade em vendas, e os transporta para a Switch. Super Mario 3D World + Bowser's Fury é apenas o mais recente numa longa série de ports que se tornam muito mais do que isso e servem de exemplo para o resto da indústria. É um jogo vindo do passado, com mais de 7 anos, mas ainda assim com tanto de novo que se torna novamente irresistível, especialmente porque está aliado ao conceito híbrido da Nintendo Switch que me conquistou por completo. As melhorias e refinamentos em Super Mario 3D World são um selo de qualidade que atestam a intemporalidade do clássico de 2013, enquanto as novidades em Bowser's Fury são uma sublime inesperada diversão e, espero eu, um vislumbre de um entusiasmante futuro.

"Devido ao fracasso da WiiU, bastantes jogadores nunca compreenderam porque é que este Super Mario era o favorito de alguns. Agora com o sucesso da Switch, finalmente pode ser apreciado por todos.", disse o timed.

43. Days Gone (PC)

  • Estúdio: Bend Studios
  • Editora: Sony Interactive Entertainment
  • Plataformas: PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: Infelizmente, a história de Deacon St. John não continuará. É com lamento que acompanhei as notícias relacionadas com o cancelamento de uma continuação, Days Gone 2 estava na minha lista de desejos para os próximos anos, mas infelizmente a Sony não entendeu que seria um projeto a ter em conta. Mesmo assim os fãs tentam de tudo, até um abaixo-assinado foi criado na tentativa de demover a detentora dos direitos. Quem sabe isso venha a acontecer, mas neste momento temos esta fantástica conversão para PC que não podem deixar de a jogar. Recomendo de olhos fechados.

42. Scarlet Nexus

  • Estúdio: Bandai Namco
  • Editora: Bandai Namco
  • Plataformas: PS5, Xbox Series, PS4, Xbox One, PC
  • Página do jogo

O que dissemos na nossa análise: Não é um jogo perfeito. O nível final parece feito de uma forma preguiçosa, no sentido que acaba por ser uma combinação em linha recta de todos os níveis que percorremos até ali. Podia também haver mais personalização no visual das personagens - os itens de personalização disponíveis são um bocado limitados. Ainda assim, estas falhas não foram barreira para ter desfrutado imenso de Scarlet Nexus. Oferece uma história entusiasmante embrulhada num novo conceito, tendo ainda uma gameplay peculiar e bem executada. Da primeira vez, demorei cerca de 25 horas para chegar ao fim. Da segunda vez é mais rápido, pelo que em média cada jogador tem aqui cerca de 40 horas. Uma aposta garantida para quem gosta de animes, RPGs e acção.

"Já há várioss anos que não jogava um Jrpg, e Scarlet Nexus foi o eleito pra voltar a este género. Só tenho coisas boas dizer do jogo, que tem um sistema de combate muito bem executado e que flui com natural decorrer do jogo, excelente portanto, sendo para mim o ponto mais forte do jogo. A História não é nada de especial mas consegue ser competente. Bom jogo e boa surpresa. ", disse o Insecticida.

"Uma surpresa vinda dos estúdios da Bandai Namco, um jogo que estranhamente parece influenciado pelo melhor que vem da Platinum Studios e ao mesmo tempo refina algumas da mecânicas mais clássicas dos JRPGs. A apresentação cel-shading com uma direção artística neuro-punk vem completar este bolo de criatividade vindo de terras do sol nascente. ", disse o Pelúcias_Impúberes.

41. Valheim

  • Estúdio: Iron Gate AB
  • Editora: Coffee Stain Publishing
  • Plataformas: PC
  • Página do jogo

Salta para os comentários (7)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Comentários (7)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários