Designer da Xbox original apela ao fim da toxicidade nos videojogos

Streamer feminina insultada durante uma live stream.

Seamus Blackley, um dos principais designers da Xbox original, decidiu reagir a um recente caso de toxicidade em Halo Infinite e apela ao combate contra essas práticas, comentando que não era isto que queriam como o futuro do Xbox Live.

Blackley comentou um vídeo partilhado pela australiana Grenade Queen, no qual a jogadora é criticada de forma insolente por dois jogadores que comentam como "Halo não foi feito para mulheres" e que devia jogar algo como Valorant onde talvez conseguisse matar alguém.

"Este não foi o futuro que imaginámos para o Xbox Live," diz Blackley, "como comunidade e com a ajuda da Microsoft, isto precisa ser realçado e travado."

"Será preciso esforço de equipa entre jogadores, criadores e fabricantes de consolas para mudar isto e está na hora. Já passou o tempo."

Blackley comentou ainda que isto não é novo, sabe bem disso, mas está mais do que na hora de resolver o problema, algo que acredita ser possível de fazer.

Salta para os comentários (36)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Já não podes ser um NPC em Stalker 2 Heart of Chernobyl

Produtora recua depois da revolta da comunidade.

Estas são as Promoções de Janeiro na PlayStation Store

GTA 5, FIFA 22, Red Dead Redemption 2... e que mais?

Revelados requisitos para Dying Light 2 PC

Precisas de uma RTX 3080 para Ray Tracing a 1080p60fps.

Também no site...

Comentários (36)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários