Nintendo perdeu caso legal sobre restrições nas reservas eShop

Entidade alemã recorreu da anterior decisão e ganhou.

A Federation of German Consumer Organisations (VZBV) conseguiu um importante passo nos tribunais após recorrer da anterior decisão e vencer no seu caso sobre as políticas da Nintendo na eShop.

A VZBV alega que a política da Nintendo em permitir apenas que uma reserva seja cancelada até 7 dias antes do lançamento do jogo é injusta pois o jogador não tem forma de testar o produto, mesmo que este fique disponível para download e aos olhos da Nintendo isso signifique que a compra está feita.

A VZBV defende que o consumidor deve ter até 14 dias para devolver o jogo digital que comprou e critica a política da Nintendo em recorrer a uma exceção legal para impedir que o cliente cancele a reserva. Uma vez que o download feito antes do lançamento não inclui um jogo que podes jogar, algo que é desbloqueado a determinada hora ou através de uma atualização, a VZBV pede melhores políticas da Nintendo.

O grupo que defende os direitos dos consumidores lutou nos tribunais contra a Nintendo e conseguiu a vitória, mas agora teremos de esperar para ver se os efeitos se fazem sentir.

Atualmente, a Nintendo informa os clientes que o direito a cancelar uma reserva termina 7 dias antes do lançamento.

1

Salta para os comentários (10)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

Rainbow Six Extraction estreia no Game Pass

Ubisoft+ integrado no Game Pass.

PlayStation Store - Tudo sobre a 2ª vaga das Promoções de Janeiro

Returnal, The Last of Us e Demon's Souls são alguns dos jogos com desconto.

Ilustrador da Marvel Studios mostra Tom Holland com o fato simbionte

Uma ideia do que poderá surgir na nova trilogia.

Comentários (10)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários