Razer Kaira X review - Mais uma opção de headset para a PS5

Mas será que é melhor do que a concorrência?

A Razer alargou recentemente a sua oferta de headsets com a expansão da linha Kaira. Inicialmente disponível apenas para as consolas Xbox, a linha Razer Kaira apenas estava disponível com opções sem fio. Com a chegada do Kaira X, a Razer alargou a compatibilidade às consolas PlayStation e resolveu dar mais liberdade aos consumidores na escolha. A grande diferença deste novo modelo é que funciona exclusivamente por fio, ou seja, tens que ligá-lo à saída 3.5 mm do Dualsense e comando Xbox para que funcione.

Para utilizadores que não se importem com a ligação por fio, o Kaira X tem uma grande vantagem: é bastante mais económico. Para comparação, o Razer Kaira da Xbox tem um preço oficial de 109,99 euros. O Razer Kaira X, disponível em versões PlayStation 5 e Xbox, custa 69,99 euros. São 40 euros de diferença. Dentro dos headsets mais recentes da Razer, é neste momento o mais acessível. No papel, a versão com fio deveria ter a mesma qualidade que a versão wireless. Os materiais de construção são os mesmos e no interior tem as mesmas drivers TriForce de 50 mm.

Apesar das drivers serem as mesmas, a Razer retirou desta versão o diafragma vestido de Titanium que, de acordo com a própria Razer, ajuda a adicionar claridade a qualquer som vocal, além de ser um material mais duro e forte para melhor ressonância. Agora, a questão mais importante, será que na prática existe diferença? Não sei se é devido ao revestimento de Titanium ou não, mas o Razer Kaira X não impressiona com a sua qualidade sonora, seja a ouvir música, a ver filmes ou, mais importante, a jogar.

A qualidade sonora é mediana

O Razer Kaira X não é o headset com a pior qualidade sonora, mas quando adquires algo de uma marca reputada como a Razer, existem expectativas. O maior problema é a falta de imersividade, provocada pelo som que, no geral, é bastante plano. Os pequenos sons e detalhes audíveis que dão complexidade às cenas ficam um tanto perdidos. Reproduzindo um ficheiro de elevada qualidade de música, nota-se que o Kaira X não consegue reproduzir satisfatoriamente todos os sons. Faltam graves e há sons agudos que chegam perto de ficar distorcidos (com o volume no máximo).

Nos jogos, o desempenho do Kaira X também afecta a experiência. O roncar de um carro não é tão satisfatório e presencial, as explosões não têm tanto impacto, e terás dificuldade em aperceber-te da riqueza sonora de certos títulos. Embora a PlayStation 5 esteja equipada com a tecnologia de 3D Sound, ultimamente ainda precisas de um headset minimamente decente que consiga reproduzir os pormenores auditivos. Depois, parece estranho que um headset mais recente tenha piores resultados do que um headset mais antigo (tenho um Razer Thresher de 2017 que suou melhor em todos os cenários).

Construção sólida e leve, mas com demasiado plástico

Apesar do headset ser quase todo construído em plástico, transmite alguma solidez. Por outras palavras, parece que se cair ao chão não se desfaz em pedaços, o que é bom. Dito isto, não é o melhor headset para pessoas descuidadas. As dobradiças são feitas em plástico. Se te sentares acidentalmente em cima do headset, pode partir ou rachar, dependendo da pressão, mas tanto as dobradiças como o suporte para cabeça apresentam grande flexibilidade. O interior do suporte para a cabeça é revestido por um tecido que a Razer chama de Flowknit, um tecido leve, mas resistente e com grande respirabilidade.

Este mesmo tecido também foi usado para revestir as almofadas laterais. Já experimentei este tipo de tecido noutros headsets da Razer e os resultados são favoráveis. Anteriormente a Razer usava pele sintética, mas causava mais transpiração e, pior ainda, eventualmente começava a descascar. O Flowknit é mais resistente e confortável, se bem que não isola tão bem o som (o que pode ser importante para quem busca privacidade quando usa um headset). No geral, a qualidade é positiva para um headset deste preço e fornece bastante conforto. Pesando apenas 283 gramas, o Kaira X é um headset que permanece confortável durante sessões de múltiplas horas.

razer_kaira_x_review_auricular

Versatilidade

A unidade que recebemos é, supostamente, específica para a PlayStation 5, mas na prática funciona em qualquer dispositivo com saída 3.5 mm, como por exemplo, smartphones, Nintendo Switch, e até consolas Xbox. Embora exista uma versão do Kaira X para as consolas Xbox, é basicamente uma questão de pintura. A versão da PS5 vem com o arco em branco e com o logótipo da Razer em azul no corpo das drivers. A versão Xbox vem toda em preto, mas com o logótipo em verde para combinar com a cor da consola. No entanto, apesar da pintura, são o mesmo headset. Por ser um headset que funciona por 3.5 mm, é bastante versátil. É pena que o microfone não seja removível, caso contrário, seria válido para ocasiões fora de casa.

O microfone não é removível, como já referi, mas o cabo é muito maleável e podes afastá-lo facilmente. No auricular direito tens um botão deslizável para fazer mute e uma roda para controlar o volume do áudio. O microfone está revestido com uma esponja, para ajudar a melhorar a qualidade de captura, e está equipado com a tecnologia HyperClear da Razer. É a mesma tecnologia incluída em microfones dedicados como o Razer Seiren Mini e funciona às mil maravilhas para suprimir sons indesejados como pequenos ruídos, como ventoinhas, ar condicionado e pessoas a falar à distância. O microfone do Kaira X é, portanto, excelente para comunicar, não só na consola mas também em videochamadas.

razer_kaira_x_headset_review

Por 69,99 euros, vale a pena comprar o Razer Kaira X?

O Kaira X é um headset minimamente razoável, mas enfrenta uma concorrência forte, até mesmo dentro da própria Razer. Por este preço, o Razer Blackshark V2 é mais apetecível e existe uma versão que funciona com e sem fios. Em alternativa, também existe o headset oficial da PlayStation, o Pulse 3D, que apesar de ser 30 euros mais caro, oferece uma qualidade sonora superior. O preço do headset também é um problema, visto que não é baixo o suficiente para justificar a experiência mediana. Se estás à procura de um headset para a PS5, encontras melhor dentro deste limite de preço.

Prós: Contras:
  • Muito leve e confortável
  • Sólida construção, tendo em conta que é plástico
  • Versátil, compatível com muitas plataformas
  • Microfone excelente e com anulação de ruídos
  • Almofadas com tecido respirável
  • A qualidade sonora é mediana
  • O preço deveria ser ligeiramente mais baixo
  • Há melhores opções

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (1)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

Razer Iskur review - Não é uma cadeira, é um trono

A melhor cadeira que já experimentámos.

Trust GXT 833 Thado review - TKL a um preço acessível

Dá uma nova imagem ao teu Setup Gaming.

Nintendo Switch OLED review - Melhor em quase tudo

O upgrade que tanto queríamos tornou-se realidade.

Google Stadia review - Chegou hoje a Portugal, mas será que vale a pena?

Testámos o serviço da Google em várias condições.

PlayStation 5 review - Uma consola premium

Sony entrega uma verdadeira experiência de próxima geração.

Também no site...

Dying Light 2 Stay Human recebe vídeo gameplay de 15 minutos

Muito parkour, lutas viscerais e zombies.

PS Plus no Japão conta com Judgment em dezembro

Japoneses recebem ofertas diferentes.

Jogadores não conseguem fazer mira em Battlefield 2042

Problemas com o rato no PC. Joguem de comando!!

The Matrix Awakens descoberto na PS5

Uma experiência no Unreal Engine 5.

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários