Jett: The Far Shore review - exploração espacial dos sentidos

Este é para os amantes da ficção científica.

Dedicado aos amantes da ficção científica, Jett esquece-se de ser divertido enquanto tenta desafiar os teus sentidos e emoções.

Jett: The Far Shore é o aguardado regresso da Superbrothers, um pequeno estúdio indie do Canadá que em 2011 surpreendeu o mundo com Superbrothers: Sword & Sworcery EP, desenvolvido em conjunto com a Capybara Games (Super Time Force, Below, Grindstone), para iOS. Essa é uma experiência interativa memorável que, com uma elevada qualidade artística, consegue ainda hoje permanecer na nossa memória. Obviamente que, passados 10 anos, estávamos mais do que empolgados por reencontrar a Superbrothers e descobrir o que planearam desta vez.

Este novo jogo, Jett: The Far Shore, é mais arrojado na sua exploração da ténue linha que separa um videojogo de uma daquelas experiências interativas, nas quais parece que pouco jogas para que os teus sentidos possam absorver os sons, imagens e fluir dos acontecimentos.

Em Jett assumes o papel de uma exploradora espacial, Mei, para tentar encontrar um novo lar para o seu povo. Isto significa que terás segmentos onde percorres bases espaciais na primeira pessoa e outros em que exploras um enorme planeta numa nave para analisar formas de vida, rochas e outros elementos.


Queres saber tudo sobre a atual temporada de Fortnite? Então, não te esqueças de consultar estas páginas:

Fortnite Crew Outubro - recompensas, preço, como subscrever

Fortnite - Como obter o pack PS Plus Celebration

Campeonato PlayStation Fortnite - Datas, horários, como participar, recompensas


A Superbrothers parece ter-se focado especialmente na transmissão de uma sensação tão característica dos filmes e séries de ficção científica espacial, onde te sentirás isolado e à procura daquela sensação de maravilhamento perante um novo objeto desconhecido no horizonte. Jett: The Far Shore consegue efetivamente deixar-te imerso na sua atmosfera, na sensação de exploração planetária de tom minimalista para se tornar numa experiência interativa bem diferente da grande maioria dos jogos. No entanto, o gameplay é simples e ocasionalmente divertido.

De aspeto minimalista e sonoridade a acompanhar essa ambição, Jett: The Far Shore permite-te explorar na nave este planeta, esses são os melhores momentos. Ocasionalmente terás de viajar até uma base ou local de interesse e a perspetiva passa para a 1ª pessoa, momentos de pouco interesse e onde os visuais minimalistas não convencem tanto. É quando estás na nave a acelerar pelo imenso oceano a executar loops para seguir um rasto especial, que Jett: The Far Shore se aproxima de conceitos mais comuns aos videojogos que brilha. Quando a Superbrothers consegue um melhor equilíbrio entre videojogo e experiência artística interativa é quando as coisas fluem melhor.

No entanto, este aposta de ação e aventura, no qual exploras um planeta composto na sua maioria por um oceano, é para quem procura uma experiência relaxante, para quem está com muita calma e deseja atiçar os sentidos. É um jogo no qual terás de passar imenso tempo quase a não fazer nada, pesquisando as ilhas deste planeta para analisar a fauna e flora. Para tornar a experiência mais interativa, a Superbrothers implementou 3 ferramentas e nem todas são divertidas. Usar o sonar para procurar o destino até poderá fazer sentido, mas nem sempre é divertido ou interessante. Além disso, usar o gancho para apanhar flora ou atordoar a fauna não é propriamente aliciante.

Jett: The Far Shore é uma aposta cujo aspeto e sons poderão despertar imensa curiosidade, especialmente para os adeptos das expressões artísticas de tom minimalista que desejam escapar ao mercado AAA das massas. No entanto, toda a sua veia irreverente e profunda podia ter sido explanada de uma forma mais divertida, sem que as suas principais mecânicas se intrometessem na sensação de tranquilidade e imersão que pretende alcançar. Jett: The Far Shore é decididamente diferente e com pontos de interesse, mas raramente divertido.

Prós: Contras:
  • Uma experiência diferente e relaxante
  • Banda sonora consegue um belo efeito na imersão espacial
  • Explorar planetas na nave é divertido
  • Nem todas as mecânicas resultam
  • Diversos momentos que exigem paciência e que podem desafiar a tua
  • Nem todos os segmentos gameplay são interessantes

Lê o nosso Sistema de Pontuação

Salta para os comentários (0)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

Também no site...

DICE revela os restantes Especialista de Battlefield 2042

Também esteve atenta ao feedback recebido da beta.

Já podem fazer pré-carregamento de Forza Horizon 5

Jogo ocupa mais de 100GB em todas as plataformas.

Among Us terá versões PlayStation e Xbox em dezembro

Chegará ao Xbox Game Pass no dia de estreia.

Comentários (0)

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários