Phil Spencer quer tornar a Xbox numa marca global e reconhece que falharam em certos mercados

"Tradicionalmente, somos fortes na América do Norte."

Quem já teve uma consola Xbox sabe que a expressão da marca em território nacional - e também em quase toda a Europa - não chega perto da América do Norte, um mercado em que a consola verde sempre teve muita mais força.

Phil Spencer, líder da divisão Xbox, quer mudar isso e revelou que já estão a elaborar um plano para que a Xbox se torne numa marca mais global. Parte do plano passa por se ligarem às comunidades locais, mas também haverá uma aposta maior em localizações.

Eis o que Phil Spencer disse durante o podcast Unlocked do IGN quando lhe perguntaram sobre os planos para fazer crescer a marca noutros territórios (um dos exemplos da questão foi a China, mas a resposta de Spencer é válida para outros territórios):

"Estamos a passar por uma transformação neste momento na nossa abordagem global. Historicamente, tivemos pessoas no campo, mas eram mais da área das vendas e encomendas. Agora estamos a passar muito tempo com Jerret West, que é o nosso líder de marketing para a Xbox, e Ami Silverman, que é alguém que está nos bastidores mas faz muito trabalho para a Xbox a gerir a nossa equipa de vendas."

"Mas estamos a fazer realmente uma transformação para construir mais líderes comunitários e sociais nos mercados, pessoas que se consigam ligar às comunidades locais - acreditamos que isso é importante e marketing actual - ficar ligado às comunidades e ajudar a ampliar as vozes locais que representam aquilo que estás a tentar fazer."

"Como tu disseste, garantir que a verdade do nosso produto está lá, e sabemos que neste momento não estamos em todos os mercados. Precisamos de fazer mais trabalho de localização para tanto a nossa plataforma como para o conteúdo que lançamos."

"Precisamos de fazer mais trabalho de localização" - Phil Spencer

"Quando penso nos próximos anos e onde vamos crescer, claramente será o nosso alinhamento first-party de jogos, vai ser espectacular. Também a combinação com os Xbox Game Studios e a Bethesda. E penso no PC, que existe uma oportunidade massiva para nós aí. Os jogos terão um papel importante e o Xbox Game Pass vai continuar a crescer."

"E vamos ser uma marca mais global do que temos sido. Tradicionalmente, somos fortes na América do Norte e sítios como o Reino Unido, Austrália e América do Sul. Mas aspiramos que a marca Xbox seja uma forte marca global em todos os mercados e vamos investir para que isso aconteça. Temos os recursos na Microsoft para fazer isso acontecer."

"Temos que trabalhar e ter as pessoas certas com o foco certo. Posso dizer às equipas e comunidades por aí que isto é um foco real para nós. Sabemos que temos de aproveitar essa oportunidade. Estamos conscientes dela e temos um plano. Vais reparar nisso talvez no próximo ano ou dentro de dois anos. É um passo importante para nós."

Não existem dados mais recentes partilhados publicamente, mas em 2015 a PlayStation detinha mais de 80% do mercado de consolas português. Será que a nova estratégia de Phil Spencer vai equilibrar a balança em território nacional?

Salta para os comentários (56)

Sobre o Autor

Jorge Loureiro

Jorge Loureiro

Editor

É o editor do Eurogamer Portugal e supervisiona todos os conteúdos publicados diariamente, mas faz um pouco de tudo, desde notícias, análises a vídeos para o nosso canal do Youtube. Gosta de experimentar todo o tipo de jogos, mas prefere acção, mundos abertos e jogos online com longa longevidade.

Conteúdos relacionados

God of War terá versão PC em janeiro de 2022

Vendidas perto de 20 milhões de unidades da versão PS4.

Xbox quer jogos como os blockbusters PlayStation

Quer entregar desses jogos aos seus fãs.

Também no site...

Comentários (56)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários