Riders Republic recupera o furor dos desportos radicais vivido nos anos 90

Coolboarders!

Depois de Steep, a Ubisoft está de volta com mais uma proposta para os amantes dos desportos radicais, mas Riders Republic é muito mais do que um mero continuar das ideias vistas nesse jogo. Esta nova proposta da Ubisoft parece recuperar o espírito irreverente de jogos radicais como Coolboarders e SSX da década de 90 e aplica-lhes imensos dos conceitos modernos que têm apaixonado comunidades inteiras. Durante a E3 2021, tivemos a oportunidade de assistir a uma apresentação mais extensa do que aquela que foi partilhada com o público e de conversar com Manfred Neber (Principal Designer) sobre como nasceu esta ideia e quais os principais objetivos deste "recreio multijogador massivo".

Esta apresentação mostrou como o lado radical é a base de tudo, mas também mostrou como a imersão permitida pelos gráficos e a componente social são dos elementos mais importantes de Riders Republic. É possível jogar com amigos qualquer evento e poderás personalizar a tua personagem para te expressares a teu gosto perante os outros jogadores, além disso, terás eventos semanais e temporadas de conteúdo pois como Manfred Neber nos explicou, desde o primeiro dia que esta experiência radical foi imaginada para ser jogada a longo prazo. É um desafio de grandes proporções que a Ubisoft traçou para si, mas a amostra E3 2021 de Riders Republic deixou boas indicações para o que está a caminho.

Existem diversos percursos de carreira, relacionados com as diversas modalidades sociais, um esforço para tornar a experiência altamente personalizável, desde os controlos à dificuldade, para que Riders Republic seja um local social onde podes simplesmente relaxar a ver as paisagens ou então um local altamente competitivo onde vais perseguir a melhor pontuação. Tentando combinar toda esta ambição social radical com variedade, terás um mundo aberto que percorres ininterruptamente entre eventos, o que me faz acreditar que a popular série Forza Horizon foi vista como um exemplo a seguir em termos de design e ritmo.

Riders Republic aposta um mundo massivo com diferentes tipos de terreno, desde grandes planícies a difíceis trilhos de montanha, prometendo figurar como o multiplayer online de referência para amantes destas modalidades e não só. O jogo combina vários desportos radicais como descidas de bicicleta, snowboard, esqui e fato-asa que descobrirás em percursos e áreas recriadas a partir de sítios reais, como os parques naturais norte-americanos Bryce Canyon, Yosemite Valley e Mammoth Mountain. O jogo terá suporte para vários modos PvP e mais de 50 outros jogadores poderão participar nessas corridas se estiveres a jogar na PS5 ou Xbox Series.

Sem mais demoras, vamos à nossa entrevista com Manfred Neber e ao porquê de termos sentido entusiasmo ao saber mais desta experiência social e radical da Ubisoft para vários jogadroes.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Como surgiu a ideia para Riders Republic?

Manfred Neber (Principal Designer) : Steep foi uma experiência de sucesso para nós. Por isso, após 5 anos de experiências e mais de 15 milhões de jogadores na comunidade, tivemos a oportunidade de criar uma novíssima experiência. Com tudo o que aprendemos e a ambição de elevar o género para novos patamares, começámos a focar-nos em 3 pilares. O primeiro foi procurar experiências de desporto mais refinadas, intensas e diversificadas, a bicicleta de montanha é um dos desportos radicais mais populares do momento, decidimos adicionar isso ao alinhamento de desportos que já tínhamos. E isso abriu um leque de grandes oportunidades.

Em segundo veio o mundo, queríamos encontrar o melhor local para criar um jogo de desportos radicais em mundo aberto. Com a bicicleta, um novo recreio podia ser considerado, terra batida, floresta, estrada, trilhos etc...e uma experiência de corrida enriquecida. Por isso, procurámos o cenário mais espetacular que podíamos recriar fielmente e surgiu o parque nacional nos Estados Unidos, casa para muitos desportos radicais. Em terceiro, a ambição era apresentar um toque de multijogador massivo na fórmula. Basicamente, temos as disciplinas, temos o cenário e a vontade de conectar muitos jogadores juntos para os deixar abraçar a adrenalina dos desportos radicais com amigos e outros jogadores. A partir desta base, começámos a focar-nos na criação de conteúdo e atividades empolgantes para entreter os jogadores em conjunto, como corridas com mais de 50 jogadores (mais de 20 na geração anterior)!

"Riders Republic foi construído com base no sucesso de Steep e motivado por um enorme foco na componente social e na imersão dos desportos radicais numa escala sem precedentes."

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): A apresentação lembrou-me os jogos de desportos radicais dos anos 90, como Coolboarders ou SSX, existiu alguma inspiração?

Manfred Neber (Principal Designer) : Todos conhecemos esses jogos da nossa adolescência nos anos 90 e início dos anos 2000 e os nossos jogadores também os conhecem e abriram caminho para o género de desportos radicais. Mas abordamos sempre a criação de RR com a ideia de apresentar a nossa própria visão do género, obviamente sem negligenciar as suas fundações, mas ir mais longe em termos da nossa criatividade e do que a nossa tecnologia nos permite.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Como descreveria o gameplay? Fácil e simples, estilo arcada, ou algo mais avançado e que exige elevada dedicação?

Manfred Neber (Principal Designer) : Desde o início da conceção do jogo, o nosso lema tem sido criar gameplay que pode ser personalizado para permitir a qualquer um ajustar a experiência ao seu gosto. Temos diversos esquemas de controlo à escolha, permitimos personalização, podes mudar o nível de ajudas para os truques e ajustar a dificuldade dos adversários nos eventos. Basicamente, podes preparar uma experiência muito relaxada ou optar por uma configuração super desafiante onde tirarás o máximo proveito da pontuação e do sistema de progressão.

Mas mesmo assim, se quisermos criar uma experiência que presta tributo à beleza e estilo dos desportos que apresentamos, queremos na mesma oferecer uma experiência fantástica e divertida. Por isso, fomos mais além do que o limite das físicas do equipamento e humano permitem, mas não num ponto de arcada exagerado. Conta com grandes quedas de penhascos, truques espetaculares e acrobacias em corridas a alta velocidade.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): O que me pode dizer dos Boss Events

Manfred Neber (Principal Designer) : Os Boss Events não são uma tradicional luta contra um chefe, é o que chamamos às maiores competições de cada uma das 5 carreiras no jogo. O pináculo para alcançar e vencer. Entre elas temos os X-Games, a Red Bull Rampage e a Red Bull Aces, por exemplo. Devido às suas definições, regras e fantasia, são momentos mesmo únicos e memoráveis para terminar cada carreira.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): O centro social em Riders Republic mostra que é um jogo com uma forte componente social. O quão importante é esse elemento social no jogo?

Manfred Neber (Principal Designer) : O social é um dos principais pilares da experiência, para nós, Riders Republic é um jogo que deve ser jogado com amigos e a comunidade. Queremos criar um espaço onde saiba bem relaxar com os amigos, um local simpático onde tens uma sensação que a comunidade está mesmo ali contigo. Por isso, quando jogas, provavelmente encontrarás outros jogadores. O jogo tem imenso para oferecer aos jogadores a solo, mas a escala das coisas que fazes com amigos é enorme. Basicamente, é por isso que temos vários modos multijogador, como as batalhas de acrobacias, mas podes jogar qualquer evento das carreiras em VS com os amigos, estamos a falar de centenas de corridas ou batalhas de pontuação.

E temos as corridas em massa para criar momentos de encontro memoráveis com a comunidade como o pináculo desta reunião social. Mais de 50 jogadores a correr ao mesmo tempo numa corrida multidesporto pelo monte abaixo. É uma experiência social memorável, acredita em mim!

"A PS5 e a Xbox Series estão a ser aproveitadas para colocar mais jogadores no ecrã (50 vs 20 na anterior geração) e elevar a fidelidade de toda a experiência."

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): A apresentação mostrou que recriaram locais reais do mundo. Porque é que não inventaram um local e optaram por esta forma?

Manfred Neber (Principal Designer) : Quando criámos a ideia de apresentar todos estes desportos e a bicicleta de montanha, o local icónico para eles, o teatro para as suas principais histórias, são os parques nacionais nos EUA. Sim, podíamos ter inventado locais, mas as vistas nos parques e a sua fantasia são enormes...foi uma escolha óbvia. E tínhamos a tecnologia para o fazer acontecer. Por isso, a questão foi mais qual deles, quais os locais, e como conectá-los num mapa de mundo aberto ininterruptamente. E penso que a virtude do videojogo também é permitir aos jogadores escapar para locais remotos. Sim, alguns locais foram adaptados para se encaixarem na execução do jogo, mas queríamos oferecer aos jogadores a oportunidade de viajar para alguns dos mais empolgantes locais remotos do mundo, foi o que fizemos!

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Qual o seu desporto favorito em Riders Republic?

Manfred Neber (Principal Designer) : O meu cérebro de jogador diria bicicleta de montanha pois é uma experiência que nunca foi sentida nesta escala, eu adoro jogos de corridas e temos pistas empolgantes por todo o mapa e a lista de truques é tão profunda e existem movimentos que partem tudo. É super divertido. Mas a escolha do meu coração seria sessões livres de ski. Eu pratico ski e ter a oportunidade de deslizar por locais tão belos é algo que me toca imenso.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Um jogo como este merece uma boa banda sonora, será composta por músicas licenciadas ou originais? Se são licenciadas, por partilhar algo sobre as bandas escolhidas?

Manfred Neber (Principal Designer) : De momento não podemos partilhar muito, mas como poderás ter reconhecido dos vídeos gameplay, estamos muito orgulhosos de contar com Kid Koala e The Glitch Mob na nossa lista de músicas, com músicas exclusivas!

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Os visuais estão fantásticos, imensos jogadores em locais enormes, aposto que isto não foi fácil.

Manfred Neber (Principal Designer) : Obrigado e sim, não foi! Kudos para a equipa porque nos bastidores está um festival técnico incrível. Traçamos desafios enormes para nós mesmos. O mundo aberto ininterrupto, sem ecrãs de carregamento, mais de 50 jogadores no ecrã, 60fps, locais variados e lindos, desportos completos, jogo cruzado e a lista continua. Honestamente, não são muitos os jogos que alcançaram algo como isto. Não podia estar mais orgulhoso da equipa.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Riders Republic terá skins e desafios inspirados noutras propriedades Ubisoft?

Manfred Neber (Principal Designer) : Estamos a investigar isso, é um dos tópicos para o nosso conteúdo pós-lançamento, com toda a certeza, mas vamos manter a surpresa por agora.

"Para cumprir com as ambições sociais, o jogo cruzado estará ativo desde o lançamento."

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Teremos temporadas com desafios e conteúdos?

Manfred Neber (Principal Designer) : Sim, mesmo estando totalmente focados no lançamento do jogo, sempre quisemos que Riders Republic fosse um jogo apoiado a longo prazo. Estamos a trabalhar num programa de temporadas repletas de novas coisas, desafios. Já anunciámos alguns elementos como a adição de uma nova disciplina, como a BMX, durante o primeiro ano.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): Serão introduzidos mais desportos radicais após o lançamento?

Manfred Neber (Principal Designer) : Obviamente queremos adicionar novos desportos ao universo e gameplay de Riders Republic. E eu diria que não estamos a investigar isso. Mas queremos seguir o que motiva a comunidade e os seus desejos. Quem sabe? Vamos guardar isso para uma futura conversa!

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): O jogo cruzado está disponível de imediato no jogo?

Manfred Neber (Principal Designer) : Sim, a partir do primeiro dia e é sensacional. Obviamente, remove imensas barreiras e fricções da nossa experiência social e reforça esta sensação de uma comunidade global única.

Bruno Galvão (Eurogamer Portugal): O que me pode dizer sobre Riders Republic na PS5 e Xbox Series?

Manfred Neber (Principal Designer) : São definitivamente versões superiores e apoiam ainda mais a nossa visão. Não tens apenas maior imersão e gráficos superiores, o gameplay fica ainda melhor com 60fps sólidos e entrega uma sensação ainda mais impressionante de um local vivo com mais de 50 jogadores no ecrã. Por isso, não é apenas "mais" só porque sim. Estas versões entregam uma versão mais fiel da nossa visão. E isto é apenas o início, temos planos para apoiar ainda mais estas consolas e funcionalidades exclusivas.

Salta para os comentários (4)

Sobre o Autor

Bruno Galvão

Bruno Galvão

Redator

O Bruno tem um gosto requintado. Para ele os videojogos são mais que um entretenimento e gosta de discutir sobre formas e arte. Para além disso consome tudo que seja Japonês, principalmente JRPG. Nós só agradecemos.

Conteúdos relacionados

FUT 22 - Renato Sanches destacado para celebrar a Black Friday

As melhores transferências dos últimos tempos transformadas em novas cartas.

Primeiro vídeo gameplay de GRID Legends

Será já amanhã. Assistam aqui em direto.

Também no site...

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!

Ignora piores comentários
Ordenar
Comentários